Academia Amapaense de Batuque e Marabaixo será instalada quinta-feira

Imortais – Eles merecem todas as homenagens

Na próxima quinta-feira, 22 de março, a Academia Amapaense de Batuque e Marabaixo (AABM) será instalada oficialmente e 40 acadêmicos serão empossados como imortais, assumindo as cadeiras que homenageiam os pioneiros da cultura tradicional do Amapá. O padre Paulo Roberto Matias foi escolhido por aclamação para presidir a Academia por ser o idealizador do projeto, e está à frente dos trabalhos desde janeiro, quando os fundadores iniciaram os estudos de pessoas que representam a cultura do Amapá. A solenidade de fundação será de 17h às 22h, com missa, cortejo, posse e coquetel.

A ideia de criar a AABM surgiu do interesse dos fundadores, representantes de grupos tradicionais e lideranças quilombolas, do marabaixo e religiosas, que discutiram a necessidade de uma entidade que resguarde a memória, tradições e cultura afrodescendente do Amapá, com foco para o estudo e valorização da história de pessoas que contribuíram e contribuem com suas experiências e trabalho para a manutenção da sabedoria popular. Três comissões foram formadas para a avaliação e seleção de 40 nomes para serem homenageados como patronos das cadeiras e dos imortais que irão ocupá-las.

Os patronos escolhidos são personalidades já falecidas, 20 da zona urbana e 20 da zona rural, detentores do saber popular assistemático das culturas do marabaixo e batuque e suas raízes religiosas. “Na seleção, os critérios não foram escolaridade nem profissão, mas sim o conhecimento da cultura popular e o esforço para que fosse mantida. Essa contribuição pessoal dos antepassados é histórica, e graças a ela nossas tradições estão mantidas. Estes antepassados precisam ser respeitados e reconhecidos, por isso pensamos em um projeto sério e diferente de tudo o que já foi feito”, disse Danniela Ramos, da coordenação.

(Mariléia Maciel)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *