Meu Natal

Meu Natal começou ontem, quando nós, da Igreja Messiânica, comemoramos o natalício de Meishu-Sama, o fundador,  com um culto especial de agradecimento pelas bênçãos recebidas e renovação do desejo de ajudar na construção do paraíso terrestre fazendo nossos semelhantes felizes.

Daqui a pouco a família estará reunida na casa da mana Alcilene para festejar mais um Natal (Mas antes vou passar na casa da minha madrasta Maridalva, que é muito especial. Vou levar meu carinho a ela e as minhas irmãs Astrid, Aline, Aldine, Adriane e Alice).

Sempre fazemos assim, todos juntos, celebrando com muito amor e alegria e o nascimento do Menino Jesus.

Mano Alcione ficou encarregado do pernil, do jeito que só ele sabe fazer. Alcilene faz uma das suas especialidades, que aprendeu com mamãe – que era filha de português: bacalhau. E eu faço o peru a california. Além disso, tem torta doce e salgada, bandeja de frutas, panetone (que Natal sem panetone não é Natal), rabanada e outras guloseimas. Há troca de presentes, descoberta de amigo invisível e outras brincadeiras.

Mas o momento principal é o da oração, quando todos em volta da mesa agradecemos a Deus por estarmos reunidos e pedimos ao Menino Jesus que abençoe todas as famílias, que proteja as crianças, os jovens, os idosos, que ilumine o coração de todos os homens. Pedimos por justiça social, oramos pelas crianças que vivem nas ruas, pelas famílias enlutadas, pelos doentes e rogamos a Deus que a humanidade desperte para viver os ensinamentos daquele que nasceu há mais de dois mil anos e nos deu 33 anos de lições de amor, de justiça e de paz.

Vamos sentir falta do mano Zoth e seus filhos, que estão em Manaus. Do sobrinho Allan e família, que também estão fora do Amapá e do Alcione Filho – que mora em Campinas. Mas o importante é que estejam felizes e celebrando o Natal com paz, saúde e amor.

A todos os visitantes deste blog desejo um Natal cheinho de alegrias, iluminado e doce.

Sai o listão da Unifap

Alô, alô, alô papai
Alô, mamãe
botem a vitrola pra tocar
Podem soltar foguete
que eu passei no vestibular”

É festa na cidade.
Aprovados no vestibular da Universidade Federal do Amapá (Unifap) enchem a cidade de colorido, alegria e música festejando a aprovação do vestibular mais concorrido do Amapá.
Aos calouros e suas famílias este blog dá os parabéns.
Veja aqui o listão

Quer dar parabéns pra seu amigo, colega, conhecido, familiar que passou no vestibular?
Então usa a caixinha de comentários e faz a festa

É Natal

ESTRELA NO CÉU
Alcy Araújo Cavalcante (1924-1989)

Olho para o Oriente e vejo, além da minha compreensão, uma estrela no céu. Não é a minha estrela da guarda. É uma estrela diferente, no brilho e na cor. Querem me convencer que é um cometa. Não acredito. Descubro que tem vida e transporta uma mensagem de fé, de esperança e de concórdia.

Posso ouvir sua voz no silêncio da noite e sinto seu perfume e a sua música. Apesar de ser assim não fico assombrado. Não tenho nenhum medo dos meus medos cotidianos. Sinto que a estrela fala comigo e diz: “Segue a minha luz”  e estendo os braços em direção à cidade de Belém.

Alguma coisa muito bela vai acontecer na cidade, porque a estrela tem música e o céu está perfumado nestas noites claras em que os anjos passam apressados no azul. E o azul é mais azul e a luz é mais luz. Deve ser tempo de nascer esperança.

Também é muito estranha a passagem daquela caravana de Reis Magos. Eles são de tribos diferentes. Um tem a pele cor de ébano. O outro tem a pele curtida pelo sol do deserto. E há um terceiro, de cabelos dourados e pela branca como a neve das estepes. Não sei onde os seus caminhos se encontraram. Mas eles vão juntos e olham para a estrela. Sinto que estão fascinados. Isto diz que vai acontecer uma coisa muito importante no mundo. E eu não tenho nenhum medo.

Deve ser uma coisa muito linda, tanto que meu coração sente uma imensa alegria. Acho que vai nascer um menino na cidade de Belém. Mesmo porque as flores estão sorrindo e quando as flores sorriem é porque vai nascer uma criança.

Este negócio de anjos passando também é muito significativo.

Meu coração se apercebe que uma grande luz se aproxima do mundo e que a escuridão enorme dos nossos pecados pode ser dissipada.

Há mais uma coisa. Olho para Roma e vejo que os deuses fitam-se com admiração e assombro e sei que está chegando uma nova era. Esses reis passando, essa estrela diferente, essa música vinda dos céus, esses anjos … tudo é muito concludente.

Na certa vai nascer uma criança na cidade de Belém da Judéia e haverá paz aos homens de boa vontade.

O que os políticos pediram pro Papai Noel

Como eu disse pra vocês, este blog interceptou  os e-mails que alguns políticos enviaram ao Papai Noel e assim deflagrou a Operação “Papai Noel eu não minto por isso quero ganhar presente“.   Veja o que eles estão pedindo ao bom velhinho.

Senador Papaléo Paes – um calção do Paissandu, uma camisa do Paissandu, um meião do Paissandu, um boné do Paissandu, um chaveiro do Paissandu, um adesivo do Paissandu…

Senador Gilvam Borges – Vinte pares de sandálias e um pára-quedas para usar na campanha e mais algumas concessões de rádio e televisão.

Deputado Jorge Amanajás, presidente da Assembléia – a Universidade Desafio e apoio do PSB para disputar o governo do Amapá.

Lucas Barreto – Uma fantasia da ala “Atos Secretos” da escola de Samba Maracatu da Favela, que no carnaval de 2010 vem homenageando o Maranhão

Antônio Feijão, suplente de deputado federal – um mandato pra chamar de seu

Prefeito Roberto Góes – um baralho pra aprender a jogar paciência, um capacete de gelo e um curso “No Stress”

Os Capiberibes – um telão em cada praça e em cada “lugar bonito” mostrando os gastos do Governo e da Prefeitura

Pedro Paulo Dias, vice-governador – Um amuleto “tira o zolhão” e uma caixa de incenso “afasta olho grande”

Peraí que eu estou olhando as outras cartinhas e já volto

Se algum e-mail de político caiu por engano (eles sempre se enganam) na sua caixa postal, contribua com esta Operação deixando as informações aí em “Comentários”. Mas sem ofensas e sem baixarias

Feliz Natal!

ORAÇÃO À MÃE DE JESUS
Alcy Araújo Cavalcante  (1924-1989)

Esta é uma oração.
Uma oração de poeta cargueado de tristezas e de esperanças, que guarda da meninice distante a fé e o amor na santa Mãe de Jesus. Esta é uma oração feita num momento de aflição e de lágrimas, lágrimas que o homem de hoje chora pelo menino que não existe mais.
Esta é uma oração do homem que procura desesperadamente os itinerários do Pai Eterno, quando é impossível o caminho do retorno porque estão perdidas para sempre as marcas dos pés nus nas estradas da vida.
Senhora Mãe de Deus, hoje chorarei novamente. Sei que será assim, na sucessividade das minhas angústias, por não ter podido ser bom como sempre desejou aquela que, aqui na Terra, me conduzia pela mão naqueles dias de infância, que queimam as lembranças do homem que chora hoje prantos transatos. A vida, do meu Natal até o agora, foi marcando, Senhora Mãe de Jesus, e o menino se perdeu para nunca mais se encontrar.
Os desencantos e os sofrimentos, os caminhos atapetados de urzes, as feridas, o desamor, transformaram o menino e sepultaram a inocência com que aprendeu a primeira oração: Ave, Maria, cheia de graça…
Senhora, hoje estou com o coração molhado de lágrimas, na espera da bênção que virá sobre todos os filhos degradados de Eva, que Jesus veio para salvar.
E, nesta noite de Natal, eu rezarei, Santa Mãe do Céu, esta oração, a primeira que aprendi de mãos postas e o olhar de minha mãe preso ao meu olhar: Ave, Maria, cheia de graça…
E pedirei que rogues por mim, que tanto necessito de paz e de esperança, que tanto necessito de amor e de perdão. Minha Mãe do Céu, enxuga a minha angústia, ameniza o meu desespero, cura o meu desencanto nesta noite do nascimento do menino Jesus.
Senhora, olha para o menino que deixei de ser. O menino que usava, num fio de algodão, a tua imagem numa pequenina medalha de alumínio. Foi a minha primeira jóia. Lembrança da irmã Madalena, que acariciava meus cabelos, censurava com doçura minhas reinações e sonhava que eu fosse sacerdote da tua devoção.
Esta é uma oração. Oração do homem amargurado, que olha para o alto com olhos de granada, com a alma ajoelhada e o coração carbonizado lavado de lágrimas, porque hoje é Natal.
Rogai por mim… Por nós, para que sejam menores as nossas aflições. Ave, Maria, cheia de graça. O Senhor é convosco…

Praça Floriano Peixoto (Foto: Alípio Junior)
Praça Floriano Peixoto (Foto: Alípio Junior)