Ventania destelha casas e derruba árvores no Curicaca

Uma forte ventania na tarde de hoje destelhou casas e derrubou árvores na comunidade do Curicaca, município de Itaubal.
De acordo com a vereadora Diene Bulhões – que está no local – carca de 15 casas tiveram suas telhas arrancadas pelo vento. Várias famílias estão desabrigadas.
“Quinze casas foram totalmente destelhadas e outras parcialmente”, disse a vereadora ao blog.
Uma equipe da Prefeitura de Itaubal já está na comunidade para tomar as primeiras providências.

Jimmy Ogro faz palestra show no Burger Fest Rock

A abertura do Burger Fest Rock acontece no dia 11 de maio, às 19h30, na sede do Sebrae em Macapá, no Auditório Santana, com a palestra show do chef global James Daniel Mcmanis Junior. Conhecido como Jimmy Ogro, o chef apresenta o tema ‘O mercado de hambúrguer no meio gastronómico, ainda há espaço para mais?’. O ingresso é 1 kg de alimento não perecível (arroz ou feijão)

Esta é a primeira vez que o chef Jimmy Ogro vem ao Amapá. Atualmente, ele percorre o Brasil ministrando palestras e workshops, com o projeto Burgetopia, onde desconstrói receitas e pratos conhecidos da culinária brasileira e internacional. Utilizando ingredientes de sua preferência, o chef os reapresenta em forma de hambúrguer. Continue lendo

A miss, o marabaixo e a truculência

Tanto fizeram, tanto trucidaram nas redes sociais, tanto ofenderam, que a bela Williene Lima  acabou por renunciar ao título de Miss Amapá 2018.
Williene Lima tem apenas 20 anos. Foi eleita para desfilar sua beleza e mostrar toda elegância e lindeza das jovens amapaenses no já nem tão glamouroso concurso Miss Brasil, que acontece este mês.
Muito jovem ainda ela pouco conhece da cultura amapaense e foi infeliz quando num programa que entrevista as misses disse que o Marabaixo – maior expressão cultural do Amapá – foi criado em 1984 por um afrodescendente que vivia no bairro Marabaixo. Poderia ter ficado calada, ou dito “não sei”, mas… Faltou orientação a ela, faltou assessoria, como faltou também para a produção do programa que tascou um vídeo de quadrilha como se fosse de marabaixo. Mas ninguém reclamou da produção do programa.
Por conta da resposta foi trucidada nas redes sociais.
Não conheço Williene, mas, confesso que fiquei morrendo de pena dela ao ler tantas postagens agressivas.
Fico imaginando como se sente um jovem ao ser tão ridicularizado nas redes sociais. Vergonha? Seu mundo desaba? Torna-se depressivo?
Fico me perguntando o que leva tantas pessoas, inclusive com nível superior e até com filhos da mesma idade da miss, a ter um comportamento tão agressivo, tão animalesco nas redes sociais.

Williene pouco sabe da cultura amapaense. Mas ela não é exceção. Há tanta gente que não sabe nada ou quase nada da nossa cultura, pois o Amapá ainda está longe de ser considerado uma terra que valoriza sua cultura, artistas e tradições.

Nas escolas, por exemplo, se estuda a literatura, a música, o folclore, a cultura de outros estados. Do Amapá nadica de nada, com raríssimas exceções.

Pergunto a vocês que achincalharam a miss:
Vocês conversam com seus filhos, sobrinhos, afilhados, alunos sobre o marabaixo, a festa de São Tiago, o batuque?
Vocês compram discos de cantores amapaenses?
Vocês tem em suas casas quadros e esculturas de artistas amapaenses?
Vocês leem autores amapaenses?

Vergonha alheia não é uma garota de 20 anos não saber a história do marabaixo. Vergonha alheia é o comportamento truculento de vocês.