Até aborto?

Militante é investigada em esquema de boca de urna e aborto clandestino
Mulher presa no bairro Marabaixo recebeu R$500 da militante para realizar aborto

A Polícia Civil entregou ao Ministério Público Eleitoral no Amapá (MPE/AP) vídeos contendo indícios de boca de urna. Nas imagens, Jane, militante do PDT, entrega dinheiro a Raimunda, conhecida no bairro Marabaixo por realizar abortos clandestinos. A militante é apontada pelos agentes como uma das pessoas responsáveis por aliciar mulheres para o procedimento ilegal.

Investigada há 15 dias, Jane passou a ser seguida pelos policiais que filmaram, na tarde desta sexta-feira, o momento em que ela entregou R$500 à Raimunda. Após isso, Jane retornou ao comitê do candidato Roberto Góes (PDT) onde permaneceu fazendo bandeirada.

Na manhã deste sábado, 27 de outubro, a Polícia Civil prendeu Raimunda durante a realização de aborto clandestino. O flagrante aconteceu na casa dela no bairro Marabaixo. A mulher foi encaminhada à delegacia. A gestante que passava pelo procedimento foi internada na maternidade Mãe Luzia.

Inquérito – O MPE/AP vai instaurar inquérito para investigar os indícios de boca de urna. O crime de aborto está sob responsabilidade da Polícia Civil e Justiça estadual.

(Assessoria de Comunicação Social/Ministério Público Eleitoral no Amapá)

  • Matéria digna de tablóide. Leviana e irresponsável do ponto de vista político… Isso foi esclarecido hoje pelo próprio delegado da operação. A única coisa útil foi a investigação contra as criminosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *