Alcinéa Cavalcante

Comentários

  1. BIANCA disse:

    eu acredito que a educação é a base de tudo. do respeito e de uma sociedade melhor, nós mulheres somos responsáveis pela educação de nossos filhos e muito da vezes os tornamos machista sem perceber ou com pequenas piadas rotineiras e sem graça

  2. Gil ........... disse:

    Infelizmente, muitas mulheres ainda aceitam serem espancadas por seus companheiros…isso acontece muito e não é só com pessoas pobres…

    conheça esses 2 casos: mulher +- 35 anos, 4 filhos,pobre, companheiro viciado rouba seu salario e ainda a espanca…(pode?)

    Mulher +- 30 anos…Instruida…classe média, é agredida fisicamente e verbalmente do marido empresario (revoltante)…

    ATÉ QUANDO AS MULHERES VÃO SE SUBMETER A ESSE TIPO DE TRATAMENTO?

  3. HERINALDO NASCIMENTO disse:

    Quero aproveitar a oportunidade para parabenizar as pessoas responsaveis por esse movimento em favor das MULHERES. Trabalho na segurança pública e tenho visto a cada dia crescer o número de idiotas que insistem em agredir suas companheiras. Moro em Santana e sempre acontece aqui a marcha das JOSYS e sempre que posso participo junto com minha esposa. BASTA DE VIOLÊNCIA!!!

  4. DOIDINHA' disse:

    no sabado sera realizada a “MARCHA DAS CLAUDETES” no Bailique,em homenagem a professora CLAUDETE MOTA ROCHA. Que a 1 ano foi brutalmente assassinada.

  5. Zanjo Goulart disse:

    Que horror! Como em 1958 ainda acontece em 2010. Educação é um processo lento, mas o cenário muda pouco a pouco. O problema da violência contra a mulher é crônico de origem cultural. Amo e respeito todas. Me sinto envergonhado pelos meus semelhantes que cometem violência fisica, ainda, mais se for contra a femêa que estruturalmente é mais frágil que o macho.

    “Creio que a não-violência é infinitamente superior à violência, e que o perdão é bem mais viril que o castigo…”
    MAHATMA GANDHI

Deixe um comentário

Comente Aqui

Campos marcados com "*" Requeridos

Fechar esta janela.