Minhas histórias, minhas paixões

Minhas histórias, minhas paixões
Carlos Sérgio Monteiro*

A Gestão

Grande parte da minha vida profissional dediquei ao Poder Legislativo nas três esferas: Câmara Municipal de Macapá, Câmara dos Deputados, Assembleia Legislativa do Amapá.

A experiência no Executivo foi apaixonante. Em 2005, fui indicado pelo líder do PPS deputado federal Roberto Freire (PPS), com apoio do deputado federal Júlio Delgado (PPS/MG) e honrosamente nomeado pelo Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, para o cargo de Diretor de Administração da FUNAI, para administrar um orçamento de R$ 120 milhões. Descobri ali que o índio não queria mais apito, queria dignidade, modernidade, respeito ao seu povo e a preservação da sua cultura. Foram seis meses de muito trabalho e aprendizado, até o rompimento politicamente do PPS com o Presidente Lula.

Em seguida, o Prefeito Nogueira (primeiro mandato), chamou-me para comandar a Secretaria Extraordinário da Representação da Prefeitura de Santana em Brasília – DF. Um trabalho de resultados significativos para Santana.

O ano era 2011 e o mês era março. Saio de Brasília para ministrar palestra na Câmara Municipal de Macapá e me torno Presidente da EMTU, a convite do MDB/AP, que integrava a nova composição política do Prefeito de Macapá, Roberto Góes, formatada para dar continuidade a sua gestão, após revogar a prisão preventiva cumprida por exatos 64 dias. (bastidores conto no meu livro).

Deixo em Brasília os moores Sandra e Yasmin para encarar o desafio da administração pública pegando a Empresa Municipal de Transportes Urbanos – EMTU com um passivo de R$ 13 milhões em 13 anos de funcionamento e, pior, com uma fama terrível de não prestar os serviços a contento da população, além de inúmeras denúncias e mazelas.

Casa arrumada o foco foi Brasília, atrás de investimentos para salvar vidas no trânsito: R$ 900 mil para sinalização horizontal e vertical e R$ 3 milhões para sinalização semafórica, ambas, emendas do Deputado Federal Luiz Carlos, R$ 300 mil da Deputada Federal Dalva Figueiredo, para aquisição de uma máquina de pintura para sinalização horizontal e R$ 500 mil do Deputado Federal Milhomen, para a construção de abrigos de passageiros.

No Estado, conseguimos a façanha de sermos o único gestor da administração Roberto Góes, a firmar convênio com o governo de Camilo Capiberibe, via DETRAN/AP, na ordem de mais de R$ 500 mil, graças a visão e o espírito público de João Gomes, Diretor do órgão. Aliás, isto lhe causou um desgaste dentro da administração DETRAN/AP e EMTU, por nossos trabalhos em conjunto (campanhas educativas, blitz e etc…), em prol de um trânsito seguro e menos violento. Os dados mostram os avanços.

Pautamos e implementamos importantes ações de valorização dos servidores da administração e dos

agentes de trânsito e transporte. Liquidamos a falida EMTU e constituímos a autarquia CTMac – Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá. Esse feito só foi possível com o apoio do Prefeito Roberto Góes, Vereadores Gian do Nae, Acácio Favacho, Luizinho Monteiro e Adriana Ramos.

Alguns iluminados assessores do Prefeito, querendo fazer média, desengavetaram um projeto de lei de transformação da EMTU em autarquia, que dormitava há anos, em detrimento do que tínhamos elaborado para encaminhamento através de Mensagem do Prefeito para a Câmara de Vereadores. No dia da votação, ao ver a pauta, percebi a manobra, pedimos aos vereadores a suspensão da votação da proposição.

Nesse interstício, o Vereador Gian do Nae apresentou um substitutivo, colocando de volta o projeto de lei original. A Vereadora Adriana Ramos, imediatamente convocou reunião extraordinária da CCJ e Luizinho e Acácio se encarregaram das articulações. O substitutivo foi aprovado na CCJ e no plenário em menos de três horas de sessão. Isso que eu chamo de vontade política.

Nessa seara um agradecimento especial ao Procurador-Chefe da EMTU, Dr. Marcelo Leite, aos advogados da procuradoria, Dr. Juracy Jucá e Dra. Cristiane Lisboa, a Roseiná (jurídico), Leila e Josué (administrativo/ contábil), a comissão paritária responsável pela elaboração do novo plano de cargos e

salários, todos os demais servidores envolvidos direta e indiretamente, além  dos diretores Wilton Favacho, Jair Andrade e Jair Coelho.

Nos principais feitos da nossa gestão, destaco: 100 placas de táxis licitadas e mais 100 placas em acordo Judicial; 700 placas de mototaxistas também licitadas; construção de 8km de ciclofaixas, na Rua Hamilton Silva e na Av. Feliciano Coelho para melhorar a mobilidade urbana e deixamos um projeto de ciclofaixa em 3D para toda Macapá, interligando a Zona Sul com a Rodovia JK, Zona Norte e Centro da Cidade; edital de licitação do transporte coletivo, suspenso pela justiça e transformado em acordo judicial que gerou investimentos na ordem de R$ 21 milhões para aquisição da nova frota de ônibus, o que possibilitou resolver um problema crônico do Brasil Novo; parceria com a Secretaria de Educação, objetivando a travessia segura na faixa de pedestre em frente as escolas municipais, quando da entrada e saída dos alunos. Obrigado pela comunicação Renivaldo Costa e Silvio Sousa.

Peraí, continua lendo que tem a última, transformamos a Rua Leopoldo Machado, na primeira via expressa da cidade, ao retirar o estacionamento do lado direito da via, para a criação da terceira faixa de rolamento com fluxo preferencial de ônibus, táxis e mototáxis com passageiros.

A Leopoldo passou a ter 3 faixas que foram sinalizadas com taxas refletivas, conhecidas como “olho

de gato”, virando uma grande avenida de passeio para as famílias depois das 22h, que com o farol em luz alta viam refletir o olho de gato, como se estivessem numa pista de pouso de avião. Relatos que me emocionavam!

Ufa! Acabou, rsrsr! Os bastidores contarei no meu livro e na próxima “minhas histórias, minhas paixões”, vou falar da gestão na Secretário de Educação de Santana. Valeu!!

*Carlos Sérgio Monteiro é advogado, consultor político e jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *