Brasil menos musical – Morre Naná Vasconcelos

Um dos maiores percussionistas do mundo, o pernambucano Naná Vasconcelos morreu hoje aos 71 anos de idade.

A obra de Naná é conhecida e respeitada em todos os cantos do mundo. Ele fez parte do grupo Jazz Codona, gravou com B.B King, com o violinista francês Jean-Luc Ponty e com a banda Talking Heads(liderada por David Byrne), com Milton Nascimento, Caetano Veloso, Marisa Monte, entre outros, e fez  trilhas sonoras para filmes nacionais e norte-americanos.

Além disso criou vários projetos sociais, um deles – o Língua Mãe –  reuniu crianças de três continentes: América do Sul, Europa e África. Naná  defendia levar a música para dentro das comunidades carentes  como forma de incentivo à educação e cultura.

Naná Vasconcelos eleito oito vezes o melhor percussionista do mundo. Seu corpo está sendo velado na Assembleia Legislativa de Pernambuco. O sepultamento será amanhã às 10h.

Paulinho da Viola – Argumento

Em Macapá este ano não terá desfile das escolas de samba. Governo se apoiou na crise que assola o país para não repassar dinheiro para a Liga.
E como no samba, “a rapaziada está sentindo a falta de um cavaco, de um pandeiro e de um tamborim”.
Sentindo falta também da movimentação nos barracões e quadras, dos ensaios, dos milhares de emprego que as escolas de sambas geram nesse período.
Nessa época nos anos anteriores a cidade estava alegre e movimentada e os barracões e ensaios fervilhando.

Macapá fica tão sem graça sem isso.