MPF-AP investiga “Bolsa Família”

O Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) vai apurar possível ineficiência no cadastramento e recadastramento de beneficiários do programa Bolsa Família. A instituição quer saber a razão do cancelamento de 30% dos benefícios no estado.
Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), no Amapá, cerca de 1.400 famílias terão os benefícios cancelados por falta de atualização cadastral.

A investigação foi motivada por denúncias de beneficiários. Alguns deles questionam a desorganização no processo de cadastramento e recadastramento do programa. Além disso, alegam que os municípios teriam deixado de comunicar dados dos beneficiários à Caixa Econômica Federal
(CEF).

Chamado para prestar esclarecimento, representante da CEF comunicou que o banco é apenas gestor dos recursos. Disse ainda que  cabe às prefeituras enviar os dados dos beneficiários por meio de sistema informatizado. Todavia, revelou: “o Amapá é um dos poucos estados que
ainda não aderiu ao Cadastro Único”. Atualmente, o cadastro do beneficiário, no estado, depende do recebimento dos dados pela Caixa e posterior inclusão deles na base nacional do programa por um funcionário do banco.

A instituição financeira informou ao MPF/AP que o MDS comprometeu-se a implantar o Cadastro Único a partir de março deste ano. O sistema permite às prefeituras incluir os dados dos beneficiários diretamente na base nacional do Bolsa Família sem a mediação da CEF.
O MPF/AP entende que devido às inúmeras representações recebidas e à estagnada realidade social do estado, o cancelamento não pode ser justificado pela melhoria das condições econômicas da população.
(Texto: Ascom/ Procuradoria da República no Amapá)

  • Tem mesmo que investigar, pois conheço varias familias do Estado e Municípios, que perderam essa bolsa e que realmente são muito pobres, me corta o coração de ver, que perderam esse benefício. “GOVERNADOR CAMILO,” kd a melhoria pra essas pessoas, cumpra o que prometeu tá!!!!

  • conheço gente muito pobre mesmo, que so vive dessa renda e ainda issim ficou de fora, o MP tem que verificar isso…
    sem contar que é menos dinheiro pro estado, que depende do governo para se sustentar…

  • Acho que essa bolsa deveria ser convertida em uma espécie de prêmio para quem cuidasse do meio ambiente. Ao contrário, faz estimular o aumento da prole pelos que não têm nem o que comer. Quero ver o governo acabar com a pobreza desse jeito.

  • Ô pessoal do MPF vamos agir né pai, tem que apurar mesmo e dar pra quem precisa, chumbo neles, vamos pagar umas sites lá no HOTEL HOITY ***** STARS PAPUDA, rsrsrsr

  • Se o MPF do Amapá for investigar profundamente as possíveis irregularidades, podemos esperar… Será mais um escandalo na política amapaense, afinal, onde há fumaça há fogo….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *