Poema de domingo

Diário de bordo
Jaci Rocha
De conversar com as nuvens
e com o vento frio de março
Parti! Com minhas asas e cactos
Tudo o mais deixei para trás …

Debaixo do braço
trouxe ainda meu caderno de versos
E um pequeno dicionário
De onde rabisquei certos significados…

Vou à procura de absurdos,
Aventurar no fantástico do mundo
Criar um diário de bordo
E cada dia, conhecer algo novo…

ah! vou juntar-me às andorinhas
e perder o medo de avião
Navegar pelos mares de maio
E em setembro conhecer o verão!

Jaci Rocha – que inclusive está de aniversário hoje – , é advogada e poeta. Seus poemas são de uma leveza impressionante. Para conhecer mais e se encantar  visite o blog A Lua não dorme (clique aqui), onde Jaci publica poemas seus e de outros autores e belas imagens

O caderno – Dom Pedro José Conti

O caderno
Dom Pedro José Conti, Bispo de Macapá

Um turista parou numa pequena vila do interior. O pequeno cemitério chamou a sua atenção. Estava limpo e em ordem. Entrou. Grande foi a sua surpresa quando reparou no que estava escrito nas pedras junto aos túmulos. Depois do nome da pessoa leu: 9 anos, 6 meses e 2 dias. Uma criança, pensou. Numa outra pedra leu: 8 anos, 7 meses e 10 dias. Outra criança. Por aquilo que estava escrito, viu que eram só crianças. Ficou muito triste. Que lugar era aquele onde todos morriam tão pequenos? Uma senhora idosa, que também estava por lá, viu a aflição dele e, sorrindo, deu-lhe a explicação do mistério.

Continue lendo