AL – Moisés Souza é eleito presidente

Numa sessão tumultuada (leia o post abaixo) Moisés Souza, do PSC, acaba de ser eleito presidente da Assembléia Legislativa do Amapá, por 9 votos a zero.
Tão logo encerrou a votação e apuração, Maria Góes empossou a nova Mesa Diretora, assim constituída:
Presidente – Moisés Souza
Primeiro vice-presidente – Junior Favacho
Segundo vice-presidente – Rosely Mattos
Primeiro Secretário: Edinho Duarte
Segundo secretário – Charles Marques
Terceiro secretário – Keka Cantuária
Quarto secretário – Sandra Ohana

Se esta mesa vai mesmo dirigir a Assembléia Legislativa neste biênio (2011/2012) é outra história, pois a chapa encabeçada por Jacy Amanajás, antes mesmo da votação, retirou-se do plenário e anunciou que vai recorrer à Justiça para anular a eleição.

Disputa pela presidência da Assembléia – não se entende mais nada

Duas chapas disputam a presidência da Assembléia Legislativa. Uma encabeçada por Moisés Souza (PPS) e a outra por Jacy Amanajás (PPS).
Os nomes de Jacy Amanajás, Manoel Brasil, Isaac Alcolumbre e Zezé Nunes aparecem nas duas chapas.
Pelo Regimento Interno da Assembléia quando um nome aparece em mais de uma chapa fica valendo aquela que se inscreveu primeiro, a outra tem o registro indeferido. A primeira chapa inscrita é a de Moisés Souza, portanto, o registro da chapa de Jacy Amanajás, de acordo com o Regimento seria indeferido.
Mas aí tem um outro problema. A chapa de Moisés protocolou pedido de registro pela manhã, antes da posse dos deputados. Ora, se os deputados ainda não estavam empossados poderiam fazer parte de chapas?
Maria Góes – que preside a sessão – quer deixar de lado o Regimento e sugere que as duas chapas disputem. Colocará sua sugestão para o plenário decidir.
Maria Góes suspendeu a sessão por cinco minutos. Na volta, alguns deputados abandonaram o plenário.
Vamos ver como fica.

Pra quem quer acompanhar tudo em tempo real sugiro que sintonize na Rádio Diário FM (90,4) está transmitindo ao vivo a sessão.

Dos 24 deputados, 14 se retiraram. Permanecem em plenário Maria Góes, Paulo José, Sandra Ohana, Rosely Mattos, Charles Marques, Edinho Duarte, Keka Cantuária, Moisés Souza, Junior Favacho e Dalto Martins.
Mas Dalto Martins está ameaçando ir à Justiça para garantir que a chapa de Jacy Amanajás – onde ele aparece como vice-presidente – tenha o registro deferido.

Gitas

Daqui a pouco a Assembléia Legislativa do Amapá escolhe seu novo presidente. Batem chapa Moisés Souza (PSC) e Jacy Amanajás (PPS). Jacy é o candidato do Palácio do Setentrião. Trairagem de uma lado e de outro correndo solta nos gabinetes e corredores da AL. Haja timbó. A sessão será presidida pela deputada Maria Góes – que é entre os parlamentares a de mais idade.

Mesmo sem o apoio da Prefeitura a Confraria Tucuju vai fazer dia 4 uma bonita festa de aniversário para a cidade de Macapá, como só a Confraria sabe fazer. Bom seria se em vez de tentar brecar a festa da Confraria a Prefeitura tivesse se unido a ela. Mas, a vaidade falou mais alto.

Governador Camilo Capiberibe nomeou a ex-deputada federal Janete Capiberibe, sua mãe, para o cargo de representante do governo do Amapá em Brasília. É um bom nome.

Aulas na rede pública do estado começam na próxima semana e até agora a Secretaria de Educação não renovou os contratos dos professores que realmente estavam em sala de aula ano passado e nem realizou processo seletivo para contratação de professores onde há carência. Isso quer dizer que, além do ano letivo começar com uma semana de atraso, começa capenga.

Amanhã, quinta-feira, tem “poesia na boca da noite” no Largo dos Inocentes, das 17 às 19h. Se você é amante da poesia – sendo poeta ou não – vá lá. Participe. São momentos inesquecíveis.

A Empresa Municipal de Transportes Urbanos (EMTU) fez na manhã de hoje, quarta-feira, blitzes volantes para coibir o transporte clandestino de passageiros e cargas. O primeiro ponto foi a rua Cândido Mendes em frente a Residência Oficial. Carros, mototaxis e veículos de carga e fretamento foram abordados. Mais de cem notificações foram feitas. As maiores irregularidades eram com relação aos motaxistas clandestinos.

Vê se pode! A Rádio Difusora, emissora oficial do governo, decidiu que a partir de agora o ouvinte não terá mais espaço para passar qualquer mensagem  do interior ou para o interior fora do “Alô, Alô Amazônia”. E mais: nada de mensagem por telefone. O  ouvinte tem que ir na Rádio e pagar uma taxa. Portanto, se um ouvinte que mora em Oiapoque quiser comunicar o falecimento de um parente seu aos familiares que moram em Santana, tem que vir para Macapá, redigir a mensagem, entregar na Difusora e mediante o pagamento a mensagem será veiculada no programa Alô, Alô Amazonia. Segunda-feira , duas pessoas que ligaram de telefones comunitários, de localidades diferentes do interior do Estado, foram impedidas de dar um recado a seus familiares, que possivelmente residem na cidade de Macapá, utilizando os microfones da Rádio Difusora. E isso aconteceu logo depois de o governador Camilo Capiberibe dar entrevista na rádio. A locutora informou que a partir de agora tudo mudou e tem hora para passar mensagem, e a pessoa interessada tem que procurar o setor competente, onde é preciso pagar ou apresentar documento de pobreza.

Gerência da Difusora explica
Sobre o assunto recebi às 18h52 esta nota da gerente da Rádio Difusora, Juliana Coutinho:
“Alcinéa,
Em relação a nota publicada no seu blog “vê se pode”, relacionada a Rádio Difusora de Macapá (RDM), esclareço que houve um equívoco nas informações postadas, uma vez que não é prática, e nem será, da Difusora negar espaço aos ouvintes.
Jamais tentaremos calar o ouvinte, estamos sim adotando novas políticas de funcionamento, principalmente evitando futuras situações jurídicas como já ocorreu na emisora.
Há décadas temos o programa “Alô, alô Amazônia”, específico para envio de mensagens ao interior do estado e ilhas próximas. Isto não quer dizer que o ouvinte que ligar para a rádio em outro horário não possa repassar seu recado, principalmente em casos de utilidade pública.
Certa de que as informações serão corrigidas, atenciosamente,
Juliana Coutinho – Gerente da Rádio Difusora de Macapá”

Em vez de mosquitos, flores

Enquanto em muitos lugares os velhos pneus servem de criadouro para o mosquito da dengue, os proprietários da Agro Viva, uma floricultura do bairro do Laguinho (Eliezer Levy c/ Nações Unidas), transformam  pneus em vasos. Em vez de mosquitos,  plantas ornamentais e flores embelezando as calçadas.
Leitor do blog, Zanjo Goulart passou naquela calçada, viu, gostou e fotografou. E como eu também gostei posto a foto aqui e espero que vocês gostem.

Alô, alô, Prefeitura!

Recebi por e-mail com pedido de publicação:

“Um fato curioso

Quem passa pela Avenida que fica atrás da escola municipal Hildemar Maia no bairro do
Trem, verifica que a auto-escola São Cristóvão tomou conta da via, além de ter tomado posse – com a autorização não sei de quem – de uma área privativa da escola Hildemar Maia. A referida auto-escola mandou cimentar uma área ao lado da quadra de esportes da escola e desde então guarda seus veículos como se fosse uma garagem particular. Não bastasse a “encampação” da área da escola, a auto-escola ainda transformou a Avenida Antonio Gonçalves Tocantins em sua pista particular de aulas práticas, colocando em risco a vida de moradores e transeuntes, além do risco de provocar acidentes com outros veículos que estejam estacionados na via ou passando pelo local.”

Confraria Tucuju faz festa para Macapá

Macapá comemora 253 anos dia 4 de fevereiro e a Confraria Tucuju, casa de cultura que há 14 anos fez reviver a data no imaginário popular, fará sua festa. Tudo como manda o figurino e a tradição. A presidente da entidade, advogada Telma Duarte, tem se surpreendido com as manifestações espontâneas de apoio que chegam todos os dias.

“Valeram a pena esses 14 anos de zelo e cuidado que tivemos com a festa de aniversário da nossa capital. Macapá merece ser amada e parte desse amor é demonstrado no dia 4 de fevereiro. A nossa festa cumpre o papel de elevar a auto-estima do povo, considerando o centro histórico como marco inicial da Vila de São José de Macapá”, diz a presidente, que não para de atender telefonemas de pessoas querendo contribuir com a comemoração.

“Macapá, eu te amo e respeito tuas tradições”, com esse lema a Confraria começa a festa no dia anterior à data, quinta-feira (03), com uma grande ação de declaração de amor no Largo dos Inocentes durante o dia inteiro. Quem quiser declarar seu amor por Macapá é só passar por lá. “Vamos criar o clima na véspera, que é para esquentar os corações dos macapaenses e de todos aqueles que para cá vieram de suas terras, adotando nosso jeito de ser e nossa cultura”, festeja Telma.

No dia 04 de fevereiro, sexta-feira, aí sim a festa de aniversário ocupará o centro histórico de Macapá. Começa às 8 horas com Missa em Ação de Graças na Matriz de São José. Após a missa todos serão convidados a se dirigir ao pátio da Biblioteca Pública Elcy Lacerda, onde às 9 horas haverá solenidade cívica com hasteamento dos pavilhões nacional, estadual e municipal e execução dos hinos correspondentes.

Cumpridas as celebrações religiosa e cívica, chega a hora do bolo. O grande e delicioso bolo de 25 metros, decorado com desenhos dos pontos turísticos da cidade, será cortado logo após o “Parabéns pra você” executado pela banda da Polícia Militar às 10 horas. Cada fatia vale a presença de um macapaense. A população comparece massivamente e faz fila para receber seu pedaço. Quem provar do bolo também experimentará a suculenta feijoada servida para 2 mil pessoas em média, às 12 horas.

Do outro lado da festa, no Largo dos Inocentes, acontecerá o almoço dos pioneiros às 12h30. A Confraria encomenda cardápio especial, leve e saudável, para 400 patriarcas e matriarcas das famílias mais tradicionais de Macapá. “São pessoas que merecem todo nosso respeito e carinho. Eles são a razão de ser da Confraria”, explica Telma Duarte. Para eles a entidade disponibiliza recepcionistas, guarda-chuvas, tendas, mesas e cadeiras.

Às 14 horas começará o show musical com diversas atrações até as 22 horas. “Nós ainda estamos fechando com os artistas. Mas o certo é que será um show pra cima, dançante e representativo da cultura amapaense”, explica a presidente. Até quinta-feira a Confraria promete divulgar todas as atrações.

(Texto: Márcia Corrêa, assessora de comunicação da Confraria)