Dez candidatos disputam a prefeitura de Macapá. Veja quais são

Dez candidatos disputam a Prefeitura de Macapá. São 9 homens e apenas uma mulher concorrendo ao cargo de prefeito.
Veja quais são:

Capi (Frente Macapá Solidária) – 73, anos. João Alberto Capiberibe é zootecnista. Foi preso e exilado durante a ditadura. Ingressou na política disputando uma vaga de deputado federal pelo PMDB quando retornou ao Brasil após o exílio. Não se elegeu. Mais tarde, já no PSB, foi eleito prefeito de Macapá, governador duas vezes (1994 e 1998)  e senador. Em 2006 e em 2018 tentou voltar ao governo, mas foi derrotado por Waldez Góes.
Capi é o candidato da coligação Frente Macapá Solidária, formada pelo PSB e REDE.

O vice é o advogado e poeta Ruben Bemerguy (REDE)

Cirilo Fernandes (PRTB),  53 anos, é funcionário público. Desde 2008 disputa todas as eleições. Já foi candidato a vereador duas vezes, candidato a deputado federal, a deputado estadual e a governador. Em 2008 e 2010 disputou pelo PTB; em 2012 pelo PSOL, em 2014 pelo PPS e em 2018 pelo PSL.
Cirilo tem como vice o comerciante Lindemberg Silva que, assim como, desde 2008 vem tentando um cargo eletivo pelo PPS, PRTB e Solidariedade.

Dr. Furlan (De coração por Macapá), 47 anos, médico. Furlan é deputado estadual.
Foi eleito pela primeira vez em 2014 e reeleito em 2018, as duas vezes pelo PTB.
Atualmente é filiado ao Cidadania.
Sua vice é Mônica Penha Dias, indicada pelo MDB.
A coligação De coração por Macapá é formada pelo Cidadania, MDB e PMN

 

Gianfranco Gusmão (PSTU), 47 anos, é professor.
Foi candidato a suplente de senador em 2006 e a governador em 2018, sempre pelo PSTU.
Seu vice é o agricultor Jairo Marques, 41 anos
Jairo  foi candidato a deputado estadual em 2010 e a deputado federal em 2018.

 

Guaraci (Deus, Pátria e Família) – 46 anos, é empresário. Filiado ao PSL.
Em 2006 candidatou-se a deputado federal pelo PSC no estado de Tocantisn. Em 2018, já no Amapá, foi candidato a senador pelo PTC.
Seu vice é o comunicólogo Didio Silva.
A coligação Deus, Pátria e Família é formada pelo PSL e Patriota.

 

Haroldo Iran (PTC) – 55 anos, é funcionário público federal, ele tem 55 anos, e disputa a prefeitura pelo PTC.
Estreou na política em  2018 disputando uma cadeira de deputado estadual, mas não conseguiu se eleger.
Seu vice é Moisés Amaral que, também em 2018, foi candidato a deputado estadual.

 

Josiel Alcolumbre (Coligação Macapá em primeiro lugar), 47 anos. É empresário e jornalista. Josiel é suplente do senador Davi Alcolumbre (DEM), seu irmão.
A Coligação Macapá em primeiro lugar é composta pelos partidos PDT / PSC / PL / PV / PSDB / PSD / SOLIDARIEDADE / PROS / AVANTE / REPUBLICANOS / PP / DEM.
Sua vice é a enfermeira Silvana Vedovelli, ex-secretária municipal da Saúde. Em 2018 ela foi vice de Davi Alcolumbre na disputa pelo governo do Amapá.

 

Patrícia Lima Ferraz (Podemos) – 40 anos, odontóloga. Dos dez candidatos ela é a única mulher a encabeçar chapa na disputa pela Prefeitura.
Essa é a terceira vez que concorre a um cargo eletivo. Em 2014 e em 2018 foi candidata a deputada federal. Em 2014 pelo PSC e em 2018 pelo PR. Eleita suplente, assumiu por alguns meses a cadeira de deputada federal no impedimento do titular.
Seu vice é o Tenente Juraci, bombeiro militar.

 

Paulo Lemos (Macapá para todos nós) – 48 anos, deputado estadual eleito 2014 e reeleito em 2018 pelo PSOL. Antes de pertencer ao PSOL era do PPS, partido pelo qual disputou o cargo de vereador em 2004.
Sua vice é a empresária Lorena Quintas, do PCdoB.
A coligação Macapá por todos nós é formada pelo PSOL e PCdoB.

 

Professor Marcos (PT) – 49 anos. É professor e advogado. Foi secretário de estado da segurança pública no governo de Camilo Capiberibe (PSB).
Sempre pertenceu ao PT, partido pelo qual já concorreu – mas não se elegeu – os cargos de deputado estadual (2006), vereador (2008), senador (2010) e deputado federal (2014).
Seu vice é o sindicalista Geovane Granjeiro.

 

 

Ibope – Josiel Alcolumbre lidera com 28%

Pesquisa do Ibope, contratada pela Rede Amazônica e divulgada agora a noite pela TV Amapá, mostra Josiel Alcolumbre (DEM) em primeiro lugar na preferência do eleitor com 28%. Em segundo lugar está o Dr. Furlan (Cidadania), com 14%, empatado tecnicamente com Patrícia Ferraz (Podemos) e Capi (PSB), ambos com 13%.
Em seguida vem:
Cirilo Fernandes (PRTB): 10%
Guaracy (PSL): 9%
Paulo Lemos (Psol): 7%
Professor Marcos (PT): 3%
Haroldo Iram (PTC): 2%
Gianfranco (PSTU): 2%

O Ibope ouviu 602 eleitores no período de 1 a 3 de dezembro. Brancos e nulos somam 8% e não sabem 3%.

A margem de erro é de 4% para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no TRE-AP sob o número AP-01464/2020

Rejeição
Dentre os dez candidatos, o ex-governador e ex-senador Capi é o que tem a maior rejeição e Gianfranco do PSTU a menor.

  • Capi (PSB): 53%
  • Josiel (DEM): 30%
  • Patrícia Ferraz (Podemos): 23%
  • Guaracy (PSL): 20%
  • Professor Marcos (PT): 18%
  • Dr. Furlan (Cidadania): 13%
  • Paulo Lemos (Psol): 9%
  • Cirilo Fernandes (PRTB): 9%
  • Haroldo Iram (PTC): 8%
  • Gianfranco (PSTU): 7%
  • Poderiam votar em todos: 1%
  • Não sabem: 4%

O primeiro turno da eleição para prefeito em Macapá será domingo, 6. A eleição foi adiada devido ao apagão.

Mais detalhes sobre a pesquisa você lê no G1 Amapá

Sejusp apresenta Plano Estratégico de Segurança ao MP Eleitoral

O titular da Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), coronel Carlos Corrêa, apresentou ontem terça-feira (1), no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco, o Plano Estratégico de Segurança para as Eleições 2020, em Macapá. As medidas, já apresentadas ao Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE/AP), contam com uma série de ações conjuntas de todas as Forças de Segurança no Estado. O objetivo foi colocar os promotores eleitorais a par de todos os procedimentos para que os membros possam atuar com eficácia na fiscalização do pleito, que será realizado no dia 6 de dezembro.

O encontro contou com a procuradora-geral de Justiça do MP-AP, Ivana Cei, o chefe de Gabinete da instituição, em exercício, promotor André Araújo, o coordenador do Centro de Apoio Operacional Eleitoral (CAO-Eleitoral), promotor Ricardo Crispino, os promotores eleitorais Iaci Pelaes e os promotores que auxiliarão na fiscalização do pleito, Afonso Pereira e Socorro Pelaes.

Também presentes o chefe de Gabinete Militar do órgão, coronel Joércio e equipes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO-AP), do Núcleo de Inteligência do Ministério Público (NIMP) e o major Iram, oficial de ligação com a Segurança Nacional. O Plano Estratégico de Segurança para as Eleições 2020 foi recebido pelo coordenador do CAO-Eleitoral.

Órgãos envolvidos

As instituições envolvidas na fiscalização e segurança das Eleições 2020 são: Exército Brasileiro, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Polícia Civil, Polícia Técnico-Científica (Politec), Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Guarda Municipal de Macapá, Grupamento Tático Aéreo do Estado do Amapá (GTA-AP), Corpo de Bombeiros do Amapá (CBM/AP) e Polícia Militar do Amapá. Também fará parte a Coordenadoria de Inteligência e Operações Policiais (CIOP) da Sejusp. Os serviços de inteligência dos órgãos trabalharão em conjunto para identificar possíveis ações que atrapalhem o pleito eleitoral.

Denúncias
Eventuais denúncias eleitorais poderão ser feitas pelo whatsapp do Centro de Apoio Operacional Eleitoral (“Disque Denúncia – (96) 99184-6549”), da Polícia Federal (96 3213-7535), pelo site do MP/AP (Ouvidoria) ou pelo telefone do plantão da Promotoria de Justiça (96 98134-0809).

(Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá)

1º turno em Macapá: eleitores vão às urnas no próximo domingo,6, para escolher prefeito, vice e vereadores

Com 292.718 eleitores aptos a votar, Macapá (AP) realizará eleições neste domingo (6) para a escolha do prefeito, do vice-prefeito e dos 23 vereadores que comporão a Câmara Municipal. Se houver necessidade de segundo turno, o pleito acontecerá no dia 20 de dezembro.

As eleições foram adiadas pelo TSE, a pedido do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP), no dia 12 de novembro, em virtude de uma crise de energia causada por um incêndio que destruiu três transformadores em uma subestação de energia de Macapá, no dia 3 de novembro, provocando falhas no acesso à eletricidade por parte da população, com sérios reflexos na segurança pública.

Os cuidados sanitários serão os mesmos adotados nos 5.567 municípios onde já houve eleição este ano. Na área de Segurança Pública, diversos órgãos federais e locais atuarão de forma integrada.

Urnas

As 850 urnas eletrônicas que serão utilizadas no pleito já estão carregadas, e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) enviou baterias extras para o estado, a fim de garantir o processo de votação. Também foram feitos diversos testes nos sistemas eleitorais, para que tudo funcione 100% na apuração e na totalização dos votos.

Nesta terça-feira (1º), o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) realizará a cerimônia de carregamento e lacração das urnas. O procedimento faz parte do rito de segurança e transparência do processo eleitoral e, portanto, o ato é público.

O Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais (Coptrel) também dará todo o apoio ao TRE-AP, para que o pleito ocorra de forma tranquila.

Propaganda

A propaganda eleitoral gratuita nas emissoras de rádio e de televisão em Macapá termina nesta quinta-feira (3). Ela começou no dia 9 de outubro, foi suspensa no dia 20 de novembro e retomada por decisão do Plenário do TSE do dia 24, que promoveu adequações no artigo 3º da Resolução TSE nº 23.633/2020.

Já as regras para a arrecadação e gastos de recursos foram atualizadas pela Portaria TSE nº 638/2020. O valor máximo a ser gasto pelas campanhas eleitorais para prefeito em Macapá foi fixado em R$ 1.886.418.31. Já no caso de vereador, o teto estabelecido ficou em R$ 212.441,26.

Candidatos

Concorrem à Prefeitura de Macapá os seguintes candidatos, com os respectivos vices nas chapas:

– João Alberto Rodrigues Capiberibe (Capi), do PSB, e seu vice, Rubem, da Rede. Eles têm o apoio da coligação Frente Macapá Solidária (Rede/PSB);
– Antônio Cirilo Fernandes Borges (Cirilo Fernandes), do PRTB, e seu vice, Lindemberg O Ceará, também do PRTB;
– Antônio Paulo de Oliveira Furlan (Dr. Furlan), do Cidadania, e sua vice, Mônica Penha, do MDB, pela coligação De Coração por Macapá (Cidadania/MDB/PMN);
– Gianfranco Gusmão de Azevedo (Gianfranco), do PSTU, e seu vice, Jairo, do mesmo partido;
– Guaracy Batista da Silveira Júnior (Guaracy), do PSL, e seu vice, Didio, do Patriota, pela coligação Deus, Pátria e Família (Patriota/PSL);
– Haroldo Iram Gomes da Silva (Haroldo Iram), do PTC, e seu vice, Moisés Amaral, também do PTC;
– José Samuel Alcolumbre Tobelem (Josiel), do DEM, e sua vice, Silvana, do Avante, pela coligação Macapá em Primeiro Lugar (PDT/PSC/PL/PV/PSDB/PSD/Solidariedade/PROS/Avante/Republicanos/PP/DEM);
– Patrícia Lima Ferraz (Patrícia Ferraz), do Pode, e seu vice, Ten. Juraci, do mesmo partido;
– Paulo César Lemos (Paulo Lemos), do PSOL, e sua vice, Lorena Quintas, do PCdoB, pela coligação Macapá Para Todos Nós (PSOL/PCdoB);
– Marcos Roberto Marques da Silva (Professor Marcos), do PT, e seu vice, Geovane, também do PT.

(Fonte: TSE)

TSE determina retomada da propaganda na rádio e na TV para as eleições de Macapá

O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, por unanimidade, na sessão de julgamentos por videoconferência desta terça-feira (24), a minuta de resolução que regulamenta o horário eleitoral gratuito na rádio e na televisão para a campanha à Prefeitura e à Câmara de Vereadores de Macapá (AP). A norma também fixou um novo teto de gastos para as campanhas no município, em razão da prorrogação da campanha por mais 21 dias até o primeiro turno do pleito, marcado para 6 de dezembro.

Relator da Instrução e corregedor-geral eleitoral, o ministro Luis Felipe Salomão explicou aos demais ministros que a necessidade de emendar o artigo 3º da Resolução TSE nº 23.633/2020 – que regulamenta a realização das eleições em Macapá (AP) nos dias 6 e 20 de dezembro, respectivamente para o primeiro e o segundo turnos – é necessária para abarcar medidas que foram tomadas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) para a organização do pleito. Da mesma forma, o ministro encaminhou o reajuste do teto de gastos, que foi estabelecido pela Portaria TSE nº 638/2020.

Assim, com a edição da nova resolução, a propaganda eleitoral na rádio e na televisão em Macapá, que havia sido suspensa pelo TRE-AP em 20 de novembro, será retomada e exibida conforme o disposto na Resolução TSE nº 23.610/2020, que regulamenta a propaganda eleitoral.

Já o teto de gastos aplicável aos candidatos a prefeito e a vereador foi reajustado, sendo multiplicado pelo fator 1.4. Dessa forma, o valor máximo a ser gasto pelas campanhas eleitorais para prefeito foi fixado em R$ 1.886.418,31. Um candidato a vereador poderá gastar até R$ 212.441,26.

Entenda

Em 12 de novembro, o TSE atendeu ao pedido do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) para que as eleições na capital do estado fossem adiadas para os dias 6 e 20 de dezembro. O pedido deveu-se a problemas materiais e técnicos para a realização do pleito com segurança, em decorrência da crise no abastecimento de energia elétrica registrada em Macapá.

Confira a íntegra do voto do ministro Luis Felipe Salomão.

(Fonte: TSE)

Governo do Estado apresenta plano estratégico de segurança para as eleições em Macapá

O Governo do Amapá, por meio da Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), em parceria com as forças policias federais e o Exército Brasileiro, apresentou nesta terça-feira, 24, ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o planejamento estratégico de segurança para o 1° turno das eleições municipais em Macapá, que acontecem em 6 de dezembro.

Em uma ação integrada, 1.467 agentes de segurança estarão nas ruas da cidade, inclusive na zona rural, para garantir que os processos de votação e apuração ocorram com toda tranquilidade.

Durante a apresentação, o governador do Amapá, Waldez Góes, destacou a necessidade da integração de todos que processo exige.

“Esse é um plano integrado dos órgãos de segurança e defesa para os procedimentos do pleito eleitoral, para que o TRE tenha a segurança para a garantia soberana do direito do povo macapaense”, disse o governador.

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá, desembargador Rommel Araújo, destacou o trabalho feito pelo Governo do Estado para garantir a realização das eleições nos 15 municípios e agora para a capital.

“Agradeço a forma como o governador Waldez conduziu essa crise que refletiu nas eleições. Reforçando a nossa certeza e confiança no trabalho desses órgãos e o esforço que está sendo feito para garantir a segurança no primeiro turno das eleições. Desejamos eleições tranquilas e seguras”, afirmou o presidente do TRE.

Todos os 141 locais de votação terão a presença da Polícia Militar (PM/AP).

Integram o efetivo:

736 policiais militares

100 policiais civis

28 bombeiros

155 agentes do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen)

24 agentes do Grupo Tático Aéreo

Agentes do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) vão realizar a Operação Lei Seca nas ruas e avenidas da cidade.

Outras instituições que compõem o efetivo são: o Exército Brasileiro, a Polícia Técnico- Científica (Politec), a Polícia Federal (PF), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e a Guarda Municipal de Macapá. Também fará parte a Coordenadoria de Inteligência e Operações Policiais (CIOP) da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

Os serviços de inteligência dos órgãos trabalharão em conjunto para identificar possíveis ações que atrapalhem o pleito eleitoral.

Os agentes irão atuar utilizando 126 viaturas, entre elas, 12 embarcações do Corpo de Bombeiros do Amapá, que estarão posicionadas em pontos estratégicos no rio, e 1 helicóptero e 1 avião do GTA, além de  1 carro-guincho do Detran.

(Secom/GEA)

Confirmado – Eleições em Macapá marcadas para 6 e 20 de dezembro

Por unanimidade, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) referendou, na sessão administrativa desta quinta-feira (19), decisão do presidente da Corte, ministro Luís Roberto Barroso, que marcou as eleições para prefeito e vereador em Macapá para 6 de dezembro (primeiro turno) e 20 de dezembro (eventual segundo turno). As datas foram fixadas em comum acordo com o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP).

As eleições foram adiadas pelo TSE, em 12 de novembro, em função de uma crise de energia pela qual passa o estado.
(Leia mais)

Veja os prefeitos eleitos no Amapá

Amapá
Carlos Sampaio (DEM) –  reeleito

Calçoene
Reinaldo Barros (PDT)

Cutias
Professor Amanajás (PROS)reeleito

Ferreira Gomes
Divino Rocha (PP) – reeleito

Itaubal
Serafim (PL)

Laranjal do Jari
Márcio Serrão (DEM) –  reeleito

Mazagão
Dudão Costa (PSL)reeleito

Oiapoque
Breno do Miguel do Posto (PRTB)

Pedra Branca do Amapari
Beth Pelaes (DEM) – reeleita

Porto Grande
Bessa (PDT)sub judice

Pracuúba
Junior Leite (Republicanos)

Santana
Bala Rocha (PP)

Serra do Navio
Elson Belo (Avante)

Tartarugalziho
Bruno Mineiro (DEM)

Vitória do Jari
Ary Duarte (DEM)

PF deflagra operação Luz Acesa em Santana

A Policia Federal e o Ministério Público Eleitoral da Comarca de Santana/AP deflagraram, na tarde deste domingo de eleição, a Operação Luz Acesa*, para cumprir um mandado de busca e apreensão na residência de
candidato à reeleição para o cargo de vereador, em Santana/AP.
Durante a realização da busca, foram apreendidos diversos materiais de campanha, celulares, além de lista com nome de pessoas.
A ação aconteceu pois recaía sobre o local indícios de se tratar de um ponto destinado à compra de
votos.
Uma vez confirmada a materialização dos crimes investigados, os envolvidos poderão cumprir pena de até quatro anos de reclusão.

(*O nome se dá em alusão à grave crise energética que assola o estado do Amapá, o que não impediu a atuação da Polícia Federal que, mesmo o estado às escuras, ainda pode ser uma “luz” no combate aos crimes eleitorais.)

(Ascom/PF)