A Banda não passará mais na Avenida FAB

SMaior bloco de sujos da região norte, a Banda – que arrasta milhares de foliões nas tardes da terça-feira gorda em Macapá, vai mudar o itinerário pela primeira vez em 49 anos. Criada como forma de protestar contra o governo que, na época da ditadura, proibiu o carnaval no Amapá, a Banda – animada pela música de mesmo nome de Chico Buarque – percorre as principais ruas de Macapá e termina na FAB, a avenida onde fica o Palácio do Governo.
Mas na FAB ficam também três hospitais: o de Especialidades, o da Criança e a Maternidade. Daí que o Ministério Público e a Secretaria de Saúde solicitaram a mudança de itinerário, justificando que a Banda com suas dezenas de carros de som e milhares de brincantes perturba os doentes e atrapalha o tráfego de ambulâncias. Os diretores do bloco decidiram seguir a recomendação. E a partir deste ano, a Banda não passará mais na Avenida FAB. Irá pela Ernestimo Borges.
Eis o novo trajeto: Presidente Vargas, Cândido Mendes, Feliciano Coelho, Leopoldo Machado, Ernestino Borges, São José, Praça Barão do Rio Branco.

Você é contra ou a favor da mudança do itinerário?

  • Isso vai dar o que falar, na Fab há poucas residências, a maioria dos edificações são de órgães públicos, com a mudança de itinerário a Banda deixa de “incomodar” alguns hospitalizados, porq nem acho que todos se incomodam, afinal é um pouco de alegria e diversão pra muitos que estão hospitalizados. Agora me pergunto se o MP consultou os residentes da Enestino Borges….. Porque com toda certeza o incomodo pra eles será maior.

  • Parabens pela troca do trajeto da Banda, temos que respeitar sim nossos doentes que estão hospitalizados porque só quando estamos em um leito de hospital é que sentimos na pele a dor do sofrimento, e o barulho é muito grande p/quem está doente, aliás pertuba mesmo.Temos que ver que Macapá cresceu e a população tambem e o número de foliões tambem. Não é mais aqueles gatos pingados de antigamente´que quase não faziam barulho, agora a banda arrasta milhões de foliões que pertuba sim os hospitais.

  • A questão da Banda não é o itinerário e sim, que me desculpe os membros da Comissão Organizadora, é a má utilização dos recursos repassados pelo Estado para apoiar o maior Bloco de sujo da região norte . A animação perdeu força por conta do aumento de foliões e isso é natural, claro, mas não se pensou em aumentar o numero de Trios Elétricos ao longo da Banda. O que se vê é um Trio Elétrico, que serve para conduzir os membros dessa Comissão, pois não existe carnaval sem musica alegre para animar os foliões. Para tapar essa falta os próprios foliões imprevisão seu som em carros velhos e caminhãozinhos de brinquedos. Outra questão é a iluminação precária ao longo percurso, principalmente quando chega à Av. FAB, onde o que se vê é só brigas e assaltos, e a Comissão é incapaz de emitir um documento à CEA solicitando uma melhor iluminação no percurso da Banda.

  • sou contra! aqui se muda tudo, tradição zero! esses hospitais existem a ‘ 500’ anos na FAB e só agora o barulho veio incomodar os doentes???

  • Depois que saí de Macapá, só acompanho o carnaval daí por meio de fotos e posso constatar que a Banda perdeu muito do brilho do carnaval de antigamente. No meu tempo, o carnaval era mais animado e os foliões muito criativos. Certa vez, encontrei um colega na Banda de terno, gravata, cabelo bem penteado, sapato social engraxado, com um livro de capa preta. Perguntei a ele se aquilo era traje para brincar carnaval. Ele me explicou: – Estou fantasiado de pastor evangélico. Eu saí na Banda de todas as fantasias que se pode imaginar; até de Risoleta Neves eu me fantasiei. Faz tempo que não curto o carnaval macapaense, mas, pelo que noto, está muito sem graça, se comparado aos tempos áureos do meu tempo. Prefiro o carnaval da Vigia, mas está ficando muito elitizado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *