Alcinéa Cavalcante

Liberdade de expressão!
Macapá - Amapá

Góes confirma apoio a Amanajás

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 02/06/10 as 11:30 pm

Pré-candidato ao governo do Amapá, o presidente da Assembléia Legislativa Jorge Amanajás (PSDB) almoçou hoje com 14 vereadores e o prefeito de Macapá, Roberto Góes (PDT).
Roberto Góes reafirmou apoio a Amanajás e disse que já comunicou ao seu partido, o PDT, que estará no palanque tucano. Góes está retribuindo o apoio que recebeu de Amanajás na sua campanha para prefeito.

PT continua no governo

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 02/06/10 as 4:40 pm

Encerrou dia 31 o prazo para os petistas entregarem os cargos que ocupam no governo do Amapá.
No dia 17 de maio o PT decidiu romper com o governo do Amapá e divulgou a resolução onde fixava em 31 de maio o prazo para sair do governo. De lá pra cá decidiu coligar com o PSB, mas até agora não entregou os cargos que ocupa na administração estadual.
A Companhia de Eletricidade do Amapá, por exemplo, continua com o PT. Uma fonte do governo disse ao blog que o governador Pedro Paulo – candidato à reeleição pelo PP – ainda considera o PT como aliado, uma vez que não recebeu nenhum pedido de exoneração  dos petistas.
O deputado Joel Banha, do PT, disse ao blog que não vê motivos para que os “companheiros” façam cartas com pedido de exoneração já que na resolução aprovada no dia 17 de maio, o partido coloca os cargo que ocupa à disposição.
Uma coisa é certa: o PT está rachado. Uma parte quer ficar com o PSB e a outra quer se aliar ao PP e continuar no governo, principalmente na CEA.

Tucujus

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 02/06/10 as 12:50 pm

A advogada Telma Duarte  está sendo reeleita hoje presidente da Confraria Tucuju,  tendo como vice-presidente o empresário Haroldo Pinto Pereira. Compõem ainda a chapa Manoel Sobral, Maria do Socorro Santos, Abimael Peres, Agenor Chermont e Decleoma Lobato.
A votação começou às 9h e encerra às 17h.

Vice-presidente da Confraria Tucuju, empresário Haroldo Pinto Pereira  assumiu ontem  a presidência da Federação das Indústrias do Amapá.
O vice-presidente é Izaías Antunes.
Sucesso!


Rodoviários conseguem redução da jornada

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 02/06/10 as 12:31 pm

Nota do Sincottrap

01 de junho, uma data que sem dúvida vai ficar para a história de luta dos trabalhadores rodoviários. Neste dia, motoristas, cobradores, mecânicos e além de vigilantes, professores e dirigentes da Conlutas, conseguiram superar a contra-ofensiva dos patrões e impuseram um acordo que põem fiam a dupla jornada que estava submetendo à barbárie o conjunto dos trabalhadores da categoria. “foi duro reverter a situação de intimidações que os patrões da empresa União Macapá realizaram desde o dia 25” – primeiro dia da greve – comentou um motorista da empresa Capital Morena que junto com outros do comando de greve consolidaram uma verdadeira blindagem operária a mobilização dos trabalhadores.

O interdito dos patrões foi revertido em sentimento de unidade e luta

“Lutamos contra tudo nessa greve: primeiro foi o pedido de abusividade feito pelos patrões e que foi negado pela justiça do trabalho, depois as ameaças dos capangas pagos pela patronal lá na praça e na porta das garagens, as mentiras nas notas do SETAP e de alguns jornais pagos pelos empresários e finalmente, a autorização dada pelo juiz para que na União Macapá não parar os carros que saíssem para viagem, acontece que não queríamos trabalhar, mas o encarregado de lá mandava e dizia que se não fossemos era rua na certa!” falou uma cobradora da empresa ao final da negociação. Os patrões estão ainda confusos diante do poder de resistência de nossa categoria. Nunca tínhamos realizado algo semelhante e o ganho de 13% com o índice da inflação e a redução da jornada, além do abono dos dias parados e mais 20 dias de estabilidade terá um gosto amargo para eles por bastante tempo!

O orgulho de ser rodoviário e de luta marcará certamente a nova geração de ativistas que se forjou na greve

Foram dois anos amargando um duro ataque com demissões sumárias, cobrança de peças, assédio de todas as formas e vista grossa da justiça do trabalho e DRT. A imposição dos micro-ônibus foi o golpe final, afinal reduzia salários e o motorista realizaria duas funções. Isso representaria demissões de mais de cinqüenta cobradores e conseqüentemente, diminuição dos encargos para os empresários que inclusive proporam na mesa de negociação que o sindicato legalizasse isso com a criação do tal operador de veículos leves, nessa Convenção Coletiva, o que foi rechaçado na hora!

Os rodoviários do estado estão retomando o caminho das lutas e ainda tem o plano de saúde, do qual não abrimos mão. Os empresários que se cuidem porque apenas começamos!

A direção do SINCOTTRAP.