Eleições 2018 – Jornalista Ana Girlene recebe convite de vários partidos

Jornalista Ana Girlene, apresentadora do programa Café com Notícia – que, diga-se de passagem, é um dos programas de maior credibilidade do rádio amapaense –  vem recebendo convite de vários partidos para se candidatar a deputada estadual ou federal ano que vem.
Os partidos sabem que Girlene “esconde” um gigantesco bule abarrotado de votos e ficam abicorando.

Não resta dúvida que Ana Girlene é um bom nome para melhorar o nível da política local. Se vai aceitar trocar o estúdio pela tribuna, não se sabe, pois ela ainda não se manifestou sobre.

Um dos partidos que sonha em ter a jornalista nos seus quadros disputando a próxima eleição é o Rede.

“Nós apostamos em nomes como Ana Girlene, Lucas Abraão, Juli Pereira, João de Deus, professor Rodrigo, Rodolfo e o indígena Jawarua para renovar a política no Amapá”, me disse um cacique do Rede.

Deixa jorrar

Se no meio da noite você ouvir barulho de água jorrando da torneira da área externa da sua casa, deixe jorrar. Vale a pena pagar um pouco mais pelo consumo de água do que perder seus bens materiais e até a vida. Pois é uma estratégia dos ladrões para entrar com mais facilidade nas casas. Eles pulam o muro, abrem a torneira e se escondem perto da porta. Desavisado, você abre a porta com a intenção de ir fechar a torneira e os ladrões entram e fazem o raspa.

Queridinho

O Macapá Verão tem sido um termômetro para medir a popularidade do prefeito de Macapá Clécio Luís.
Pelo que se vê, este termômetro tem registrado alta popularidade.
Nas praças e balneários é gente que não acaba mais querendo uma selfie com o prefeito. Carismático, educado e alto astral, ele não se faz de rogado, dá e recebe  abraços e afetos, conversa, ri, faz selfie, mas sai de fininho quando começam a insistir que ele deve ser candidato ao governo.

Aliás, uma das coisas que ele tem mais ouvido nos últimos tempo é: “Tem meu apoio para o governo em 2018”.

Num outro verão

A foto é do início dos anos 80 – Naquele tempo a água da Fazendinha não era tão poluída.
Mas para quem não queria arriscar, havia o famoso chuveiro, com propagandas de refrigerante e cerveja. E como era bom um banho naquele  chuveiro para refrescar ou tirar a areia do corpo.
Ah, e quem entrava no rio para nadar ou brincar, na volta sempre dava uma paradinha no chuveiro. Era pra não ficar com o corpo tuíra. Lembra?
Que mais você lembra do Macapá Verão? Conta aí na caixa de comentários.

(A foto é colaboração da leitora Itacelma Simões. Você também pode colaborar enviando fotos antigas ou recentes -até mesmo de hoje- do Macapá Verão para o blog. Mande para o e-mail alcinea.c@gmail.com)

Três coisas – Dom José Conti

Três coisas
Dom Pedro José Conti, Bispo de Macapá

 Um estudante medíocre, de pouca vivacidade, reclamou com o seu mestre que lhe faltavam belas roupas, uma chácara bem produtiva e uma linda mulher, justamente as três coisas que, segundo o Talmude, o livro que interpreta, comenta e exemplifica a Lei judaica, servem para dilatar a inteligência.

– Veja bem, meu filho – respondeu-lhe o mestre com voz calma e suave – essas três coisas servem só para desenvolver a inteligência do ser humano e não para criá-la. No seu caso… não lhe adiantariam em nada. Continue lendo