Viva Zagallo 92

Maior campeão do mundo do futebol completa mais um aniversário

Tudo já foi dito sobre Zagallo. Mas não custa nada repetir. Ele é o mais completo campeão mundial de futebol, recordista em participações em Copas do Mundo, um profissional de excelência, marcado por uma trajetória única no esporte.

Neste 9 de agosto Mário Jorge Lobo Zagallo completa 92 anos. Para a CBF, o dia é de festa não só para Zagallo e seus parentes e amigos, mas também para um sem-número de pessoas espalhadas pelo planeta, as que o viram brilhar como atleta, treinador ou coordenador-técnico.

“Parabéns ao Mario Jorge Lobo Zagallo pelos 92 anos de uma vida espetacular dedicada ao futebol e à Seleção Brasileira. Zagallo disputou sete Copas do Mundo, conquistando quatro títulos, um feito inédito, que mostra a sua grandiosidade. Diante de tanta história, temos sempre que reverenciá-lo. Desejamos muita saúde e alegria para o nosso ídolo nesta data”, disse o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues.

Em outubro do ano passado, a CBF homenageou Zagallo com uma estátua de cera no Museu Seleção Brasileira, na sede da entidade. A obra levou cerca de dois anos para ficar pronta e envolveu 26 artesãos. Confeccionada pelo mesmo ateliê responsável pelas estátuas de Marta e Pelé, ela pesa 30 quilos. Para a produção, foram mais de 300 medições feitas ‘in loco’, na casa do Velho Lobo, e quase 500 fotos.

Ao todo, Zagallo esteve atuante em sete Copas do Mundo. Em 1958 e 1962, ele foi um dos protagonistas das campanhas do Brasil na conquista dos dois títulos. Na primeira delas, chegou a marcar um gol na decisão contra a seleção anfitriã, a Suécia, que perdeu por 5 a 2.

Em 1962, dividiu com Pelé a artilharia do jogo de estreia – vitória por 2 a 0 sobre o México, em Viña del Mar, no Chile. E seguiu titular até a final, contra a Tchecoslováquia (3 a 1).

Zagallo e Carlos Alberto Torres na chegada ao Brasil após a conquista do Tri em 1970 Créditos: Arquivo Nacional

Anos mais tarde, já em 1970, ainda jovem, comandou a Seleção à beira do campo naquela que seria a Copa mais emblemática de todos os tempos, graças ao futebol-arte exibido pelo time que reunia Pelé, Tostão, Gerson, Rivellino, Jairzinho, Piazza, Clodoaldo, Carlos Alberto Torres, Brito, Everaldo e Félix, entre outros craques.

O tricampeonato veio com uma atuação impecável da Seleção na goleada por 4 a 1 sobre a Itália, na Cidade do México.

Zagallo foi treinador da Seleção Brasileira nas Copas de 70, 74 e 98

Zagallo ganharia ali mais respeito e notoriedade, o que o levou a permanecer na Seleção para a disputa da Copa de 1974, na Alemanha. A sorte, no entanto, não ajudou a equipe na competição – não avançou da segunda fase, após ser batida pela Holanda por 2 a 0.

O Velho Lobo começou sua carreira em 1949, no America-RJ. Jogava como ponta-esquerda. Logo, transferiu-se para o Flamengo, onde ficou por quase uma década. Depois, projetou ainda mais sua carreira no Botafogo, clube que o abraçou por sete anos e no qual ele contou com a companhia de Garrincha, Didi e Nilton Santos.

Habilidoso, veloz e disciplinado taticamente, Zagallo era presença marcante na Seleção. Disputou 34 partidas pela equipe e fez cinco gols. Seu nome já era reverenciado internacionalmente quando trocou de função e passou a ser treinador.

O insucesso em 1974 apenas adiaria por algum período uma nova fase de êxito na Seleção. Enquanto isso, trabalharia como treinador no mundo árabe e em Flamengo e Vasco. Convocado por Carlos Alberto Parreira para ajudá-lo como coordenador-técnico na Copa dos EUA, em 1994, Zagallo daria mais uma volta olímpica e se tornaria o primeiro tetracampeão mundial.

A façanha de ter levantado a taça de campeão quatro vezes o levaria a mais outra Copa, a de 1998, na França. Novamente como treinador, conseguiu a proeza de avançar para mais uma final, na qual o Brasil acabaria superado pela seleção de Zidane e companhia.

Por fim, na Copa de 2006, outra vez como coordenador, ao lado de Parreira, viu a Seleção deixar a competição nas quartas de final, diante dos franceses.

Ao lado de títulos e de uma sequência vitoriosa sem igual no futebol, Zagallo também fez história por seu temperamento, frases de efeito, bordões e superstições. Após a conquista da Copa América de 1997, num desabafo que mirava parte da crítica, soltou o sonoro “vocês vão ter que me engolir”. Outra característica lúdica sua está associada ao apego pelo número 13. Tanto que até hoje gosta de formular frases que tenham 13 letras.

Daí explica-se o título deste texto-homenagem. Viva Zagallo 92 não tem necessariamente 13 letras, mas 13 caracteres. Que Zagallo possa comemorar a data por muito mais tempo.

(Fonte: CBF)

Primeira partida do Brasil pelas eliminatórias da Copa do Mundo 2026 será em Belém, no Mangueirão

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou na noite desta segunda-feira, 31,  que a partida entre Brasil x Bolívia, válida pelas eliminatórias da Copa do Mundo Masculina FIFA 2026, co-sediada por Estados Unidos, Canadá e México, será realizada no dia 8 de setembro, no Estádio Olímpico do Pará – Jornalista Edgar Proença (Mangueirão), em Belém. Este será o primeiro jogo da Seleção na busca pela classificação. A última vez que a Seleção Brasileira Masculina jogou na capital paraense foi em setembro de 2011, pelo Superclássico das Américas, quando venceu a Argentina por 2 x 0.

Em nota, a CBF ressaltou que com a reforma, o Mangueirão ganhou status de arena, com capacidade para 50 mil pessoas, gramado que segue as especificações da FIFA, sistema de segurança, novas rampas de acesso dos torcedores, além de infraestrutura de serviços como bares e restaurantes, pontos de atendimento médico e estacionamento para 9 mil veículos, entre outras mudanças.

Combate ao racismo – Seleção Brasileira usará uniforme preto no jogo de sábado

A Seleção Brasileira entrará em campo em Barcelona, no sábado (17), contra Guiné, com um uniforme todo preto, fato inédito em 109 anos de história. O primeiro jogo da equipe foi em 1914, no qual seus jogadores usaram camisas e calções brancos.

A iniciativa faz parte de uma série de ações organizadas pela CBF com o objetivo de combate ao racismo.

Para o presidente Ednaldo Rodrigues, que é o primeiro negro e nordestino no comando da entidade, o futebol tem o poder de pavimentar caminhos que exaltem a tolerância e o respeito entre as pessoas.

“Desde o primeiro dia do meu mandato, essa questão é prioritária. Fizemos um seminário para tratar do tema, criamos um grupo de trabalho com 60 pessoas que se reúnem periodicamente para avançar em discussões e propostas”, disse Ednaldo, que destacou uma das últimas medidas da CBF na luta contra o racismo.

“Somos a única federação de futebol do mundo que criou um dispositivo que prevê a perda de pontos por causa de atos de racismo. Isso está no texto do Registro Geral de Competições da CBF.”

O tradicional uniforme da Seleção, com camisa amarela e calções azuis, foi adotado a partir de 1952. Portanto, há 71 anos.

Nesse sábado (17), durante o primeiro tempo, todos os jogadores da Seleção vestirão preto. A equipe voltará a campo após o intervalo com a camisa amarela, que também vai ter uma alusão à luta contra o racismo.

(Fonte: CBF – Foto:  Joilson Marconne/CBF)

Judoca de 78 anos diz que treina para ajudar o coração e a mente

Com cabelos brancos, mãos e rosto que trazem as marcas do tempo, a aposentada Alzira dos Santos, de 78 anos, é uma praticante dedicada de judô atendida pelo projeto social “Esporte é Segurança”, da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

“O professor tem paciência com a gente, principalmente comigo. Está sempre falando ‘dona Alzira, dona Alzira’, isso é cuidado por causa da minha idade. Faço tratamento de coração mas o médico liberou meus treinos, e eu digo que o coração não pode parar, então continuo a treinar para ajudar o meu coração e a minha mente. Estar aqui pra mim é uma benção, eu ganhei mais autonomia”, diz a judoca.

A turma de judô da melhor idade ainda tem 20 vagas disponíveis. Para participar, basta ir à sede da Aifa, localizada na rodovia Duca Serra, 2220, Marabaixo II, e procurar pelo sensei Antônio Viana. “Essa é uma oportunidade de viver bem, com bom humor, respeito e muita amizade”, reforça Viana.

(Com informações e foto da Secom/GEA)

Projeto de judô do Corpo de Bombeiros do Amapá oferta 60 vagas para crianças e adolescentes

O Corpo de Bombeiros Militar do Amapá (CBM-AP) está com um novo projeto social: o “Judô Cidadão” destinado ao público infanto-juvenil. (9 a 13 anos de idade).
As inscrições já estão abertas – e vão até dia 20.
São 60 vagas para crianças e adolescentes que moram na Zona Norte.
As aulas – que começam dia 25 – serão no quartel do Corpo de Bombeiros do Conjunto Habitacional Macapaba e na Escola Estadual Risalva Freitas do Amaral, no bairro Pantanal.

“Um dos principais objetivos do judô é contribuir para a formação integral do praticante. Com a prática da modalidade, existe a melhora na capacidade das relações interpessoais, de concentração, de disciplina, respeito, além do desenvolvimento físico do aluno”, explica o major Saulo Ferreira, responsável pelo projeto.

Messi é eleito o melhor jogador de futebol do mundo pela Fifa

Em uma festa que contou com uma bonita homenagem a Pelé, a Fifa entregou os troféus do Fifa The Best, nesta segunda-feira (27) na sala de concertos Salle Pleyel, em Paris (França). E os grandes vencedores da premiação foram o craque argentino Lionel Messi, escolhido o melhor jogador do mundo entre os homens, e a espanhola Alexia Putellas, o destaque entre as mulheres.  Leia matéria completa aqui

CEU das Artes abre inscrições para aulas de capoeira

O Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU das Artes) da Zona Norte de Macapá, abriu nesta segunda-feira (27) inscrições para aulas de capoeira. São 40 vagas, gratuitas, para crianças e adolescentes a partir de 8 anos. As inscrições são realizadas na coordenação do CEU, das 8h às12h.

Para se matricular é necessário apresentar os seguintes documentos: identidade, CPF do menor e do responsável, certidão escolar e comprovante de residência.

As aulas de capoeira ocorrerão duas vezes por semana: terças e quintas, das 16h às18h.

Endereço do CEU das Artes: Avenida Carlos Lins Cortes, Infraero 2

(Secom/PMM)

Sem festa

A delegação da seleção brasileira desembarcou por volta das 7 horas da manhã de hoje no Brasil, mais especificamente no Rio de Janeiro.
Não houve festa para receber o pequeno grupo (a maior parte da delegação ficou na Europa), formado por Tite, comissão técnica, dirigentes,  presidente da CBF e os jogadores Raphinha, Rodrygo, Danilo, Weverton, Ederson e Everton Ribeiro.