30 anos de amor pelo carnaval de Boêmios

Adolfo Ardasse,  ritmista da Bateria Pororoca, filho de tradicional família amapaense, é uma referência de amor ao carnaval de Boêmios do Laguinho.
Ele mora há anos no Rio de Janeiro, mas quando chega dezembro ele começa a “pressionar” a família pra lhe dar uma passagem para Macapá a fim de participar dos ensaios da bateria. Há 30 anos ele é ritmista da “nação negra”.

José Ardasse (Batore), irmão de Adolfo, conta que em  2008, por ocasião da homenagem prestada pela Escola Beija-Flor  aos 250 anos da cidade de Macapá, quando a família encontrava-se na quadra de ensaios em Nilópolis o ritmista de Boêmios do Laguinho tocou e foi convidado para integrar a bateria da escola carioca. Adolfo, respondeu de bate pronto ao convite – não,obrigado, vou para Macapá desfilar no Boêmios.

“Histórias como estas emocionam e contribuem para aumentar nossa paixão pela cultura carnavalesca e pelo Boêmios”, diz um laguinhense.

  • Nossa! Fiquei muito feliz quando li essa materia, em saber que as pessoas mesmo de longe nao esquecem suas raízes e nem deixam morrer o amor por sua escola, digo Universidade. Parabens e seja sempre bem vindo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *