Alcinéa Cavalcante

Liberdade de expressão!
Macapá - Amapá

Chuva e poesia

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 18/02/11 as 11:30 pm

Mesmo com chuva fizemos poesia na boca da noite na Praça da Bandeira. Montamos um varal, declamamos, falamos de grandes poetas, como Cecília Meireles, Drumond, Alcy Araújo, Isnard Lima, Eliúde Viana e tantos outros. Recebemos a chuva como um carinho de Deus, o que nos inspirou a fazer poesias molhadas de tarde e iluminadas pelos relâmpagos que fotografavam a Praça.
Desta vez o grupo foi pequeno, vários poetas e amantes da poesia tiveram receio de encarar a chuva e pegar um gripe, mas, por telefone mandaram avisar que na próxima sexta-feira com ou sem chuva farão poesia na boca da noite.
Olha como foi a poesia na Praça da Bandeira hoje:

Polícia prende sequestradora do indiozinho no bairro Açaí

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 18/02/11 as 4:57 pm

As polícias Federal, Militar e Civil conseguiram prender agora há pouco a mulher que sequestrou um indiozinho semana passada na Maternidade Mãe Luzia.
Tanto a mulher como o bebê indígena foram levados para a sede da Polícia Federal em Macapá. Daqui a pouco, a sequestradora que tem 40 anos, começará a prestar depoimento.
O bebê, filho de  Serinã Wãiapi, da aldeia Aramirã, nasceu às 4h30 de quinta-feira, 10. No mesmo dia, logo depois do almoço o bebê foi roubado do leito E da Enfermaria 4 da Maternidade Mãe Luzia.
De acordo com testemunhos de pacientes, a ladra entrou na enfermaria, fotografou vários bebês e pegou o indiozinho. Saiu com ele pela porta da frente da Maternidade sem ser importunada por ninguém.
Investigações da PF e uma denúncia anônima levaram as polícias ao paradeiro da mulher que estava hospedada numa casa do bairro Açaí.

Poesia na boca da noite

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 18/02/11 as 10:40 am

“Onde não há poesia a vida pesa como chumbo”
(Manoel Bispo)

Poetas e amantes da poesia estarão reunidos hoje, das 17h às 19h na Praça da Bandeira, para falar, dizer e declamar poesias.
Se você gosta de poesia você está convidado para participar destes momentos que são especiais, alegres, descontraídos e fazem tão bem à alma.
Se você é poeta leve sua poesia, declame para o grupo ou coloque-a no varal. Sim. Vamos montar um varal de poesias hoje.
Qual seu poeta preferido? Leve uma poesia dele para compartilhar com o grupo.
Então está combinado. Às 17h nos encontraremos na Praça da Bandeira para fazer “poesia na boca da noite”.
Esta é a sexta edição do “Poesia na Boca da Noite”. Cada semana fazemos num lugar. Já fizemos na calçada da minha casa, Orla do Santa Inês, calçada da casa do César Bernardo, Largo dos Inocentes e Praça Zagury. Na semana passada teve até bolo confeitado, ofertado pela Solange Brandão, para comemorar o aniversário do professor Munhoz.
Eis algumas fotos das edições anteriores: