Alcinéa Cavalcante

Liberdade de expressão!
Macapá - Amapá

Nota triste

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 10/02/11 as 1:24 pm

Faleceu agora há pouco no Hospital São Camilo Raimundo Adamor Picanço, o Wanderley.
Grande craque do passado, Wanderley foi goleiro dos melhores times amapaenses, entre eles o São José, Juventus e Ypiranga Clube.
Professor de Educação Física, bom de bola e de carnaval, Wanderley é um dos fundadores da tradicional Banda, o bloco de sujos que arrasta multidões na terça-feira gorda. Era Wanderley quem fazia a roupa da boneca da Banda.

Wanderley na terça-feira gorda de 2008

O LASCA SE FOI
Milton Sapiranga Barbosa

A Polícia Militar, o Escotismo, a Educação Física, o Funcionalismo, o Carnaval, o Futebol , o Estado  que tem um povo  que gosta de  seus filhos  e  reconhece  seus feitos, está de  luto. Morreu nesta quinta feira, 10 de fevereiro de 2011, por  volta de 12 horas e 30 minutos, o cidadão tucuju,  Raimundo Adamor Picanço, eternizado no mundo do futebol  como Wanderley, o goleiro paredão,  que  em centenas  de jogos,   vestindo  camisas de grandes  clubes como Juventus, Ypiranga, São José e outros, parecia  intransponível , por mais potente ou colocado  que fossem os  chutes  dos  atacantes.
Para os  amigos dos tempos da  saudosa praça  da  matriz, hoje Veiga Cabral,  era  conhecido  como LASCA.  E  era  só assim que por mim era  chamado.

Wanderley, por muitos  era considerado  um sujeito grosso, violento. Mas quem assim pensava  não conhecia o imenso  coração, que  até  o início da tarde desta quinta feira batia naquele peito  de macho, que  detestava  covardia, injustiça, fosse  ela  cometida contra um amigo ou  desconhecido.  Ele  não pensava  um segundo  em sair  em defesa dos fracos e oprimidos.   Brigava por  seus  direitos  com valentia, mas também sabia reconhecer  com humildade quando  estava  errado.
Tive a felicidade  de conviver com o Wanderlei desde criança  e nossa amizade prosseguiu nos campos de peladas e nos estádios,  e ficou mais forte  nas muitas   e rendosas  pescarias que  fizemos por  rios, lagos  e igarapés  de nosso  amado Amapá.
O LASCA  se foi. Mas  seu exemplo, sua história, sua amizade sincera, seu desprendimento em ajudar um amigo, o Anhanguera, boneco que ele criou pra sair na Banda e homenagear a avenida em que morava,  ficarão para sempre  gravados nos  corações  de quantos tiveram  o privilégio de  conviver  com ele.
À dona Maria, sua fiel  companheira de  toda  a vida, aos  seus filhos  e netos, peço a Deus que lhes  dê  força  para suportar  a perda  do grande Raimundo Adamor Picanço , o Wanderley,  com a certeza que  ele cumpriu, com  honra ao mérito, seu papel  aqui na terra .
Descanse  em paz meu amigo LASCA.

Atenção, motoras!

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 10/02/11 as 3:00 am

A rua Eliezer Levy agora é preferencial no cruzamento da
Mendonça Furtado

De que time é a camisa?

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 10/02/11 as 2:14 am

Raimundo Maia Barreto, o queridíssimo Cristiano, charlou no Largo dos Inocentes no dia do aniversário da cidade, com esta camisa que há 42 anos ele não tirava do baú.
Cristiano foi um cracão deste time. Jogava em todas as posições. Conta a lenda que certa vez ele cobrou o escanteio, correu e fez o gol.
Você lembra dessa camisa? Sabe qual é o time?

Gitas

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 10/02/11 as 2:10 am

Ilegal - Em reunião ontem com o governador Camilo Capiberibe e técnicos do setor mineral e de meio ambiente, o prefeito de Porto Grande, Antônio Bessa, contou que naquele município estão retirando ilegalmente seixo, pedras e areias. Segundo ele, a atividade ilegal tem provocado danos ambientais e prejuízos econômicos e sociais.

Ainda na prisão – O ministro Joaquim Barbosa negou esta semana habeas corpus com pedido de liminar inpetrado em favor do ex-presidente do Tribunal de Contas do Amapá, Júlio Miranda, preso no dia 10 de setembro na “Operação Mãos Limpas”. Hoje faz exatamente cinco meses que Miranda está preso.

Dengue – Não adianta só o poder público combater a dengue. A população precisa fazer sua parte. A maioria dos focos de dengue é encontrada nos quintais e em lixos domésticos.

Harry Potter – O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), integrará as comissões de Constituição, Justiça e Cidadania – CCJ, Relações Exteriores e Ciência e Teconologia do Senado. Como suplente, fará parte das comissões de Assuntos Econômicos, Assuntos Sociais e Educação. A decisão foi tomada durante planejamento estratégico do seu mandato em janeiro e assegurada ontem em Brasília pela representatividade do PSOL na casa.

Transparência – Já está no ar o Portal Transparência do Governo do Amapá. O Portal foi lançado ontem à tarde, em solenidade no Palácio do Setentrião. Méritos para o jovem diretor-presidente do Prodap, Alípio Junior. O endereço é http://www.transparencia.ap.gov.br
Vale lembrar que quando João Alberto Capiberibe era governador ele colocou as contas públicas na Internet e é dele a “Lei da Transparência”, projeto que apresentou quando era senador. O filho Camilo Capiberibe, hoje governador, segue este bom exemplo do pai.

Poesia – Hoje tem poesia na boca da noite.  Das 17h às 19h na Praça Zagury (defronte da TOP),  os poetas e amantes da poesia estarão reunidos comemorando os 79 anos de idade do professor Antônio Munhoz. E quem teve o privilégio de ser aluno deste grande mestre também está convidado.

Alfarrábios - A Confraria Tucuju realiza, nesta quinta-feira (10), o lançamento do  livro “Folhas soltas do meu alfarrábio – Um livro para meus filhos”, do escritor Elfredo Távora. A obra é dedicada aos filhos do autor, George Ernesto, Luiz Edmundo, Ana Cláudia, Carlos Roberto e Paulo Sérgio. O evento acontecerá às 17 horas, no pátio interno do Cine João XXIII, localizado no prédio da Diocese de Macapá, com entrada pelo Largo dos Inocentes.

Empreendedorismo – A deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP) apresentou terça-feira   Projeto de Lei que institui o dia 19 de novembro como sendo o Dia Nacional do Empreendedorismo. “A idéia é criar uma oportunidade para que instituições, universidades, empresários e a sociedade em geral promovam atividades de promoção ao empreendedorismo e a inovação”, disse Fátima.

“Bença, madrinha”

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 10/02/11 as 1:58 am

Zilah Porpino, com o tataraneto Lucas no colo, ladeada pela filha Marly e bisneta Brunna

Minha madrinha de batismo – ou como dizia o poeta Isnard, “madrinha de água benta”- Zilah Floresta de Souza Porpino completou ontem 92 anos de idade, alegre e cheia de vida, rodeada por filhos, netos, bisnetos e tataraneto.

Ah, como eu gostaria de estar pertinho dela festejando a data, celebrando a vida. Bateu aquela vontade de abraçá-la, beijar sua face, acariciar seus cabelos e dizer “bença, madrinha” . Em troca eu receberia seu carinho e um largo sorriso. E ouviria histórias da época que ela morou em Macapá e, com certeza, ela me contaria muitas coisas bonitas dos meus pais, seus compadres, Alcy e Delzuite.

Madrinha Zilah sempre foi uma mulher elegante, conversadeira e alegre. Dela só tenhos boas lembranças. Doces lembranças. Tão doces como um bolo confeitado que ela me deu cheinho de bombons.
Eu estava fazendo seis anos. Meus pais fizeram uma festinha pra comemorar. Zilah presenteou-me com o bolo confeitado. Era um bolo lindo: branco, azul e róseo. Depois dos parabéns, quando parti o bolo –  surpreeeesaaaaa! Ele estava recheado de bombons. Parecia mágica. Minhas coleguinhas ficaram encantadas e eu também. Nunca tínhamos visto nem comido um bolo recheado de bombons. Aliás, daquele tipo foi o único que vi em toda minha vida. Talvez por isso, a lembrança desse bolo ainda esteja tão viva quase 50 anos depois. Entre uma camada e outra, havia um recipiente feito com uma massa doce e branca cheinho de bombons de frutas – que no sul chamam balas. Quando cortei apareceu aquela enorme quantidade de bombons, embrulhadinhos em seus papéis originais. Daí passamos a chamar para as balinhas de fruta de “bombom do bolo da tia Zilah”.

O mano Alcione comentou ontem no blog Repiquete que lembra as conversas de Zilah com mamãe, com muitos cafés e risadas no fim da tarde na nossa casa. Eu também lembro. E muito! As duas, em cadeiras de balanço no pátio ou na calçada, tomando café, conversando e rindo.
Certa vez, Zilah chegou de Belém e, claro, um dos primeiros compromissos dela era o fim de tarde em demorada e alegre conversa com mamãe. Logo  mamãe me avisou: “Tome banho cedo e se arrume que sua madrinha chegou e vem nos visitar.” Avisei para as coleguinhas que naquela tarde só poderia brincar até às cinco. Quando madrinha chegou eu ainda estava no banho. Me arrumei, me perfumei e fui lá fora falar com ela. As duas nas cadeiras de balanço colocando os papos em dia e rindo, como sempre. Me aproximei, tomei a bênção (bença, madrinha), ela me abraçou, me beijou, me fez perguntas sobre a escola, depois abriu o cordão que tinha no pescoço, tirou dele o pingente e me deu, dizendo que não teve tempo de comprar um brinquedo, mas me presenteava com uma jóia que duraria muito mais que uma boneca ou panelinhas. Até hoje tenho esta jóia. É uma estrela de ouro amarelo com um pequeno rubi no centro. Dizem que uma jóia é para sempre, mas para sempre mesmo é o afeto que tenho por Zilah.
Bença, madrinha. E que Deus lhe dê ainda muitos anos de vida.

(PS – Meu padrinho José Porpino foi alto funcionário do então Território Federal do Amapá. Morreu há muitos anos quando estava sendo operado de um aneurisma em Belém)

Cinco gerações – Zilah com a filha Marly, netas, bisnetas e o tataraneto

Tarifa de ônibus – a briga continua

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 10/02/11 as 1:56 am

A Prefeitura de Macapá, por meio da Procuradoria Geral do Município, ingressou ontem,quarta-feira,  na 1ª Vara Cível da Comarca de Macapá, com pedido de impugnação da perícia que solicita reajuste da tarifa de ônibus para R$ 2,57. Atualmente, o valor da passagem de ônibus na capital é de R$ 1.90.

A PMM tinha dez dias para se manifestar sobre a perícia feita pela perita Maria Angélica, a pedido do Sindicato das Empresas de Transportes do Amapá – Setap. Contudo, o pedido de impugnação foi feito antes mesmo do encerramento do prazo, com base em uma série de inconsistências encontradas na perícia do Setap, entre elas, a inclusão de custos com a bilhetagem eletrônica e encargos com o sistema.

Paralelamente ao pedido de impugnação, o procurador geral do município, Riano Valente, informou que a Prefeitura de Macapá juntou um estudo tarifário feito por uma especialista em transportes urbanos, onde aponta o valor atualizado da tarifa de ônibus em Macapá até fevereiro deste ano a R$ 2,16. O estudo também será encaminhado à Câmara de Vereadores.

Valente disse que a Prefeitura de Macapá e a Câmara de Vereadores querem implantar um valor justo socialmente para a tarifa de ônibus na capital. “Queremos também implantar o calendário tarifário para que essa questão de reajuste não acabe sendo decidida na via judicial. O município quer decidir o reajuste, sempre com o aval da Câmara de Vereadores”, observou o procurador.

A Prefeitura pede também à justiça a realização de uma nova perícia para apontar o real valor da tarifa de ônibus. Desta vez, feita pela Polícia Técnico-Científica do Amapá. “A Politec tem peritos especialistas nas áreas contábil e financeira que podem fazer uma perícia totalmente isenta”, concluiu o procurador.
(Texto: Volney Oliveira, da Ascom-PMM)

Um vovô “arteiro” e coruja

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 10/02/11 as 1:44 am

Depois que virou vovô, José das Graças Torres, o polêmico Matta, deixou a sensibilidade aflorar. E assim descobriu que tem talentos para outras artes, além de pintar o sete no carnaval. Se descobriu compositor de samba-enredo e domingo passado, no ensaio do Piratão, foi apresentado – com direito a uma enorme faixa – como o compositor revelação da sua querida escola de samba Piratas da Batucada.
O amor a neta Maria Eduarda fez dele poeta. E hoje, quando Maria Eduarda completa quatro aninhos, o vovô coruja fez este poema para ela:

Te agradeço
(José das Graças Torres, o Matta)

Te Agradeço
Maria Eduarda
Por você existir.
Por ser pequenina e frágil
Porém,
capaz de transformar a minha vida.
Quem pode ficar indiferente
diante da força de seu carinho
De sua ternura
De sua inocência?

Sou melhor
Com você
E por você

Maria Eduarda
Você veio ao mundo
Como uma anjinha pura
E tem um futuro a brilhar
Eu te asseguro
E até juro
Que alguns dos teus furos
Eu vou perdoar

Minha Querida
A felicidade está aqui
Nesta vida
Estou feliz por ti
De agora e por toda tua mocidade
Serás a minha Eterna Felicidade.

A netinha do Matta, Maria Eduarda, recebendo o carinho do governador Camilo

Ação de combate a dengue

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 10/02/11 as 1:42 am

Técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) realizaram nesta quarta-feira, 9, blitz educativa em vários pontos das cidades de Macapá e Santana. O trabalho marcou a mobilização pelo Dia Nacional de Combate a Dengue.

A blitz ocorreu das 8h às 14h, com distribuição de panfletos educativos e de abordagens sobre os riscos que a dengue representa. O objetivo foi sensibilizar a população quanto o eminente perigo que a dengue representa para a saúde das pessoas.

O Amapá, segundo dados do Ministério da Saúde (MS), aparece em situação de alto risco no mapa dengue no país. Em Macapá, as localidades com maior número de notificações da doença foram o Distrito de Fazendinha e os bairros Santa Rita, Buritizal, Congós, Novo Horizonte, Jardim Felicidade, Brasil Novo e Marabaixo.
Além da capital, os municípios de Santana e Oiapoque também aparecem na lista de notificações e casos confirmados de dengue. Este ano, já foram registrados 75 casos de dengue em Macapá, enquanto que Oiapoque aparece com 86 casos da doença e Santana não apresenta registro de casos confirmados no sistema do MS. Em 2011, conforme estatística, não houve nenhuma morte por dengue hemorrágica.

(Texto: Edy Wilson Silva, da Secom-Governo do Amapá)

Presidência da AL será decidida no tapetão

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 10/02/11 as 1:15 am

“Equívoco precisa ser reparado”, diz Jaci Amanajás
Fernando França, no jornal “aGazeta”

Pelos corredores da Assembleia Legislativa, o caso sobre a eleição da Mesa Diretora é o principal assunto nas rodinhas de assessores que se formam antes e durante as sessões parlamentares. Já ocorre inclusive, apostas sobre quem presidirá a AL de fato e de direito. Se o atual presidente Moisés Souza (PSC) ou o deputado Jaci Amanajás (PPS). O fato é que o caso será decidido mesmo no tapetão.

Se a decisão no Tribunal de Justiça for favorável ao deputado Dalto Martins (PMDB) – autor do agravo regimental ajuizado contra a liminar do desembargador Agostino Silvério que o afastou da presidência da Casa – Moisés Souza recorrerá ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Se não for favorável, o próprio deputado Dalto Martins é que vai recorrer ao STJ.

Para o deputado Jaci Amanajás, o Tribunal de Justiça precisa corrigir um equívoco cometido na liminar que afastou Dalto Martins e deu lugar a Maria Góes (PDT) na condução da sessão preparatória de eleição e posse da Mesa Diretora da AL. “Foi aí que começou tudo. A questão na eleição na AL era ‘intracorpos’, tinha que ser decidida pelos próprios deputados”, disse Amanajás durante entrevista exclusiva à reportagem de a Gazeta em sua residência, lembrando que nenhum Poder pode interferir na independência do outro.

Sobre o julgamento do agravo regimental pelo pleno do Tjap, Jaci Amanajás preferiu não comentar o assunto, alegando que prefere aguardar a decisão final da apreciação do mérito. No entanto, enfatiza que o “equívoco” precisar ser reparado.

Se a palavra equívoco vem sendo bastante reproduzida pelos 15 deputados que questionam a legalidade dos atos da mesa durante a eleição e posse dos membros da executiva, ela agora é uma forte aliada dos mesmos parlamentares. O próprio relator do agravo regimental ajuizado por Dalto Martins, desembargador Luiz Carlos Gomes dos Santos, se cerca da mesma palavra para nutrir seu voto, sustentando que a liminar que afastou Martins não deveria ser concedida, “tendo em vista ter sido equivocada”, segundo o desembargador.

Ainda de acordo com o voto de Luiz Carlos, a liminar concedia a Maria Góes, “confundiu a renúncia de mandato de parlamentar com a renúncia de cargo da Mesa”. Em outra ponta, sobre a renúncia de Jorge Amanajás do cargo de presidente da Assembleia Legislativa, o desembargador sustenta em seu voto não haver “estipulação regimental, e por isso, pode o renunciante (Jorge Amanajás) vale-se de qualquer meio”.

A renúncia de Jorge Amanajás ocorrerá, segundo Dalto Martins, por meio de uma carta endossada por cinco membros da antiga Mesa Diretora da Casa, documentos que agora estão sendo analisados pelo pleno do Tribunal de Justiça.

Em tempo, Jaci Amanajás era candidato a presidente da Mesa e teve o registro de sua chapa indeferido por Maria Góes, que presidiu – sob a tutela de uma liminar – a eleição para presidente do legislativo. A cassação dessa liminar é que está sendo julgada no pleno do Tribunal.