PF apreende 4 toneladas de alimentos e material de campanha de Roberto Góes

Por determinação da Justiça Eleitoral, a Polícia Federal apreendeu cerca de quatro toneladas de alimentos e material de campanha do prefeito de Macapá, candidato à reeleição, Roberto Góes (PDT).  O trabalho foi resultado de ação do Ministério Público Eleitoral no Amapá (MPE/AP), por meio do promotor eleitoral auxiliar André Luiz Dias Araújo. A medida de busca e apreensão foi cumprida na manhã desta quarta-feira, 3.

O MPE/AP apurou que Pedro dos Santos Martins e Rodrigo Flávio Portugal Alves, declaradamente ligados ao prefeito Roberto Góes, estavam armazenando alimentos não perecíveis para distribuir, possivelmente, durante o período eleitoral. A suspeita era de que os produtos seriam acondicionados em cestas básicas e trocados por votos para beneficiar o candidato à reeleição.

Os gêneros alimentícios foram apreendidos no prédio do jornal “O Pavio” e do programa “Batendo Lata”. O juiz eleitoral Rommel Araújo de Oliveira considerou “no mínimo estranho que a sede de um periódico guarde grande quantidade de alimentos”. No local, também foram encontrados cartazes e bandeiras com nome e número de Roberto Góes. O material foi encaminhado à sede do TRE.

Inquérito – A Polícia Federal instaurou inquérito para apurar a prática de crime eleitoral pelos envolvidos. Sobre a suspeita de compra de votos, na decisão, o juiz salienta: “tal prática criminosa… contamina todo o processo eleitoral e merece posição enérgica no sentido de se coibir qualquer conduta neste sentido”.

(Assessoria de Comunicação Social/Ministério Público Eleitoral no Amapá)

O OUTRO LADO
Rodrigo Portugal e Pedro Martins negaram que os alimentos seriam usados para captação ilícita de votos. Eles disseram que esses alimentos foram arrecados numa caminhada de estudantes realizada semana passada com o intuito de ajudar pessoas carentes. Ressaltaram que todos os anos – de eleição ou não – fazem essa ação e outras e citaram a realizada ano passado para ajudar na construção do Instituto do Câncer Joel Magalhães.

  • Será que estão armazenando alimentos esperando o fim do mundo? 12/12/2012… Pelo andar da carruagem, no Amapá, o fim do mundo será antecipado para 07 de outubro! salve-se quem puder!!!

  • Porque não esperar o fim da eleições para essa caminhada e campanha solidaria… em? muito estranho….kkkkk

    • Exatamente Gilson, é o mesmo caso do campeonato de futebol em Mazagão, que se chama senador Gilvam Borges, e seu irmão Dilson é candidato a prefeito. Se é pra ser imparcial, é só evitar o período eleitoral.

  • já vi de tudo, não vou ficar chocada. Mas espero que os resultados das urnas venham contra essas forças que jogam sujo com o povo.

  • Algo de estranho acontece naquele prédio verde na Av Padre Julio, no Santa Rita, explico:
    Estão sendo doados terrenos no loteamento Amazonas e Pantanal, o estranho é que os contemplados foram recentemente cadastrado ( menos de dois meses), embora milhares de familias amapaenses estejam cadastrado naquele Órgão a mais de 10 anos a espera de um lote de terra, não foram beneficiados.
    O Ministério Público deveria averiguar quais foram os critérios adotados para a seleção dos beneficiários, existe a suspeita de que a prática é de cunho eleitoral, (…)

  • Quatro toneladas é um número exorbitante, não consigo mensurar. sério. Estou acostumada com poucos números.

    • Parabens Alcinéa, a pesar do MPF lançar uma nota que pode ser interpretada como PARCIAL você foi buscar o outro lado para mostrar à população. Você permitiu que o leitor tomem a decisão que achar melhor MOSTRANDO os DOIS lados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *