Alcinéa Cavalcante

Liberdade de expressão!
Macapá - Amapá

Dia: 14 de abril de 2011

Ministro da Integração visita o AP amanhã

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 14/04/11 as 8:06 pm

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, visita o Amapá amanhã para ajudar os municípios atingidos pela cheia.

O ministro vem a convite do senador Randolfe Rodrigues (PSOL). Ele desembarca em Macapá às 14h10 e será recepcionado pelo governador e pela bancada federal.

Às 14h30 ele reúne com o governador, alguns secretários de estado, parlamentares, prefeitos, dirigentes do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e outros órgãos de defesa civil.
Às 16h ele concede entrevista aos jornalistas amapaenses no Palácio do Setentrião.

Guarda municipal invade Prefeitura

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 14/04/11 as 6:18 pm

Em greve desde o dia 15 do mês passado, cansados de esperar que o prefeito Roberto Góes atenda suas reivindicações, os guardas municipais invadiram agora há pouco o prédio da Prefeitura de Macapá.
Contidos no hall de entrada pelos seguranças, os guardas tentaram avançaram mais e começou a troca de sopapos entre eles e os  seguranças.
A Polícia Militar foi acionada e houve conflito entre os policiais militares e os guardas municipais, foi preciso a interferência do Bope para controlar a situação.
Neste momento, depois que uma comissão foi recebida pelo prefeito, os guardas começam a deixar a sede da Prefeitura.
Vão fazer uma assembléia geral para decidir se a greve continua ou não.

O diretor de Comunicação da Prefeitura, jornalista Cléber Barbosa, disse ao blog que houve muito empurra-empurra entre guardas municipais e policiais militares, mas que ninguém saiu ferido.

Saiba quais são as reivindicações da Guarda Municipal clicando aqui

Artigo

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 14/04/11 as 3:40 pm

Banda Larga no Amapá: Mitos e Verdades
Fábio Renato Alves de Souza*

Há um debate atual e necessário no Amapá sobre como garantir a conexão de Internet de qualidade no estado, comumente conhecida como “banda larga”. Como a BrasNet Online – BNO é a pioneira no ramo, tendo disponibilizado a Internet no Amapá em 1996, gostaria de opinar sobre o assunto.

Para compreender o a situação é importante diferenciar a conexão das operadoras com a internet (conhecida como “backbone”) e a conexão destas com os usuários, (denominada “última milha”).  Há aproximadamente dez anos, o problema a ser superado era o de última milha, pois a única forma barata de aos lares era através do cabo telefônico das operadoras de telefonia fixa, que tinham limitação física de conexão de 64 Kbps. A superação desse limite foi o divisor de águas entre o que se chamou narrow band (banda estreita), de broad band (banda larga).

No Amapá, terra de contrastes, sempre tivemos a possibilidade real de ativar a última milha com banda de até 50 Mbps no usuário final, ou seja, muito melhor do que a interligação via telefonia fixa. Mas os custos do backbone via satélite impossibilitavam a oferta de serviços a preços competitivos. Um verdadeiro paradoxo: sempre tivemos a possibilidade de entregar bandas muito superiores às que se comercializa no Brasil, mas não conseguíamos preços competitivos no backbone.

A banda ofertada no Amapá sempre foi cara e com qualidade baixa. Portanto, só seria possível atender ao usuário, como nas demais cidades brasileiras, cobrando mensalidades acima de R$ 2 mil, inviabilizando qualquer usuário residencial de comprar o serviço. Essa situação aproximou a BNO da Norte Tecnologia em Comunicação – NTC, fundada em 2005. Juntas iniciaram um projeto alternativo ao backbone via satélite, buscando interligação terrestre.

A primeira etapa deste projeto está sendo concluída. Nesta primeira fase foi criado um backbone terrestre com condições de ampliar a capacidade atual, que possibilitava atender cerca de 3 mil residências, para atender mais de 20 mil. A capacidade que a empresa possuía foi ampliada em quase 30 vezes. Hoje  temos como atender, no mínimo, a banda consumida no estado inteiro multiplicada por 5.

É importante ressaltar que esta ligação terrestre é efetuada por meio de rádios de última geração, com redundância para assegurar estabilidade à conexão e com garantia de qualidade similar à interligação via cabo de fibra ótica. Aliás, um dos mitos da banda larga no Amapá é que a sua solução só seria possível via cabo. Há diversas cidades no Brasil, algumas com populações superiores a do Amapá, que são conectadas com banda larga de excelente qualidade via rádio. Cidades como Campinas e Guarulhos, no Estado de São Paulo, que possuem cada uma mais que o dobro de habitantes de todo o Estado do Amapá são interligadas com grandes backbones de rádio.

Foi entregue a primeira fase do projeto. As demais, cujos trabalhos se encontram bastante adiantados, estão sendo executadas para que o Amapá nunca mais fique com seus canais de backbone estrangulados. Esses investimentos são necessários para inserir o estado no contexto nacional, com fortalecimento do setor de infraestrutura de telecomunicações, para que possa atrair empresas e desenvolvimento para nossa gente.

Estamos convictos de que a responsabilidade de trazer a banda larga é nossa. Hoje, realizamos um sonho que vem sendo construído com muito trabalho, por muita gente, e por um longo tempo. Sabemos que é um sonho comum não somente das pessoas que trabalharam direta ou indiretamente neste projeto. Sabemos que é um sonho comum da população do nosso Estado, de ter um serviço digno, respondendo a um direito que cada vez mais se torna imprescindível em nossas vidas: A Internet.

*Fábio Renato Alves de Souza é empresário da BNO em Macapá, o primeiro provedor de Internet no Amapá

Poesia na boca da noite

Postado por: Alcinéa Cavalcante em 14/04/11 as 1:25 am

A poesia vai espalhar lirismo e ternura amanhã, sexta-feira, no tradicional bairro do Laguinho.
O Movimento Poesia na Boca da Noite estará na calçada da UNA defronte da Escola Azevedo Costa.
Das 17h às 19h poetas e amantes da poesia estarão naquela calçada declamando poemas, conversando sobre poesia e poetas,  falando de literatura, ternurando e alegrando a boca da noite.
Nunca é demais lembrar que qualquer pessoa pode participar – poeta ou não – basta gostar de poesia. E se você escreve, mas deixa seus escritos guardadinhos numa gaveta ou num pen-drive, tá na hora de perder a timidez e libertar sua poesia. Vá lá. Mostre para o grupo os seus versos, declame ou pendure no varal.
Se você não escreve, leve uma poesia de seu poeta preferido para colocar no varal ou para declamar.
Não tem tempo de escolher uma poesia? Isso não é problema,  não te impede de participar. Você vai lá, assiste, conversa, se enturma e duvido que não vai querer participar nas próximas sextas.
Então, estamos combinados: sexta-feira, das 17h às 19h, tem poesia na boca da noite na calçada da UNA, bem defronte da escola Azevedo Costa.

Rui do Carmo confirma participação

O poeta paraense Rui do Carmo, autor de vários livros e idealizador do movimento Extremo Norte, está em Macapá e já confirmou que participa nesta sexta do movimento Poesia na Boca da Noite.
Rui agita o movimento cultural em Belém promovendo saraus, encontros de poetas e palestrando sobre literatura na Amazônia.

Administrador e poeta, ele é apaixonado pela cultura amazônica.  A problemática da região e a natureza – bem como o amor – são constantes em sua poesia.
Dentre suas obras, o blog destaca “Trincheiras”, seu terceiro livro de poemas, e “Canto do Curumim”.