Companhia de dança do Amapá faz turnê por 10 estados

Rita Torrinha, especial para o blog

Ao apostar no resgate do espírito lúdico das brincadeiras de rua mais populares da geração dos anos 70, 80 e 90, hoje praticamente esquecidas e extintas, a Graham Cia. de Dança conseguiu emplacar no circuito Amazônia das Artes o espetáculo “Divertissement”. A partir do dia 6 de maio a Companhia segue rumo à turnê por 10 estados da Amazônia Legal, tornando-se protagonista e precursora no Amapá, no seguimento da dança, a participar desse projeto do Sesc, um dos mais expressivos do Brasil e entre os maiores de circulação de artes integradas da Região Norte, em sua 6ª edição.

Com 18 anos de estrada, e mesmo sendo uma das Companhias mais atuantes no Estado, a seleção da Graham Cia. de Dança no Amazônia das Artes está marcada por uma série de “primeira vez”. É a primeira vez que o Amapá consegue emplacar um representante da dança no circuito, é a primeira turnê da Companhia, e também foi com uma proposta totalmente inédita que a Graham conquistou a unanimidade dos votos da curadoria, superando a concorrência de grandes companhias.

dança2

“Relembrar com arte as brincadeiras infantis das gerações passadas foi uma sacada muito certa da Companhia, que encantou de cara a curadoria do Amazônia das Artes. A proposta mistura a doçura da criança em uma época onde as brincadeiras custavam muito pouco, ou nada, que elas suavam, interagiam, compartilhavam, acertavam e erravam, mas sempre serelepes e sadias. Quem não se lembra do bambolê, da pipa, do elástico? São a esses elementos que a Graham compôs de forma encantadora a dança. Uma construção simples, sem a complexidade presente em tantas montagens contemporâneas”, define Genário Dunas, coordenador de Cultura do Sesc Amapá.

O “Divertissement” incrementa ao balé contemporâneo o resgate às brincadeiras de pula-corda, amarelinha, brincadeiras de roda, elástico, bate-mão, solta pipa, bonecas de pano, dança da cadeira, bole-bole, peteca, cama de gato, pira esconde. Faz lembrar com saudosismo a época em que as ruas e calçadas se enchiam de criança e viravam uma festa, onde a ordem era se divertir, brincar com o próprio erro, superar limites, dividir, trocar, suar. Tudo bem distante dos incríveis aparelhos eletrônicos da atualidade.

“Bolas, bambolês, tamancos de lata, bonecas de pano…tantas emoções boas, objetos deste universo, de diferentes tamanhos e formatos vão colorindo e divertindo ora em grupo, ora separado, mas nunca sozinho. Nossa proposta mescla coreografia com brincadeira, lembrando que tem a hora de iniciar a brincadeira, mas também a hora de reunir todos os brinquedos, arrumá-los e descansar, para reiniciar tudo no dia seguinte”, eis o espírito de Divertissement, segundo Cleide Façanha, fundadora da Graham Cia. de Dança, coreografa e produtora cultural.

dança3

Além de Cleide Façanha (direção artística, produção, roteiro e coreografia), compõem o espetáculo as bailarinas Alícia Cunha, Janaína Pontes, Jéssica Pontes (direção executiva), Anne Ferreira, Claudiani Moraes e Helaine Quaresma. A trilha sonora tem a marca do experiente e premiado músico amapaense Paulo Bastos, com sonorização do produtor Paulo Alfaia e iluminação do renomado Eloy Pessoa.

Em Edições anteriores, passaram pelo Amazônia das Artes os artistas amapaenses Zé Miguel, Patrícia Bastos, Joãozinho Gomes, Enrico Di Miceli, grupo teatral Cores da Rotunda, Beto Oscar e Cecília Lobo, também do teatro.

O projeto acontece em formato de mostra cultural nas capitais: Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Manaus (AM), Boa Vista (RR), Palmas (TO), Belém (PA), São Luis (MA), Teresina (PI), Cuiabá (MT), Macapá (AP). A turnê deste ano vai ocorrer em duas etapas, nos meses de maio e agosto, sendo cinco capitais por etapa. A primeira apresentação da Graham será no dia 6 de maio, em Porto Velho, e a turnê encerra em Macapá, no dia 27 de agosto.

A Companhia Graham
Fundada em 18 de setembro de 1995, a Graham Cia. de Dança é uma das mais atuantes no cenário amapaense, premiada dentro e fora do Estado, autossustentável e com seis produções em seu repertório. Realiza festivais, oficinas com profissionais de alto nível (nacional e internacional), participa de shows com artistas locais, trabalhos beneficentes, dentre outros.

dança1Fundadora e coreógrafa Cleide Façanha e as bailarinas

Atualmente a Companhia conta com nove bailarinas, que se dedicam diariamente à prática de diferentes técnicas – moderna, contemporânea, clássica, jazz.

O nome homenageia uma das principais referências da dança mundial, Martha Graham, mulher forte e à frente do seu tempo, que com suas ideias inovadoras se destacou e revolucionou a segunda geração da dança moderna. Martha nasceu em maio de 1894, na Pensilvânia, e morreu em 1991, em Nova Iorque. É considerada a mãe da Dança Moderna.

  • Que orgulho, de um dia ter tido o privilégio de dançar com o Graham!
    Parabéns meninas pelo sucesso torço muito por vcs, estou muito feliz \o/.
    Cleide Façanha, sempre muito exigente, talentosa, criativa, mãezona, guerreira… me ensino muito. OBRIGADA LINDONA!!!!!!!!! Merda!!!.. Bjus Gabi 🙂

  • Linda matéria! Assim como a Claudiani a Gabriele ainda está conosco. Agradeço a vc Vivaldo pai presente, amigo e parceiro da Cia. Cleydson se hoje a Clau está aqui muito devemos a sua mãe, ela sabia onde iríamos chegar. Mãe é mãe!

  • Parabéns a todas por essa grande vitória para a dança, essas meninas são show, vi de perto a evolução desse grupo, minha irmã faz parte dessa companhia Claudiani Moraes, toda a família está muito feliz.. Parabéns a vocês

  • Desejo todo a sorte do mundo para a Graham Cia. de Dança.
    Minha filha Gabrielle Monique fez parte desse grupo, e acompanhei de perto sua evolução.
    Parabéns, e sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *