Artigo – Ao Prefeito Clécio Luís

Ao Prefeito Clécio Luís
Sérgio La-Rocque*

“o meu pai era paulista, meu avô pernambucano, o meu bissavô mineiro, meu tataravô baiano……”
Não sou filiado ao PSol e nem tenho procuração, mas como cidadão macapaense fiquei muito feliz quando soube de sua intenção em nomear para a Secretaria de Saúde do Município o Dr. Maurício Bezerra. Digo isso porque conheço o seu trabalho como gestor da área da Saúde no vizinho estado do Pará durante o governo da companheira Ana Júlia – PT, do qual também participei na COSANPA.
Como colega de Equipe do governo, pude testemunhar o magnifico trabalho que ele desenvolveu a frente da Santa Casa, dando uma enorme contribuição ao SUS e por consequência à qualidade de vida de todos.

Me causou profunda repulsa, em função dos argumentos utilizados, ouvir e ler nos meios de comunicação reações contrárias a sua intenção. Argumentos esses que vão do mais estúpido bairrismo ao preconceito; chegando ao ponto de acusá-lo, cinicamente, de homicida, sem explicar as razões e os porquês dessa desagradável situação vivida pelo Dr Maurício Bezerra, quando dirigia a Santa Casa, em Belém, em face do caos herdado da gestão anterior, tal qual a herança recebida pelo governador Camilo Capiberibe do governo da harmonia, a qual esses porta-vozes avalizavam.

São os mesmos que tentaram desqualificar a Lama Asfáltica, tecnologia mundialmente consagrada em manutenção de vias e rodovias, introduzida no estado durante minha gestão a frente da SETRAP, cujos resultados positivos são visíveis até hoje na Rodovia Duca Serra e no Ramal do km 9.

Aliás, na mesma toada, urraram também quando da indicação da Dra. Badine para a CTMAC.

São inaceitáveis esses disparates, cuja motivação, a juízo deles, é a pretensa defesa do solo macapaense de “invasores” (sic). Antes fosse, nessa terra de migrantes; mas na verdade são atitudes daqueles que só pesam e agem olhando o próprio umbigo, e estão pouco se lixando se a Saúde e o Trânsito vão melhorar. Não há outra conclusão possível diante desse comportamento.

Isto escrevo de cadeira, pois exerci minha atividades profissionais e alguns estados brasileiros, e, em todos, sem exceção, fui muito bem recebido, bem tratado e reconhecido. Tenho muito orgulho disto: honrei o nome do Amapá pelos rastros dos bons serviços prestados ao País.

Aqui mesmo, temos uma presença exorbitante, em todas as áreas, de profissionais de outros estados que escolheram o Amapá para viver e trabalhar.

Cito, em nome deles, o próprio dono deste Jornal, o jornalista Luiz Melo, os grandes poetas, João-zinho Gomes e Fernando Canto, o grande engenheiro e gestor Ortiz Vergolino. Todos, para o meu prazer, fraternos amigos.

Cito, em nome delas, a primeira dama do Estado, Cláudia Camargo Capiberibe; a juíza, Alaíde de Paula; a escritora, Luli Rojanski e a economista Maria Garcia. Todas, para o meu prazer, fraternas amigas.

A todos e a todas, nossas homenagens pelos va-lores que agregam ao estado e pela honra de suas presenças.

Assim, afirmo com todas as letras, o Dr Maurício e Dra. Badine são excelentes profissionais em suas respectivas áreas e têm muito a agregar ao acervo técnico do nosso município. São brasileiros com direito de ir e vir, assegurados em nossa Constituição. Suas presenças, com certeza, só irá engrandecer a administração municipal pelos resultados que produzirão em favor da população de Macapá.

É hilário imaginar que se, por algum motivo, o Dr. Adib Jatene e a Dra. Ermínia Maricato resolvessem trabalhar no e para o Amapá, a reação estúpida desses porta-vozes.
Prefeito Clécio, firme no leme. Como bem disse o “georgiano”: “o que é, é nada perto do que precisa ser feito.” A cidade agradece.
Dr. Maurício e Dra. Badine, BEM-VINDOS!…
Que venham mais migrantes qualificados!…O Amapá agradece.
Abaixo os porta-vozes do atraso!..

* Sérgio La-Rocque é engenheiro químico/MBA, trabalhou no grupo CAEMI, VOTORANTIM, SRC e JPE Engenharia. Foi presidente da CAESA, diretor e presidente da COSANPA, Secretário de Transportes do Amapá e Diretor-Presidente da ARSAP. Atualmente é consultor de gestão, engenharia e relações institucionais, associado ao escritório Bemerguy & Ferreira advogados.
  • Vou ser grosso, lamentavelmente, não generalizando, mas parte do secretariado do governo e prefeitura, são graduado em ( puxasacológia) e tem nos currículos, carregar bandeiras em caminhadas e bater palmas em comícios e inaugurações oficiais. Motivo pelo qual a administração publica é esse COCO.

  • Concordo com o La Rock. O bairrismo é um sentimento provinciano e atrasado. Todos somos brasileiros, pagamos os nossos impostos e andamos dentro da lei…

  • Os dirigentes, governantes do Amapá, na sua grande maioria sempre foram de outros estados. Então pergunto, resolveram o problema?

  • Boa, La Roque. O que importa de onde vem, se for para somar. Quem sabe faz bem em qualquer lugar, público ou privado, norte ou sul. Lembrei-me de que falaram sobre mentes pequenas Einstein e Fernando Pessoa.

  • Isso tudo é politicagem. Esses só são convidados por indicação política de alguém (EDMILSON).
    E sabido que esse quadro Técnico que o Clécio está formando com pessoas de fora tem indicação política. Não vejo nenhum problema, desde que trabalhe em prol da sociedade. Afinal, quase toda a população amapaense tem raízes paraense.
    Sou contra esse falso moralismo de dizer que leva em consideração apenas critérios técnicos.
    Essa situação de o La Roque dizer que o Camilo herdou problemas da gestão passada. Isso já não cola mais!!!! Ele e o Clécio tem que trabalhar e mostrar serviço.

  • O problema é que no Amapá sempre se privilegiou um secretariado com víeis político ao invés do técnico, por conta de acordos eleitorais. Um grande exemplo é CEA que sempre foi usada para agraciar o PT local, e chegou ao fundo do poço obrigando o governo fazer um empréstimo bilionário para salvá-la. Outro exemplo é o secretariado de Camilo, composto de uma equipe fraquíssima, que não consegue atender os serviços mais básicos da população (saúde, educação, segurança e etc..), o que reflete na rejeição monstruosa de Camilo, que pelo que tudo indica é governo de apenas um mandato . O próprio La Rocque foi vítima, pois embora seja um técnico gabaritado viu o Setap ser usado como moeda de troca com a Assembleia por conta da aprovação do orçamento. E aos bairristas digo que competência não tem naturalidade, então que venham os bons.

  • La-Rocque estais correto, mas o prefeito e seu partido, arrotando honestidade e ética pelos quatro cantos do mundo e nomear como colaboradora uma senhora condenada por um colégio de julgadores. Paciência, pode ser competente, poder ser o que for, mas é ficha suja. É a lei.

  • Parabéns La-Roque,
    Esse é um debate próprio.
    A elite política que ainda corrói o Amapá terá sempre um argumento, ainda que sem nenhuma criatividade, bizarro mesmo, para impedir que pessoas decentes possam contribuir com a cidade. A resistência é manifestamente falsa. O que desejam é, como de hábito, destruir lideranças que não reverenciam suas práticas para retomar o poder e, como já visto tantas vezes, segregar o dinheiro público para alimentar monopólios políticos absolutamente indesejáveis.
    Li, outro dia, que a Dra. Badine – e eu sequer a conheço – estaria incursa na lei da ficha limpa por ter sido multada pelo Tribunal de Contas do Pará. Ora, em casos assim, as contas não são sequer desaprovadas. Depois, a multa, em regra, aponta impropriedades em contas examinadas sem irregularidade insanável ou comportamento doloso. Isso não faz do administrador um improbo e muito menos incurso na lei. Penso que o jogo é de política e política bem ordinária.

  • Vamos dar um basta nesses paraquedistas. Lembrar ao ilustre alcaide municipal que quando da releição esses paraquedistas votam fora….

    • Então você é desses que acha que cargo deve ser trocado por voto? É isso que está deixando claro. Por causa desse “vota em mim e te dou um cargo” que o Ap, está no fundo do poço. Deixa disso, Mamede!

    • Que isso, meu senhor? Não seja tão ingrato com tantos irmãos que vieram de outros Estados do país e tanto colaboraram e colaboram para o desenvolvimento deste nosso Amapá. Não podemos continuar trocando nossos votos por cargos e contratos para os nossos.

  • A Super Interessante desta semana traz uma matéria que aponta que os políticos, ao contrário do que se espera, não trabalham para os cidadãos.

  • La-Rocque, parabéns pela iniciativa de escrever sobre o tema. Independente da naturalidade do gestor público, a Administração deve ser eficiente em todos os aspectos. Se o Amapá ainda é carente em profissionais com ampla capacitação técnica, nao só pode como deve agregar em seu quadro profissionais de outros estados da Federação. Faço votos que nosso governador leia sua inteligente nota e efetivamente renove o quadro técnico das Secretarias de Estado. Novamente Parabéns pela iniciativa e um forte abraço do amigo Tininho.

  • Nada contra com quem vem pra SOMAR. O Amapá precisa.
    O PSOL prega moralidade. O TCE do Pará condenou a Dra. Cristina Baldine a devolver dinheiro aos cofres públicos (ela está recorrendo da decisão). Recentemente foi nomeada para a CTMAC.
    Temos profissionais competentes, honestos com faro no serviço público.
    Prefeito Clécio, aproveite os servidores de carreira da PMM.
    Como dizia Raul Seixas “(…)tenha fé em Deus tenha fé na vida”.
    Força e coragem. Dias melhores virão.
    Bom noite !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *