As festas de São João

“Era festa da alegria  São João
tinha tanta poesia São João
tinha mais animação
mais amor, mais emoção
eu não sei se eu mudei
ou mudou o São João”
(Zé  Dantas e Luiz Gonzaga)

Junho é mês de passar fogueira, comer canjica e pé-de-moleque, beber aluá, quebrar o pote, subir no pau de sebo, ver o boi e o pássaro, testemunhar casamento na roça… Não, não. Não é mais assim. A cidade cresceu e a tradição foi se perdendo. As quadrilhas já não são as mesmas,  já não se grita “anarri-ê”, nem “lá vem a chuva”, “olha o toco”… As meninas que dançam quadrilha já não usam vestidos de chita e os meninos deixaram de usar calças remendadas e bigodes desenhados com carvão. Hoje o figurino é outro e a coreografia também. As modernas quadrilhas mais parecem comissão de frente de escola de samba. E o Chico Tripa pegou o beco.

Lembro do meu pai fazendo pé-de-moleque, da minha mãe fazendo aluá, de toda gente da minha rua fazendo fogueira, munguzá, cocadinha. Lembro das festas no terreiro. Em algumas casas era uma festança… no quintal, que se chamava terreiro, todo enfeitado com bandeirinhas feitas com  papel de pão e de revistas, principalmente revistas de fotonovelas.

Lembro do Rouxinol, na esquina da Leopoldo Machado com a Almirante Barroso. Era uma mercearia, mas como tinha um grande quintal o proprietário, Sr. Luís, realizava ali as mais famosas festas juninas da cidade. E chamava quadrilhas, bois e pássaros para se apresentarem. Depois começava o arrasta-pé. E no chão batido as damas da alta sociedade dançavam de salto Luís XV com seus cavalheiros impecavelmente vestidos. A molecada ficava na cerca olhando. Os melhores bois e pássaros se apresentavam lá. Um dos pássaros era do Cutião, o mesmo homem que fazia a boneca da banda. Era uma festa ver o pássaro do Cutião passar, imagine vê-lo se apresentar.

Outra festa inesquecível era numa casa na Avenida Padre Júlio, entre a Leopoldo Machado e a Jovino Dinoá. Lá tinha pau de sebo e quebra-pote.

Até aqui falei no bairro da Favela. Mas o bairro do Trem também era pura alegria. Era de lá a quadrilha mais famosa da cidade. Organizada, ensaiada e marcada pelo “chefe Biroba”.
E ninguém marcava tão bem e com tanta animação quanto ele.

Poema à fogueira

POEMA À FOGUEIRA
Arthur Nery Marinho

Fogueira de Santo Antônio
que ardes tal como arde
a chama do meu olhar!

Fogueira linda, que tanto
o meu tempo de criança
ora me fazes lembrar!

Não tenho mais estalinhos
pistolas também não tenho,
como não tenho balão.

Tenho somente a saudade
da infância que hoje não passa
de simples recordação.

Mas, psiu! Não digas nada
às crianças que hoje brincam
como em criança brinquei.
É cedo para que saibam
que na fogueira dos sonhos
minha esperança queimei.

Guarda silêncio, se ouves
o que, contrito, te pede
o meu pobre coração,
pela bondade de Antônio,
desconfiança de Pedro,
profecia de João.

Não digas nada, fogueira!
Não digas que tudo arde
neste mundo de ilusão,
que tudo não passa mesmo
das fantasias que acabam
quando incendeia o balão.

O poeta Arthur Nery Marinho faz parte da primeira geração dos modernos poetas do Amapá.
Nascido  em Chaves (PA), em 27 de setembro de 1923,  veio para o Amapá em 1946.
Ao lado de Alcy Araújo, Álvaro da Cunha, Aluízio Cunha e Ivo Torres, Arthur desenvolveu importantes projetos culturais.
Está na Antologia Modernos Poetas do Amapá,na Coletânea Amapaense de Poesia e Crônica, entre outras.
Em 1993 publicou o livro de poesias “Sermão de Mágoa”. Arthur morreu em 24 de março de 2003 e alguns meses após sua morte a Associação Amapaense de Escritores fez o lançamento do seu livro de poemas e trovas “Cantigas do Meu Retiro”.

Empresário do Amapá envolvido em extração ilegal de ouro

Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal, deflagrou na manhã desta sexta-feira (23/6) a Operação Ourives, para combater a extração ilegal de ouro no município de Mazagão/AP.
Policias federais cumpriram dois mandados de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva no município de Santana/AP.
As investigações apuram a atuação de empresário do Estado do Amapá que extraia ouro próximo ao Distrito do Cupixi, sem autorização dos órgãos competentes.
O empresário pagava entre R$ 20,00 e R$ 50,00 por dia para funcionários realizarem a lavra do ouro, Continue lendo

Prefeitura e Anvisa interditam 6 farmácias em Macapá

A Prefeitura Macapá e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realizaram nesta quinta-feira, 22, uma operação voltada à fiscalização de farmácias na capital. Durante todo o dia, seis drogarias foram interditadas e mais três foram notificadas a sanar pendências junto aos órgãos fiscalizadores.

Os estabelecimentos que foram interditados já haviam sido notificados anteriormente pela Vigilância Sanitária, para que sanassem irregularidades quanto à licença, validade de medicamentos, entre outras. Continue lendo

Poeta e promotor Flávio Cavalcante comemora aniversário pedalando 580km

Meu amigo Flávio Cavalcante – que é promotor de Justiça, escritor, poeta, atleta, fotógrafo e contador de causos – vai entrar pro rol dos cinquentões no dia 5 de julho. E resolveu comemorar este meio século de vida de uma forma muito diferente:  pedalar com 20 amigos de Macapá ao Oiapoque, por cerca de 580km. A expedição festiva começa nesta sexta-feira, 23.
Partiremos de Macapá nesta sexta levando a certeza da energia positiva e da torcida de todos. Cruzar o Amapá de bicicleta não é novidade, pois muitos já realizaram tal feito, mas desta vez o objetivo é festivo. Vamos comemorar meio século de vida, percorrendo caminhos de uma querida terra que me acolheu como filho”, diz ele.

No retorno vai ter bolo, guaraná e poesia, claro.

Flávio Cavalcante nasceu em Varzéa Alegre, no Ceará, mas está no Amapá desde 1991, onde é Promotor de Justiça.
Tem poemas publicados em várias coletâneas, participa ativamente de movimentos culturais, faz parte do Movimento Poesia na Boca da Noite e possui um blog de grande audiência: o Pedra de Clarianã (http://www.pedradeclariana.blogspot.com.br), onde publica causos do Amapá e do Ceará. Como atleta participa de maratonas por todo o país.

Publicado em: Gente Ir para o Post
  • Parabéns ao Promotor, bela iniciativa, moro em Oiapoque e estarei na torcida para que tudo dê certo, pois ainda estamos no período chuvoso e nossa estrada infelizmente é uma vergonha. Como uma autoridade de nosso estado, quem sabe esse projeto vai nos ajudar a trazer melhorias para a BR 156, denunciando o descaso de nossos governantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Randolfe pede atenção para papel do BNDES na recuperação da Jari Celulose

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) pediu atenção para o papel do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) na recuperação da empresa Jari Celulose. Ele lembrou a importância econômica e social do empreendimento, situado na divisa entre o Pará e o Amapá, e falou das sérias dificuldades financeiras que a Jari Celulose enfrentou em anos recentes.
Segundo Randolfe, o BNDES socorreu a empresa com um empréstimo, mas exigiu, como contrapartida, a preservação dos empregos. Porém, em visita ao Vale do Jari, o senador verificou que uma empresa terceirizada da Jari Celulose demitiu mais de 400 trabalhadores sem pagar os direitos trabalhistas.
– Representa, na verdade, mais de duas mil pessoas que não têm perspectiva de futuro e não foi para isso, não foi com essa finalidade que a Jari Celulose recebeu recursos públicos para financiamento para suas atividades – disse o senador.
(Texto e foto: Agência Senado)

Aplausos para a PMM

Muito legal a atenção que a Prefeitura de Macapá vem dando aos idosos. Semana passada houve atividade física para eles na bela praça Floriano Peixoto, ontem houve um passeio a um parque aquático onde tiveram aulas de hidroginástica e atividades recreativas e se divertiram a valer.

“Trabalhar com a terceira idade requer muito mais que a aplicação de atividades e conhecimento de exercícios adequados. É necessário dedicar amor, carinho, tempo e atenção”, diz Renata Hamoy, coordenadora do Núcleo de Saúde da Família (Nasf). E acrescenta: “Aqui trabalhamos a prevenção, a saúde física e mental. Alguns chegam procurando uma conversa, um abraço, e atividades em ambientes diferentes que ajudam a sair da rotina”.

Benefícios para os militares

Com a votação unânime dos 20 deputados presentes à sessão deliberativa desta quarta-feira (21), a Assembleia Legislativa do Estado (Alap) aprovou o Projeto de Lei Complementar, de autoria do Poder Executivo, que promove alterações no Quadro de Praça Policiais Militares Especiais e Quadro Especial de Praças do Corpo de Bombeiros Militares, beneficiando mais de 700 servidores.
A sessão foi acompanhada por policiais militares, bombeiros militares e por diversos representantes das associações de classe que congregam esses servidores.

Continue lendo

É hoje

Poeta e escritor premiadíssimo, o promotor de Justiça Mauro Guilherme presenteia o público amante das letras com mais duas excelentes obras. São os livros de contos “História de Pássaro” e “Contos Estranhos”, que serão lançados hoje, às 19h, no terraço da Procuradoria Geral de Justiça (Orla do Araxá).

Chegada de franquias a Macapá pode gerar aquecimento da economia

Informe publicitário

O ano de 2017 já está entrando na sua segunda fase e a expectativa no mercado empresarial se renova com a chegada deste segundo semestre. Diante deste sentimento, o Amapá Garden Shopping, empreendimento localizado na zona sul de Macapá, também aposta no crescimento e fortalecimento da economia da capital amapaense com a injeção de quase R$ 13 milhões no mercado de varejo até o fim deste ano.

Baseada em números, a expectativa é reflexo do interesse de grandes empresas nacionais em se instalarem no mercado amapaense. “Hoje nosso comercial trabalha com 27 franquias nacionais que possuem o forte interesse na instalação de lojas em nosso shopping, em que aguardam somente por investidores”, afirmou o superintendente do Amapá Garden Shopping, Boby Perkson. Continue lendo