Alcinéa Cavalcante

Comentários

  1. Elvis Araújo disse:

    Gente, o pessoal do BPTRAN não possui nem bafômetro para realizar prisão em flagrante de motorista conduzindo um veículo automotivo, como vai a EMTU impedir o estacionamento na orla, como a Alcinéia advertiu, a pessoa estaciona perto, enche a cara e depois sai em seu veículo para mais uma noite de atrocidades.

  2. Antonio Carlos disse:

    Alcinéia moro em Laranjal do jari. Seus textos jornalístico sintetiza muito bém os bartidores goepolítico amapaense me deixa mais informado no contexto regional,parabéns.

  3. Ernesto Junior disse:

    Acho correto essa proibição na orla e concordo com você quanto a questão de não diminuir o número de acidentes em nossa cidade. Creio que com a intensificação de mais Blitz em ruas importantes da cidade seja um ponto vital para recolher os motoristas imprudentes que por sinal são muito aqui em Macapá infelizmente.

  4. Luiz Araujo disse:

    Será que essa medida é constitucional??? algum jurista poderia esclarecer ai??? A alegação deles é que aquela parte da orla é área de segurança…? Vai entender!
    .
    Realmente essa medida só vai diminuir a poluição sonora (naquele lugar), mas diminuir os acidentes que é bom…NADA!…

  5. Lorena disse:

    Só quem mora por lá vai entender… É fácil querer fazer bagunça na frente da casa alheia.. Quer ouvir som alto? Se tranca com caixa e tudo dentro do seu banheiro!!… MEDIDA EXCELENTE!

  6. pelo visto esse acadêmico ai não entendeu o que eu quis dizer. Não to falando que a Alcinea colou de mim e sim que o texto tava com a assinatura da EMTU e não a minha, que produziu o texto. Foi apenas um engano, ja corrigido. Entendeu agora???

  7. Meg disse:

    Alô , Alô Prefeito Roberto mande tampar os buracos da Rodovia Duca Serra,só hoje pela manhã ouve dois acidentes devidos aos muitos buracos por lá. O fluxo de carros e muito grande.
    Desculpe Alcinéa por eu usar o seu blog. Para pedir por favor ao Prefeito tapa os buracos a rodovia.

  8. Alcinéa, mas uma vez você vem com essa:”isso aquí é blog”, vou de esclarecer que o que está na internet é público, está sujeito a diferentes respostas, ofensivas ou não, na internet não existe nada pessoal, tudo é público. O engraçado é que você adora ofender os outros e dar lição de moral, mas quando você diz que alguém teve uma idéia de JERICO, aí pode.
    E antes que você venha com aquela, “então porque acessa meu Blog” vou te respoder que não serei uma figura carimbada do seu blog, pois quem acessa já sabe de có, todos os comentaristas e as tendências políticas.
    Só mais um detalhe: não publica isso viu?

    • Alcinéa Cavalcante disse:

      Você não entendeu nada.
      Eu não disse que não é público. Eu disse apenas que isto não é uma empresa jornalística.
      Será que é tão difícil entender a diferença entre blog e empresa?
      P.S. – Quando você posta na caixa de comentários sua mensagem é publicada. Quando você não quiser que seja publicada mande por e-mail.

      • vinícius disse:

        Alcinea, o fato de fazer ressalvas quanto a atuação política do vereador Clécio, não me faz tomar partido.Estou sendo apenas um cidadão crítico.Não tenho partido nem cargo político. Sou um simples funcionário público. Mesmo sendo um blog, em que vc emite suas preferências políticas,não precisava humilhar a moça. Apesar da mensagem dela ter sido realmente debochada, mas não desprovida de uma reflexão sobre a foto. Qualquer político, seja de que tendência for tem que ser fiscalizado.Obs:Já votei no Clécio, agora nunca mais.

    • Zanjo Goulart disse:

      Sem meter a colher no mérito da discussão, só caráter complementar: Um Blog é um registo cronológico de opiniões, fatos, imagens ou qualquer outro tipo de conteúdo que o autor queira disponibilizar. Existem muitos Blogs, a expressão “Diário virtual” para descrever blog é a mais usada no Brasil.

  9. acadêmico disse:

    Cara alcinéia, na realidade, pelo conteúdo da matéria o foco principal não é diminuir o numero de acidente nem o consumo de alcoool, mas sim a poluição sonora causada aos moradores da orla do Santa Inês. E neste caso será eficiente pois as pessoas na verdade querem é mostrar a potencia de seus aparelhos de som e chamar a atençaão das piriguetes em um local de boemia e grande movimentação. não que esta norma impessa de se esfolar o som em outro local, proximo ou não.

  10. Moises Quaresma disse:

    Mais uma vez vejo a EMTU, dando forte atenção ao assunto estacionamento,parece que é somente este o seu papel, o restanto do transito que se dane.
    Mas eu sei, guincho, curral e multa da um boa grana.

    • Ana disse:

      pois é, a EMTU, a prefeitura, só pensam nisso, cadê que pensam em planejar o trânsito da cidade, em rotatividade, em vias, e cadê que a prefeitura pensa em tapar os burracos, só querem saber de ARRECADAR, e o RETORNO PARA POPULAÇÃO NADAAAA!!! Daqui a mais pouco tempo teremos que estacionar na cabeça do prefeito, da emtu,do governador….

  11. Juliana Marques disse:

    Acho iniciativa muito boa sim. Acredito que já inibe um pouco. Lógico que não é a solução, mas já é um dos muitos passos a serem tomados.

  12. adriano disse:

    Aproveitando a deixa, sugiro que que a Beira Rio (Azarias Neto) seja fechada nos fim de semana (Sabado ou Domingo), pelo menos durante o dia, para favorecer o lazer (a exemplo da praia de Copacabana), onde as atividades como passear de bicliteta, patins, skate e outras possam ser desenvolvidas com segurança.

  13. João Lages disse:

    Não é uma medida para por fim aos problemas, mas vejo com muito bons olhos a iniciativa, pois em minha opinião mostra a boa intenção em resolvê-los. É claro que teríamos de adotar outras medidas (talvez mais enérgicas, quem sabe), que com o tempo certamente virão. Entretanto, deve-se levar em conta que, via de regra, a liberdade individual não pode ser restringida sem uma boa razão e com muita prudência. Bom domingo a todos.

  14. Zanjo Goulart disse:

    Concordando com Alcinéa e apimentando um pouco mais… O correto seria fiscalizar, assim é fácil. Pagamos impostos e somos vitimados com proibição de usar vaga pública destinada aos veículos. Como pode?! Quer dizer, pagamos pra receber
    “recomendação” de não usar vagas porque o poder público não consegue fazer seu trabalho! Bonito hein!

  15. Herialdo Teixera disse:

    Barco pode?

  16. Subitamente disse:

    Se for uma medida que, realmente, a aplicação se efetive.ok. Pois, quando começaram a aplicar multas nos desmandos das empresas que extraem seixo de Porto Grande, os telefonemas iniciaram. UMA DICA: A polícia deveria iniciar investigação e colocar grampo nos fones de órgãos fiscalizadores, não para fiscalizar os trabalhadores desses orgão, mas para tentar inibir telefonemas no meio do expediente solicitando a liberação de licenças dos AMIGOS…

  17. Vasconcellos disse:

    Qualquer medida do poder público que venha para por limites a esses perturbadores do sossego público é bem vinda e têm de ser incentivada. Esses ridículos senhores(as) acham que vivem numa ilha e que podem perturbar o sossego alheio em altas horas. Outra medida salutar do poder público seria fazer uma chamada nesses IGREJAS EVANGÉLICAS( ou será caça níqueis?) que pensam não haver vizinhança e que vivem a bradar o evangelho em alto som. Quero alertar as nossas autoridades que o DIREITO DE VIZINHANÇA existe no ordenamento jurídico e que há que se respeitar as crenças das pessoas. Perto aonde resido general rondon com a Padre Júlio, em frente a uma escola de linguas chamada PBF, há uma igreja evangélica que fica até altas horas perturbando o sossego da vizinhança. Parece que não trabalham e nem acordam cedo para ganhar a vida e nem respeitam crianças e idoso que ali perto residem. Uma afronta e uma falta de respeito com os ouvidos dos outros.

    • José Seixas de Oliveira disse:

      Concordo que a limitação da emissão de som deve ser estendida a todos os casos. Como evangélico, também concordo que as igrejas que se excedem no volume, devem sofrer as penas da lei, assim como qualquer pessoa que abuse do som em festas residenciais, bares, boates ou shows artísticos em locais abertos. Deus não é surdo. Nem nós (ainda). Moro no Santa Inês e sei bem dessa realidade. O volume alto está quase sempre relacionado ao consumo exagerado de bebidas alcoólicas. Ao final da bebedeira, é normal ver os motoristas completamente embriagados assumindo o volante. Realmente a fiscalização deve funcionar, e adotar-se uma regulamentação efetiva através de lei municipal, para, inclusive, apreender o equipamento em caso de abuso.

  18. Luiz Araújo disse:

    Grande solução!…essas autoridades só podem ter aquilo na cabeça…sábado que vem a galera do beber, cair e dirigir já arranjam outro lugar para ficarem e as cagadas vão continuar…a única solução é aumentar a fiscalização…A inteligência dessas autoridades de Macapá é impressionante!..e ai? será que depois eles vão querer proibir o estacionamento em todas as ruas da cidade??? ou melhor coloquem logo o toque de recolher ai sim a gente consegue acabar com os acidentes da nossa cidade…a partir das 00:00 horas ninguém mais poderá sair nas ruas…boa ideia…só em Macapá mesmo!!!

  19. lari disse:

    Achei de uma grande demagogia a foto que vc colocou do vereador tocando tambor!!é pra rir uma pra chorar??kakakakakakak!!

    • Alcinéa Cavalcante disse:

      Nem pra rir nem pra chorar, mas pra saber quem incentiva a nossa cultura.
      Talvez você não conheça – e portanto não valoriza – a cultura amapaense, daí que não sabe que isto não é um tambor, mas uma caixa de marabaixo.

      • tita disse:

        Muito boa resposta Alcinéa,é preciso reconhecer valores, independente de partidos e preferências pessoais.

      • vinícius disse:

        Alcinéa,não é por aí. Mas seria mais prudente de sua parte não tomar partido dessa maneira. O citado vereador, apesar de apoiar a cultura,já deu mostras de que vai se tornar um político raposa velha. Vide as inserções dele nas nas últimas eleições para o governo e, agora, o seu apoio à venda de bebida alcoólica de madrugada. Você não precisa se expor desta maneira, para assim manter a sua independência e credibilidade jornalística. Um grande abraço poetisa.

        • Alcinéa Cavalcante disse:

          Por que que eu não posso tomar partido e você pode?
          Ah, outra coisa: isso aqui é um blog (b-l-o-g = blog) e não uma empresa jornalística.
          Bom domingo.

    • sgt kleber disse:

      Kkkkkkkkkkk!!!!! Dá zero pra ela professor girafales!!! Boa alcineia, tolerância zero!!!

    • acadêmico disse:

      Tá bom ou vai mais um pouco?

  20. Fabio disse:

    Bom dia, Alcinéa
    A respeito da proibição de estacionar o carro na orla acho rídiculo e de extrema falta de respeito com a população que já não tem direito a lazer, pois o que nos falta na capital é opção acessível a população em geral. Tenho convicção que o que falta é um choque de gestão na área da segurança pública não falo só da Segurança emanada do Estado, mas também do Município, tem que ser feito blitz nesses locais, digo não só nesses locais, mas nas frentes das boates onde o número de veículo com motoristas alcoolizados é maior, tanto a SEJUSP como a EMTU tem que realizar blitz educativas para depois passarem a realizar blitz repressiva, cadê os bafômetros porque não colocam pra funcionar nesses locais durante essas blitz, vamos colocar o Batalhão de Trânsito pra realizar esses plantões, através das blitz, cadê a EMTU?; Não adianta proibirem, qto mais fazerem isso pior fica, o número de acidentes não vai diminuir, tenho certeza disso, o que falta é choque de gestão, pois até hoje a EMTU não cumpre seu real papel, conforme preconiza sua legislação e muito menos a Polícia, que com esses assaltos em agências bancárias está ficando cada vez mais descredibilizada. Com a palavra o sr. Governador e Prefeito da Capital.

  21. Não gostei nenhum um pouco, como é que agora vou ouvir minha música na beira do Rio Amazonas ? e olha que gosto de ouvir a música bem alta, os incomodados que se mudem.

    • José Seixas de Oliveira disse:

      Eu também gosto de ouvir uma (boa) música. O problema que esse pessoal da orla não ouve música. É só barulho (tum-tum-tum…) e quase sempre sem qualidade de som. Como músico, não me vejo no direito de obrigar ninguém a ouvir a minha música, e fazer do ouvido dos outros, penico. Quando quero ouvir minhas músicas preferidas bem alto, uso um aparelhinho chamado fone de ouvido. Aí eu não incomodo ninguém. A música é prazer, e não perturbação.

    • Roberto disse:

      Caro Wanderley Trindade, não sei quantos anos vc tem, mas sua opinião é muito infantil!
      Se você quer ouvir som alto, vá pra a sua casa, tranque as portas e estoure os tímpanos a vontade. Oque vc não pode (nem sendo uma autoridade), é forçar os outros a ouvir oque você gosta, e de tirar o sossego alheio. Valeu amigo.

  22. sgt kleber disse:

    A proibição se dá a partir da meia-noite, portanto em nada afetará o turismo, pois as agências oferecem o tour pela cidade normalmente até ás 23hs, quanto a necessidade da proibição, vejamos:
    1- A policia de trânsito nada pode fazer a um veiculo ou condutor que esteja estacionado, a menos que o estacionamento seja irregular, com de fato será a partir da meia-noite;
    2- Os flagrantes de poluição sonora são dificeis, pois o aparelho capaz de medir a intensidade do som, necessita de alguns minutos direcionado a fonte a ser aferida, e como sabemos a 1ª providência do proprietário é baixar o volume ao avistar a policia, restando apenas o trabalho de conscientização, q nada resolve em meio a pessoas mal educadas e sem respeito ao coletivo;
    O que espera-se com esta medida é diminuir a poluição sonora no local e a desordem por parte de seus frequentadores que após a diversão deixam um rastro de sujeira e urina no passeio público, quanto ao consumo de bebida alcoolica não esqueçamos que a area é povoada por bares, estes sim, ambientes proprios para tal consumo!

    • José Elia disse:

      Sargento, o senhor me desculpe, mais nunca vi em Macapá ou em qualquer outra cidade do Estado alguma Blitz de qualquer autoridade competente para inibir a pratica de álcool ao volante. Para mim isso não passa de uma atitude inútil e muito cômoda para as autoridades competentes em fiscalizar os abusos. Agredido que proibir estacionar em um local tão belo não vai impedir nem a pratica de som alto como também não vai impedir que alguém não dirija sob o efeito do álcool. Cabe as autoridades competentes fiscalizar e multar quem pratica essas infrações. Pois só atingindo o bolso de quem comete esses atos é que vai minimizar tais práticas. Agora se a PM ou qualquer outro órgão não tem competência ou condições para tal, a população de bem que não pode pagar por isso! E Proibir ali, só vai faze com que essas pessoas passem a fazer isso em outro local da cidade! É hipocrisia dizer que proibir estacionar em frente a cidade vai resolver o problema!!

  23. José Elia disse:

    Acho que é muito fácil proibir o direito de ir e vir dos cidadãos ao invés de investir em fiscalizações, isso não vai impedir que pessoas andem alcoolizados dirigindo, acredito que tal medida só prejudicará o turismo, que por sinal já é fraco, daqui a pouco a policia não vai deixarmos ir ao banco para que o mesmo não seja assaltado! Assim é muito fácil, e pior, a maioria tem de pagar pela atitude de uma minoria insignificante e irresponsável. Devemos todos entrar na justiça para garanti nosso direito e ir e vir!!

  24. Tio Ina disse:

    Excelente atitude. Não há como a Polícia fiscalizar plenamente a área todos os dias/noites. Haverá dimunuição do barulho e da poluição do Rio Amazonas. A natureza agradece.

  25. Carlos Picanço disse:

    Correto. Falta estender essa proibição a toda a orla.
    Falta eleger três ou quatro ruas de grande fluxo (FAB, Padre Julio, Leopoldo, Hamilton) e intensificar nelas a fiscalização.
    Não tem outra maneira, só rebocando carros, multando pesado, e pontuando na carteira…

  26. Glaucia Maders disse:

    Essa decisao tem várias interfaces: 1. atende um clamor da população residente (aliás, há um grande número de ocorrências no CIOSP por poluição sonora; 2. Possibilita aqueles que prezam pela saúde uma caminhada tranquila pelo local, sem ter que sair da calçada para desviar dos bêbados e ainda, ouvir gracinhas; 3. A limpeza do local também se tornará possível, pois os garis muitas vezes precisam interromper seu trabalho porque tem carros estacionados e pessoas ocupando o passeio; 4. infelizmente, ainda também tem pessoas que lançam o lixo no rio.
    Com relaçao a proibição em si, sabemos que não fará com que aqueles que ali estacionavam se dirigam mais cedo para suas casas. Vão eleger um novo point. O que precisa é endurecer a fiscalizaçao para garantir que embriagados não façam vítimas no trânsito. Precisamos resgatar a felicidade da diversão sem álcool ou pelo menos seu uso de forma moderada. Que tal tomar uma em casa, com os amigos, na tranquilidade do nossos lares?

  27. Professor Milionário disse:

    vai sobrar aqui pro posto da padre julio. e esses carros que nao param em lugar nenhum e acordam o bairro todo? multa? tem que ser de mil contos!

  28. ROQUE disse:

    Posso confessar uma coisa? adoro essas bagunças, desde que não sejam perto da minha casa.

  29. Meu amigo Cléo Araújo. Que bom ter sua presença, pena que eu não fui para a poesia da Boca da Noite, foi apenas meu amigo. Sexta-feira agitada na redação. Mas fica para a próxima!

  30. Victor Valentin disse:

    Em Macapá inventam de tudo. Desse jeito a gente acaba comendo merda por meio de uma Medida Judicial. Eu que não bebo não poderei nem estacionar por causa de quem bebe. 2012 é agora. Me mate um bode.

  31. racional disse:

    Muito boa medida, na orla fica cheio de carros com musicas de gosto duvidoso em alto volume, além dos veículos congestionar e tirar a visão da orla, é triste, se o tiririca fosse amapaense seria eleito governador.

  32. Raimundo Audir disse:

    Alcinea, será que os eleitores do seu blog lembram em quem votaram pra prefeito na última eleição????????????

  33. Sales Junior disse:

    Muito válido!!! O batalhão ambiental sempre vai na orla e pede pra baixar o som. Mas é só o batalhão ambiental sair que esfolam o som novamente!!! Atitude drástica, mas correta, em nome do sossego público…

  34. Carol Araújo disse:

    Pelo menos não vou passar o fim de semana escutando “techno bosta” e me acotovelar para caminhar pela orla. Uma coisa de cada vez, né? Já é alguma coisa para se comemorar…

  35. Fagundes disse:

    Criar mais uma lei pra se juntar às outras que não são cumpridas? Nada muda. E se os órgão “competentes” investissem de verdade para fazer cumprir a lei que já existe? Nessa bagunga, perde o cidadão de bem e ganham os filhinhos de papai continuam barbarizando pelas madrugadas da cidade. Salve-se quem puder…

  36. Paulo Roberto Gomes de Barros disse:

    O que esta faltando é fiscalização, para punir quem estar dirigindo embriagado e quem estaciona o carro e aumenta o volume som.

  37. cleo araujo disse:

    êi Jessíca… vai looooongeeee!

  38. cleo araujo disse:

    Para que pagamos impostos, inclusive o IPVA? Cadê o direito de ir e vir?

  39. Minha Nossa, isso um absurdo, tomara que quem deu a ideia, tenha uma frota de transportes para locomover as pessoas, os turistas que visitam a cidade;

  40. Romeu disse:

    VÁLIDO, alguma coisa tem que ser feita para pelo menos, educar ou reeducar aqueles que estão acostumados a beber e deixar seus equipamentos de som nas alturas incomodando aos que tem seu descanso merecido, molestado. A medida deveria ser efetivada em conjunto com a Policia Ambiental que sim deveria ter um posto ali constantemente, pois quando são chamados, raras vezes param para verificar e, pelo menos pôr a mão e se certificar se os aparelhos estariam ligados (isto se pode ter certeza quando o referido aparelho se encontrar com temperatura elevada, por exemplo). Uma viatura do Batalhão Ambiental constantemente naquele perímetro resolveria o problema. Fazendo isso, até mesmo a venda de bebidas pelos ambulantes poderia ser coibida. Embora o primeiro passo, que é este que se inicia hoje, seja impactante, no meu modo de ver, a população nunca iria ser punida com medidas que enalteçam os bons costumes. Bebidas em exagero, barulho na madrugada, brigas, mortes, exposição de cenas obscenas, atentado ao pudor, presença de menores, interrupção do sono e descanso de famílias, crianças, idosos, doentes, enfim toda uma comunidade, isto sim que é punição à população. Os fatos que ocorrem, a partir das Terças na Orla de maneira alguma patrocinam a boa formação das pessoas, muito pelo contrario. Temos que louvar coisas que favoreçam os bons costumes, e a boa educação como disse acima. ALGUMA COISA TEM QUE SER FEITA!

    • Silvana disse:

      Também achei a medida válida.
      Em muitas capitais, também é proibido o estacionamento na beira-mar.
      Quem sabe assim, pelo menos não diminui o abuso.

  41. Aaaah sim obrigada Alcinea. Seu blog, por ser muito competente sempre é uma ótima fonte para sugestões de pautas rsrs. Lembro que sobre a febre tifóide, que foi manchete do jornal a Gazeta, me baseei em informações repercutidas aqui. Obrigada novamente. Bjs

  42. milton sapiranga barbosa disse:

    Quem tomou tal medida só deve estar lelé da cuca, senão vejamos: A proibição é da rotatória(av. Pedro Lazarino) até a rampa do açaí, certo? Certo! E de lá da rampa até a rádio antena 1 está liberado? Creio que sim, já que a probição se estende só até a rampa. E se alguém estacionar antes da rotatória ou depois da rampa, esfolar o som e começar a tomar umas e outras(mesmo estando errado com tais atitudes), o douto da lei não vai poder reclamar. É bom rever a medida e estender a proibição a partir da pracinha do forte até a 102, 9, isto é, abrangendo todo o muro de arrimo.

  43. Macos Paulo disse:

    Comungo da sua opinião minha cara Alcinéa, não resolve nada!

  44. Diana disse:

    Concordo com vc, Macapá é uma capital não uma cidade provinciana. Falta apenas fiscalização, o próximo passo é o toque de recolher e só a bandidagem vai se divertir e planejar os assaltos durante o dia. Os “bafômetros” tenho dúvidas que eles existam e as fiscalizações tem dias e horas marcadas e pouco eficazes. Outra coisa que me entristece é que os moradores invadiram os terrenos que não os pertenciam e agora querem tranquilidade, deviam era se mudar para os interiores que lá tem silêncio e calmaria. eles também não conhecem outras cidades costeiras com mares e rios, é lá que as pessoas vão para ver as paisagens refrescarem-se com a brisa. Claro que os frequentadores tem que ter a consciência de respeito ao próximo. PROIBIR É DEMAIS.

  45. Larissa Medeiros disse:

    O turista que vem lá da caixa prego e não bebe uma gota de álcool, doido pra ver e sentir a brisa do rio Amazonas, não vai poder parar e curtir o rio com sua música preferida de noite né? Legal isso, cara! É claro que o turista que o turista não vai esfolar o som que nem os “technobregueiros” que ficam por ali. Esse pessoal parece que quanto mais bebe, mais fica surdo! Sou totalmente contra essa decisão da EMTU.

  46. Oi Alcinea td bem???

    Olha admiro muito seu blog, mas só gostaria de ressaltar que essa matéria foi publicada no jornal a Gazeta e eu, Jéssica Alves que produzi esse texto.

    Não sei se a Assessoria da EMTU enviou o texto para você afirmando essa autoria, mas quero deixar claro que esse material é de minha autoria, ok??

    Bjus e sucesso!

    • Alcinéa Cavalcante disse:

      O texto, embora assinado por você, foi enviado para o meu e-mail pela assessoria como sugestão de pauta. Por isso achei que você era da assessoria.
      Vou já corrigir.
      Obrigada e beijos.
      PS – Achei legal você ter repercutido na Gazeta a matéria aqui do blog sobre a escola e bar que funcionam no mesmo prédio, inclusive usando o mesmo título.

    • acadêmico disse:

      Tú colar do blog pode, mas o blog de te, não?

  47. kookimoto disse:

    chápeu de burro para EMTU… irão tirar os carros da beira do rio para colocar naquela ruazinha de dentro, onde estão as casas kkkkkkkkkkk, recomendação é recomendação, acatar ou não vai do bom senso, pois o MP não é um oráculo da verdade, e puxa-saquismo de erros é PHoda! e agora? tdos que estacionam lá depois da 00h são obrigados a encher a cara e colocar som no volume máximo? somos um clichê? vão aumentar as bebedeiras em outros locais… eae? égua não, égua não!

  48. Gabriel Oliveira disse:

    Não é punindo toda a população que eles irão reduzir o número de acidentes e a poluição sonora, a policia deveria punir de maneira severa os motoristas que param na orla e deixam aquele som absurdamente alto. Além disso, proibir o estacionamento não irá resolver nada, pois as pessoas simplesmente irão mudar de lugar para beber, postos de gasolina, praças…essas medidas são muito inúteis, não existe ninguem que pense em soluções eficazes mesmo??

Deixe um comentário

Comente Aqui

Campos marcados com "*" Requeridos

Fechar esta janela.

Fatal error: Call to undefined method Akismet::isSpam() in /home/alcinea1/public_html/blog/wp-content/plugins/wassup/wassup.php on line 2560