O tempo de cada um no rádio e TV

O PSTU tem apenas 8 segundos no horário da propaganda eleitoral gratuita no rádio e televisão.
Imagino que em 8 segundos não dá pra dizer nada além de “Contra burguês vote 16″.

O maior tempo é da coligação Atitude e Trabalho por Macapá, de Gilvam Borges: 2’59”

Veja o tempo dos demais:
Macapá de Todos Nós – Aline: 2’23”
Pra Macapá seguir avançando – Clécio: 2′
Adora Macapá – Dora Nascimento: 1’29”
PSB – Ruy Smith: 45″
Esperança do Povo – Promotor Moisés: 16″

Começa sexta-feira a propaganda eleitoral no rádio e TV

Começa na próxima sexta-feira, 26 de agosto a propaganda eleitoral no rádio e na televisão.
No rádio a propaganda será veiculada das 7h às 7h10 e das 12h às 12h10. Na TV  será das 13h às 13h10 e das 20h30 às 20h40 de segunda-feira a sábado.

A propaganda vai até o dia 29 de setembro.
Nesse período o eleitor tem a oportunidade de conhecer as propostas dos candidatos, isto é, se os candidatos não usarem o horário para mentir, inventar mágicas e agredir adversários.

Ah, o eleitor tem também a chance de se divertir e dar gostosas gargalhadas com certas “maluquices” que alguns candidatos exibem na telinha. Né não?

Os candidatos a prefeito de Macapá

18 – Clécio (Rede) – Candidato à reeleição
Vice: Telma Nery (DEM)
Coligação: Pra Macapá seguir avançando (REDE / DEM / PPL / PSC / PT do B / PSDB / PC do B)

10 – Aline  (PRB)
Vice: Professor Márcio Costa (PTB)
Coligação: Macapá de todos nós (PRB / PTB / PP / PSL / PR / PSDC / PRTB / PMB / PRP)

13 – Dora Nascimento (PT)
Vice: Dayanne Lima (PHS)
Coligação: Adora Macapá  (PT/PHS)

16 – Genival Cruz (PSTU)
Vice: Ingrid Rayana (PSTU)

15 – Gilvam Borges (PMDB)
Vice: Adiomar Veronese (PROS)
Coligação: Atitude e Trabalho por Macapá (PMDB / PROS / PDT / PPS / PTN / PSD / SD)

51 – Promotor Moisés  (PEN)
Vice: Raquel Capiberibe (PMN)
Coligação: Esperança do Povo (PEN/PMN/PTC)

40 – Ruy Smith  (PSB)
Vice: Lu Albuquerque (PSB)

Artigo – Olimpíada do Rio, um Quarup contemporâneo

Olimpíada do Rio, um Quarup contemporâneo

Ronaldo Mota (*)

Antônio Callado, autor nascido no Estado do Rio de Janeiro em 1917, tem como uma de suas principais obras Quarup, retratando o período em torno da implantação do Regime Militar em 1964. O livro, publicado em 1967, versa também sobre eventos ocorridos na década anterior nas reservas indígenas da região do Xingu, no centro-oeste do Brasil. O enredo gira em torno de conflitos pessoais e políticos vivenciados pelo protagonista, padre Nando.

Ainda que Quarup e Olimpíadas sejam eventos muito distintos, há elementos de similaridade de contextos que permitem enxergar uma possível premonição de Callado sobre fatos que viriam a ocorrer somente meio século Continue lendo

Tentando barrar candidatura de Clécio, coligação de Gilvan usa estatuto desatualizado. REDE diz que isso é desespero

A coligação “Atitude e Trabalho por Macapá” – que tem como candidato a prefeito de Macapá o ex-senador Gilvan Borges (PMDB) –  protocolou hoje na Justiça Eleitoral ação de impugnação ao registro de candidatura do prefeito Clécio (REDE), candidato à reeleição.
A coligação de Gilvan alega que Clécio não pode ser candidato porque está filiado ao REDE há sete meses e que o Estatuto do partido fixa o prazo de um ano como pré-requisito para candidaturas.
Sim. O REDE fixava esse prazo, mas quando Lei Federal fixou o prazo de seis meses de  filiação para os  candidatos ao pleito deste ano, o partido tratou de se adequar à legislação vigente e atualizou o Art 92 reduzindo o prazo de filiação de um ano para 6 meses.
A coligação de Gilvan Borges ao mover a ação baseou-se num estatuto desatualizado, embora o documento atualizado esteja disponível na internet desde novembro do ano passado.

Em nota, o REDE classificou a ação como um “ato desesperado” do grupo político de Sarney, Waldez e Gilvam e diz que “esta não é primeira e provavelmente não será a última vez que eles se valem de mentiras para enganar as pessoas e tomar tempo da Justiça Eleitoral.”

Leia a íntegra da nota:

“Mal começou a eleição e já tem adversário querendo vencer no tapetão. A Coligação de Sarney, Waldez e Gilvam, em Macapá, recorreu aos métodos costumeiros para impedir o avanço de nossa candidatura e do desenvolvimento de nossa cidade. Esta não é primeira e provavelmente não será a última vez que eles se valem de mentiras para enganar as pessoas e tomar tempo da Justiça Eleitoral. Neste domingo, uma ação de impugnação contra a Candidatura de Clécio Luís baseada num antigo Estatuto do nosso partido, Rede Sustentabilidade, foi impetrada pelo candidato mais rejeitado das ruas e pontes macapaenses. Nada que nos surpreenda! Seja pela falta de informação destes adversários, seja pelos métodos nada republicanos que lhes são usuais. 
Repudiamos com veemência o ato desesperado deste grupo político e aproveitamos para informar que a candidatura de Clécio Luís segue firme amparada pelo Estatuto da Rede Sustentabilidade, conforme aprovado ano passado:

Art. 92. São pré-requisitos para ser candidato ou candidata pelo partido:
1- Estar filiado ou filiada ao partido, pelo menos, seis meses antes do pleito, conforme determina a legislação vigente; (inciso alterado por determinaçãoo do Diretório Nacional em 14 e 15 de novembro de 2015);

No oportuno, comunicamos também que o referido Estatuto encontra-se disponível para consulta na internet. Aos adversários, sugerimos que pretendam novas formas de fazer política e disputar os pleitos. Ao povo, reafirmamos nosso compromisso com um processo livre e democrático para Macapá preservar suas conquistas e seguir avançando.

    Elo Estadual da REDE Sustentabilidade Amapá”

Ex-deputados trocam agatanhadas

Ouvi por aí…

que na hora de montar certa coligação a discussão foi tão acalorada que cambou pra baixaria, palavras de baixo calão e terminou com dois ex-deputados indo para as vias de fato, foi um tal de um agatanha o outro e o outro agatanhando o um que “meodeos”.
A “sessão agatanha” aconteceu na quinta-feira da semana passada num prédio ali pertinho da Praça da Bandeira.

Duplicidade – O partido Solidariedade está na coligação de Gilvam Borges e de Promotor Moisés

Nos pedidos de registro de candidatura dos candidatos a prefeito de Macapá Gilvam Borges (PMDB) e Promotor Moisés (PEN), o Partido Solidariedade (SD) aparece integrando as duas coligações.

mesmo1
Na coligação “Macapá da Esperança”, do Promotor Moisés
mesmo2
Na coligação “Atitude e Trabalho por Macapá”, de Gilvam

Pergunta-se:
O SD enganou os dois candidatos?
Os candidatos incluíram o SD sem consultá-lo?
Quem autorizou a coligação do SD com um e com o outro candidato?
Foi apenas um equívoco de uma das coligações?
Os pedidos de registros das duas candidaturas ainda estão aguardando julgamento e claro que o TRE vai detectar essa duplicidade e um novo pedido de registro de candidatura terá que ser feito por uma das coligações – aquela que na verdade não tem o SD como integrante.
Qual das duas?

Mostra de cinema no Sesc

Quinta-feira, 18
Local: Auditório escola Sesc- 14h30

A Rosa – Dominique Allan/ Amapá – 12 anos 28min
Ouça-Me – André Araújo e Roberto Giovannetti/ Tocantins – Livre 38min
Chiaroscuro – Daniel Drummond/ Maranhão – Livre 08min
Encantada do Brega – Leonardo Augusto/Pará – Livre 14min
Arqueiros – Thiago Briglia/Roraima – Livre- 18 min
A Rua – O Corpo Urbano – Picolé da Massa – Amazonas – 12 anos 10min

Sexta-feira, 19
Local: Sala de Cinema Sesc Araxá- 14h30

Labirinto de Papel – André Araujo e Roberto Giovannetti/Tocantins – 10 anos 29min
Ele Sempre Esteve Certo – Luiz Marchetti/ Mato Grosso – 14 anos  20min
Ribeirinhos do Asfalto – Jorane Castro/Pará – Livre 26min
S3tart – Dommer  -Francisco Crispim/Piauí – Livre  15min
Licor De Pequi – Marithê  Azevedo/Mato Grosso – Livre  15 min

Impeachment – Julgamento começa dia 25

Da Agência Brasil

Julgamento do impeachment começa dia 25; Dilma se defende no dia 29

Por Karine Melo e Mariana Jungmann

Após duas horas reunido com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e líderes dos partidos, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, definiu o rito do julgamento final da presidenta afastada, Dilma Rousseff, que será presidido por ele.

Pelo calendário, o julgamento terá início na quinta-feira, 25 de agosto, às 9h e, segundo estima o ministro, deve durar no mínimo quatro dias. Os dois primeiros dias serão dedicados à apresentação de questões de ordem e à oitiva das oito testemunhas arroladas. A acusação, que abriu mão de quatro nomes, vai apresentar apenas duas testemunhas, enquanto a defesa manteve as seis a que tem direito.

Continue lendo