Sobre covardia e covardes

Por Cláudia Chelala

A covardia está relacionada ao ânimo traiçoeiro, pusilanimidade, deslealdade, sordidez. Quando alguém ou um grupo de pessoas se prevalece de uma situação ou circunstância favorável sobre quem não tem condições equivalentes de defesa.

Sou macapaense, tenho 42 anos e nasci no Bairro da Favela, sou economista com mestrado realizado na Universidade de Brasília e doutorado na Universidade Federal do Pará. Sou professora da Unifap, contribuindo para a formação de centenas de jovens do meu Estado e aonde há quase quatro anos exerço a função de Pró-Reitora de Administração e Planejamento. Sou mãe de dois rapazes, esposa de um homem admirável, filha, irmã, tia, madrinha e amiga de um grande número de pessoas que a minha profissão me deu a oportunidade de conhecer.

Jamais tive meu nome vinculado a nenhuma agremiação partidária neste Estado e tampouco a nenhuma escola de samba, bloco de carnaval e sequer jamais fui ver a banda passar… Fui convidada para ser jurada do Carnaval 2010 justamente pelas características de imparcialidade com a qual busco me conduzir ante aos temas: partidos políticos e escolas de samba. Contudo e, para minha sorte, tive meu nome impugnado por razões que desconheço.

Para minha surpresa, por conta de uma série de confusões ocorridas na apuração do Carnaval 2010, estou sendo vítima de sórdidos ataques de pessoas (porque não posso chamá-los de Homens) tentando macular minha biografia no sentido de vincular minha imagem a uma série de eventos que não fazem parte da minha vida como fraudes, subornos, má-fé, etc.  Esse cenário de bandidagem expõem nitidamente o caráter (ou melhor, a ausência dele) daqueles que assacam contra mim, uma vez que eu não estive no Sambódromo, não julguei ninguém, e não há como sustentar uma trama eivada de covardia.

A história tem reservado aos covardes um espaço inversamente proporcional as suas ações.

Nós cidadãos amapaenses gostaríamos de ver o mesmo empenho extravagante que alguns expõem durante os dias de folia, por exemplo, em Brasília, na luta pela incorporação no quadro de funcionários da União de parcela dos servidores municipais. Tal feito desoneraria a Folha de Pagamentos da Prefeitura Municipal de Macapá, possibilitando um aumento de salários aos valorosos servidores da PMM.

De igual maneira queremos segurança pública de verdade, em um Estado que se torna cada dia mais violento, ante a um serviço extremamente precário e divorciado das demandas sociais. Aproveito para solicitar ao Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil que observem a conduta de autoridades policiais que podem estar utilizando os veículos de comunicação para acusar inocentes sem provas.

Quanto à parcela da imprensa marrom, é bom que ela exista. Assim é possível separar o joio do trigo. Isso só realça os profissionais de comunicação que estão verdadeiramente prestando serviços a sociedade, daqueles que eu sequer vou me ocupar em tecer comentários, em função de sua absoluta ausência de vértebras.

A mim só resta agradecer as inúmeras mensagens de solidariedade de meus alunos, ex-alunos e colegas da Unifap, e dizer que estou processando judicialmente a todos que desferiram leviandades contra meu nome e a história de honradez e dignidade que construo dia-a-dia em todos os espaços que ocupo no meu Estado, e que não deixarei arranhar com um esdrúxulo e melancólico enredo de covardia.

Cláudia Chelala

  • Conheço a pessoa da professora C. Chelala, ainda que de poucos contatos, somos colegas aqui na UNIFAP, e é uma honra para mim trabalhar perto de uma pessoa tao compente, inteligente, proba e honesta. Sou solidario a sua insatifaçao. QUE OS PITBULS DO ATUAL MANDATARIO PENSEN NA REAÇAO FEROZ QUANDO ATINGIREM UMA HONRADA E CONCEITUADA DOCENTE DO NOSSO ESTADO.
    (Nezimar Borges – Rádio Universitária)

  • Parabéns faveliana, a senhora é uma amapaense de grande calibre e muita honesta. Alguns precisavam ler suas verdades.

  • COVARDE É A MARJÔ QUE FECHOU A LIESA SEM DAR UMA SOLUÇÃO PARA O PROBLEMA. FUGIU SEM DIZER QUEM REALMENTE É A CAMPEÃ DO CARNAVAL. É BOM QUE P/ ESSE TIPO DE COISA EXISTE A JUSTIÇA QUE JÁ DEU FAVORAVEL AO PIRATÃO COMO CAMPEÃO DE 2010.

  • Depois do desabafo de nossa querida Dra. Claudia, nada mais a dizer sobre os “dirigentes, carnavalescos e aspones”. Parabéns querida e força sempre.

  • Pobre Amapá. Infelizmente a politicagem se implantou em todos os setores da vida amapaense. Que bom que temos os blogs, pois está quase tudo impregnado pela maioria de maus políticos e de grande parte da imprensa. Lameiam pessoas dignas e enaltecem os ladrões e corruptos. O Amapá é uma unidade da federação e muitos que se acham donos pensam que ainda é uma província. Que tristeza!

  • Sinto pelo seu desabafo, pois te conheço alegre e irradiante. Com sucessivas injustiças nos tornamos acidos. Para acabar com isso, no proximo ano saia na Banda, que é o unico espaço real do carnaval do Amapá. Vamos Claudia! solte aquela risada que lhe é peculiar. Beijoca

  • Entendo muito bem sua dor, grande cidadã amapaense, pois que de outra forma eu e meus colegas de profissão já fomos atingidos, e justamente por pessoas com o perfil que descreves com tanto esmero que chego a vê-los um a um, como num pesadêlo que parece não ter fim. Se nào sabes, nós, os advogados públicos municipais temos todos os dias nossa imagem denegrida e por pessoas que achamos não se sentirem capazes de crescer e vencer com dignidade e, usam as palavras para nos chamar de incompetentes, preguiçosos, tudo no intuito de abocanharem os lugares que fizemos jus por concurso público. Esses tipos de pessoas tentam até mesmo se infiltrar nas entidades como a OAB, MP e usando o poder de persuasão negativa para induzir seus representantes a cometerem erros e consequentemente, injustiça. É o que tentam fazer hoje junto a OAB/AP, mas que sabemos que não terão sucesso em vista do caráter do atual presidente, que além de saber das implicações legais em abrir mão de direitos adquiridos de seus representados, é um homem cristão. Portanto, Doutora, vá a luta, busque a OAB e até mesmo a Corte Internacional de Direitos Humanos, que é o que pretendemos fazer caso nossa luta não tenha eco neste Estado ou neste País. Boa sorte e se precisares de apoio, estamos aqui.

  • É claro que o carvanal de 2010 foi atípico, sendo que alguns jurados/julgadores usaram sim, de má-fé e parcialidade(em suas notas) para beneficiar uma escola de samba em detrimento de outras. Sandice é acreditar que tudo foi feito de maneira isenta e sem a atuação de “forças estranhas”. Este espaço é democrático e para debate de idéias e opiniões e não para ameaças de processar seja quem for. Não estamos num banco de universidade e não precisamos de professor(a) para professar aquilo que pensamos. O que não pode prevalecer é o norteamento de pensamento e a velha cantilena sarneysiana de que tudo gera processo. Cultura democrática é bom e não se aprende em banco de universidade. E não interessa se a pessoa é um simples homem/mulher do povo, um graduado, um mestre(a) ou um doutor(a). Para dar opiniões e pensamentos não é necessário prova de títulos, pois aqui não é o local adequando. História, passado todos nós temos e cada um faz a sua de acordo com seu contexto. Não precisamos que alguém fique ditando se é boa ou ruim, de êxitos ou fracassos. Assim como venderam as eleições de 2008, também venderam o carnaval de 2010 e todos sabem para quem. Excesso sem há, quando ocorrem injustiças. Criancice e falta de maturidade é destilar ódio e rancor sem atentar para a gravidade da situação a que chegou o nosso carnaval. A sociedade não é apenas o muro da universidade, ela é mais abrangente e multifacetada. As denúncias são graves e sérias e tem de ser apuradas sim. E PARABÉNS para quem teve a ousadia, o destemor e o compromisso com a verdade de denunciar os esquemas do carnaval amapaense não só deste ano, mas também de anos anteriores, através da compra/manipulação de jurados/julgadores.

    • Foi atípico, realmente. Com um desfecho daqueles, com o “herói da nação negra” fazendo tudo aquele papelão e vindo a imprensa com seu destempero e descontrole revoltado. Como disse a Cláudia: Queria que ele tivesse esse espírito de luta defendendo os servidores da PMM.
      Não precisava fazer isso. Se acha que houve compra de jurado: Vá ao MP e denuncie! Ele, como advogado, sabe bem disso.
      E acho ufanismo demais comparar as eleições de 2008 com o quadro atual do carnaval, que tem grande responsabilidade da Diretoria incompetente que a coordena, que só foi manchada mais ainda com essa patuscada.

  • Sou universitário da unifap….não fui aluno dela…mas sua sinceridade e seu carater é incontestável dentro daquela instituição….é inadmissível que ocorram comentários sórdidos e desprezíveis sobre a Cláudia…bjim

    • Parabéns claudia Chelala:

      É desse tipo de pessoa que o estado esta precisando. Coragem que você já é uma vencedora. Parabéns pelo depoimento. Concordo com você plenamente.

  • E o que eu disse em outro tópico. Acho mais fácil depreciar jurados e querer bagunçar um processo de apuração do que reconhecer que, apesar de plasticamente bonita e ter maioria de aprovação dos espectadores, o carnaval também é feito de pontos técnicos e que pode ter um desfile eivado de falhas técnicas.
    Então eliminamos os quesitos MS & PB, Evolução, Fantasias…e criemos outros, como: Animação ao público, aceitação popular etc.
    E outra..falam pelos quatro cantos que compraram-se jurados. Tem prova de onde foi? Quem foi? quanto foi?..enquanto se não tem nada provado, nada pode ser dito referente a isso. Sempre todo ano existe notas contestadas, e garanto que todas as escolas, SEM EXCEÇÃO, já foram prejudicadas diversas vezes por notas incompatíveis com o esmero da escola. E nem por isso ocorreu toda essa baixaria que a desrespeitada população amapaense foi obrigada a ver.

  • Parabéns pelo texto, Cláudia. O que eu digo: Quem deve não teme. E os que falam muito, depreciando jurados e etc…são os que temem mais…Perfeita a explanação de ir lutar em Brasília por uma adequação dos servidores da PMM…”a carapuça serviu”…pior é gente dessa índole querendo nos representar na AL..estamos perdidos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *