Delação da JBS – Janot diz que acordo pode ser anulado. Fachin vai decidir

Fachin vai decidir sobre sigilo de gravação que pode anular delação da JBS

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin vai decidir sobre a retirada do sigilo da gravação da JBS que motivou a abertura do processo de revisão do acordo de colaboração de Joesley Batista, Ricardo Saud e Francisco e Assis e Silva, delatores ligados à JBS. O áudio já está no gabinete de Fachin. (Leia os detalhes aqui)

Janot diz que acordo de delação da JBS será avaliado e pode ser anulado

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, informou, há pouco, que abriu investigação para avaliar a omissão de informações nas negociações das delações de executivos da JBS. Caso comprovada a omissão, os benefícios concedidos aos delatores poderão ser anulado, disse o procurador.
O pronunciamento do procurador foi no auditório do Conselho Superior do Ministério Público Federal (MPF). (Leia mais aqui)

Campanha em prol do jornalista e cantor Rodolfo Santos

Jornalista e cantor, Rodolfo Santos – que recentemente passou por uma cirurgia para colocação de pontes de safena – precisa agora do apoio dos colegas jornalistas, artistas e fãs para comprar medicamentos, fazer exames e fisioterapia. Mas ele não está pedindo dinheiro. O dinheiro ele quer ganhar com o fruto de sua arte, assim o apoio que ele quer é que comprem seus CDs, que estão sendo vendidos a preço promocional (R$ 10,00) na Banca do Dorimar (Praça Veiga Cabral). Com a venda dos CDs ele poderá arcar com as despesas com exames, remédios e fisioterapia.
Conto com o apoio de vocês, tanto na aquisição dos meus discos e também na divulgação dessa campanha, isso com Deus no comando de tudo”, disse Rodolfo.
De minha parte já estou divulgando e amanhã mesmo comprarei alguns CDs para presentear amigos de outros estado.
Ajude também divulgando e comprando. Nosso “PopStar” (é assim que ele é chamado carinhosamente pelos amigos) merece.

MPF pede a prisão do presidente substituto do Instituto de Meio Ambiente do Amapá

O Ministério Público Federal no Amapá (MPF/AP) pediu à Justiça Federal, nesta segunda-feira (4), que decrete a prisão preventiva de Nilton da Silva Pereira, diretor-presidente substituto do Instituto do Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Amapá (Imap), por obstrução da Justiça. Além da prisão, o MPF/AP quer o afastamento do cargo da servidora Luciana Castro Serafim. Continue lendo