O cachimbo do poeta

Este era um dos cachimbos do poeta, escritor e jornalista Alcy Araújo, que a partir de hoje passa a fazer parte do Memorial Alcy Araújo na Galeria Alcy Araújo, que será reinaugurada às 18h na Biblioteca Pública Elcy Lacerda.

Alcy Araújo e o Teatro

Alcy Araújo amava todas as artes. Era um apaixonado pelo teatro. Tanto que foi por iniciativa dele que os amapaenses puderam assistir a peça “Deus lhe pague”, aliás esta foi a primeira peça teatral trazida para o Amapá. Foi apresentada no Cine Territorial.
Alcy fazia parte do “Teatro de Amadores do Amapá”, fundado em 1960.
O Teatro das Bacabeiras só existe por causa da luta dele. Durante anos Alcy tentou convencer os governantes da necessidade do Amapá possuir um teatro, fez estudos, projetos e tudo o mais. Até que conseguiu. E aí está o Teatro dos Bacabeiras.

O poeta no rádio

Naquele tempo locutor só entrava no estúdio com o script na mão.
Do meu baú, recolhi a primeira folha do script de um programa especial de Natal, apresentado por Alcy Araújo, Pedro Silveira e Edvar Mota na Rádio Educadora.

Eis:

O poeta era torcedor do Bangu

Alcy era banguense e tinha até essa revista especial do Bangu, que ganhou – com dedicatória – do amigo e representante do governo do Amapá no Rio de Janeiro Raimundo Pontes Holanda, em 1991.
Como eu também sou torcedora do Bangu, mais tarde ele me presenteou com essa revista, que guardo até hoje.

Revirando arquivos, baús e lembranças

Como vocês já sabem, nesta sexta-feira, 3,  é a reinauguração da Galeria Alcy Araújo, às 18h, na Biblioteca Pública Elcy Lacerda.
Desde que o anúncio foi feito pelo governo eu venho revirando os arquivos, baús e lembranças que guardo do meu amado pai.
E vou escaneando ou fotografando algumas coisas para compartilhar com você, leitor do blog.
Role a tela  todas as vezes que você entrar  entrar aqui, pois sempre terá algo novo logo abaixo.