Um poema de Ronilson Medeiros

Desencontro
Ronilson Medeiros

Um caso perdido
o desencontro dos tempos
uma brasa que não mais vira chama,
um desamor que fere
e quase mata quem ama.
Um sono bom vira cochilos,
desperta, e em alerta: grita e implora
o calor de uma cama.
Um segredo é revelado
e outro segredo criado
um sonho é mantido algemado
nos braços da realidade…

(Da coletânea “Poemas, poesias e outras rimas”)