11ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos começa dia 2

Entre os dias 2 e 8 de junho, o Teatro das Bacabeiras, em Macapá, será palco da 11ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos. O evento é promovido pelo Ministério de Direitos Humanos e exibirá gratuitamente 29 filmes. O Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Educação (Seed), é um dos parceiros da iniciativa.

A mostra traz 29 produções no circuito principal, entre curtas, médias e longa-metragens que abordam racismo, saúde mental, direitos da população indígena, entre outros de igual relevância social. A mostra está dividida em três categorias: Panorama, Homenagem (que aborda a obra da cineasta Laís Bodansky) e Temática (com foco em questões de gênero). A novidade do ano é a “Mostrinha”, que exibirá oito curtas-metragens voltados ao público infanto-juvenil.

 

Segundo os produtores da Mostra no Amapá, Ana Vidigal e Thomé Azevedo, o cinema é uma forma única de trazer o público à reflexão para a prática da solidariedade e respeito às diferenças, com um olhar crítico sobre a sociedade.

“Acredito que a arte traz consigo uma nova forma de pensar sobre o mundo ao seu redor, traz à tona o debate, o cinema é uma tela aberta para se entender um pouco mais acerca dos direitos humanos”, diz Thomé Azevedo.

A expectativa é receber média de 700 pessoas por dia de programação. A Seed vai mobilizar os estudantes para participarem do evento. Veículos serão cedidos para que as escolas possam transportar os alunos até o Teatro.

“A Mostra amplia os espaços de debate e discussão por meio da linguagem cinematográfica, contribuindo para o exercício da solidariedade e do respeito às diversidades”, reforçou a secretária adjunta de Políticas da Educação, Dina Melo Guedes.

Mostras
Na Mostra Panorama, 17 filmes abordam aspectos gerais relacionados aos Direitos Humanos, tais como pessoas com deficiência, enfrentamento da homofobia, população negra, população em situação de rua, crianças, adolescentes e juventude.

A Mostra Temática conta com sete títulos relacionados às mulheres, orientação sexual e identidade de gênero, como empoderamento feminino, violência contra a mulher, direito à igualdade e a não discriminação, estereótipos de gênero, dentre outros.

Já a Mostra Homenagem presta tributo a cineastas que exploram, em suas produções, a temática dos Direitos Humanos. Neste ano, Laís Bodansky foi a escolhida pela relevância do debate que aborda em seus filmes: sua temática discute a possibilidade de um mundo onde todos possam viver igualdade de direitos e de oportunidades.

(Secom/GEA)

  • Um boa oportunidade de reflexão sobre os Direitos humanos,promovido pelo Governo Federal e do Amapá,aqui em Macapá pela força cultural que o Cinema pode proporcionar a milhares de pessoas que estão numa mentalidade visual,carentes de bons programas culturais de informação dignas de estímulos a refletir sobre a dura realidade de muitos grupos humanos na cidade de Macapá e do Brasil. De acordo com o cronograma de apresentação dos diversos filmes das mais diversas questões sociais,culturais,politica e econômica,fica a dica oportuna das escolas de Macapá estimulares os alunos a partir dos conteúdos dos filmes,fazeres os seus estudos e reflexões sobre a realidade dos muitos preconceitos na cidade de Macapá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *