Sindjor e Fenaj repudiam presidente da Liga das Escolas de Samba do Amapá

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Amapá

NOTA OFICIAL

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amapá (Sindjor/AP) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) protestam e repudiam, mais uma vez, a decisão da presidente da Liga das Escolas de Samba do Amapá – Liesa -, Maria José Silva, conhecida por “Marjô”, de não credenciar para a cobertura do carnaval 2010, jornalistas e veículos de comunicação que, reconhecidamente, fazem esse trabalho há anos. Fato parecido aconteceu no ano passado.

Além de impor a censura, a decisão fere de morte o direito constitucional do livre exercício da profissão. Não custa nunca lembrar que os grandes prejudicados pela censura são os cidadãos, privados do seu direito de serem livremente informados.

Este ano, veículos de comunicação como o Diário do Amapá, Rádio Difusora, sites, blogs e etc, além de profissionais, são vítimas desse tipo de violência praticada por dona Marjô. Não pode haver privilegio, tão pouco, discriminação por pura vingança ou pirraça.

Estamos novamente acionando as autoridades competentes, na tentativa de não permitir que jornalistas sejam impedidos de exercer a profissão. Isso é um retrocesso do estado democrático de direitos, com prejuízos sem precedentes à sociedade

Volney Oliveira
Presidente

  • tratando-se do estado do Amapá, não causa admiração nehuma, pois neste estado, tudo acontece e nada se pune. É incrivel como os ouvidos das autoridades competentes são inteiramente de mercador. Porque será?

  • Bom dia querida amiga! Me desculpe, mais acho que já está na hora de defenestrar de vez a presidente da liesa, cujo nome, por nojo, evito até escrever neste comentário. É hora dos integrantes da Imprensa formarem um pacto, não falando, não entrevistando, não fazendo a menor referência ao nome ou aos atos dessa fulana. Ela faz e acontece, esnoba jornalistas e a segunda feira está sendo procurada para dar entrevistas, no rádio, na tv e mídia escrita. Creio até, que ela pensa que temos medo dela, que ela é importante por ocupar o posto máximo da liga. Estou consciente que não é esse o comportamento de quem tem o dever de informar, mas é que a fulaninha de tal, presidente da liesa, com suas atitutes, já me encheu o saco.Entretanto, se é necessário que ela seja notícia, vamos fiscalizar, exigir prestação de contas dos recursos recebidos, saber de tudo, quanto custou, onde foi comprado, se houve ou não superfaturamento de material, se verbas não foram desviadas e por aí vai. Perdoem minha grosseria e bom carnaval à todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *