Bruno Mineiro diz que o Amapá andou de lado nos últimos 20 anos

Da  assessoria do candidato Bruno Mineiro

O candidato da Coligação “Unidos pelo Amapá que Queremos”, criticou o modelo de gestão adotado pelos últimos governantes, que colocou o Estado em último no ranking de competitividade.

O candidato a governador pelo Amapá, Bruno Mineiro (PTdoB), afirmou nesta segunda-feira(28), que “o Amapá precisa de uma política diferente”, ao comentar o artigo da revista “Época” dessa semana, que aponta o Estado em último no ranking de competitividade entre os 27 Estados brasileiros.

Bruno criticou o modelo de gestão adotado pelos últimos governantes que, segundo ele, transformou o Amapá no Estado menos competitivo do Brasil para se investir, conforme dados da pesquisa da publicação inglesa “The Economist”.

“A falta de regulação, de infraestrutura e a instabilidade política, são fatores que contribuíram decisivamente para este atraso. A baixa atividade econômica e a dependência dos repasses federais penalizou o Estado e o povo do Amapá”, lamenta Bruno Mineiro.

 Para o candidato, “nos últimos 20 anos, nas gestões Waldez e Capiberibes, o Amapá andou de lado. Não se desenvolveu. Ficou para trás”. Ele defendeu que é preciso promover uma revolução na economia do Estado, adotar um modelo voltado para as demandas do século XXI, para que o Estado do Amapá encontre e desenvolva suas vocações.

  • Tome-se por exemplo de desenvolvimento o município de Tartarugalzinho com o seu histórico de prefeitos, inclusive o atual.

  • Bruno, eu tinha até vontade de votar em você, pois não sou nem azul e nem amarelo. Mas quando soube que você se juntou a Aline Gurgel, meu voto também não será verde.

  • sou filho desta terra maravilhosa chamada Amapa, que o significado do nome é terra de chuva ao meus 43 anos de idade eu ja vir quase todos os governadores desde do território federal do amapá ate a transicao para estado do amapa em 1993, mas ti digo com toda certeza os treis governadores que mais trabalharam para desenvolvimento do estado do amapa se chamam pelo nome Annibal Barcelos , Capi e Carlos Camilo Capiberibe, estude a historia e tera comhecimento de causa

  • É muita cara de pau, agora abriu os olhos pras desandadas do Amapá, enquanto seu bolso enchia com altos salários de secretário estava uma maravilha. Este não tem o que dizer para o povo, ainda mais acompanhado de quem está, Deus nos proteja.

  • Pergunto Sr. Bruno Mineiro,qual sua contribuição como parlamentar,ou mesmo como cidadão para que o Amapá andasse p/a frente? Só agora que é candidato ao GEA é que percebeu isto? Dormiu em berço explendido nesses 20 anos e acordou agora, p/ser o candidato salvador da pátria amapaense? Ha! então tá.

  • Com toda a Assembleia legislativa e a família Gurgel ao seu lado, com os seus bens bloqueados pelo MPE, e pela falta de atitude contra os desmandos da ALAP, duvido muito que Vsa serás o salvador da Pátria

  • NÃO SE ESQUEÇA BRUNO MINEIRO QUE VC TAMBÉM CONTRIBUI PARA O AMAPÁ ANDAR DE LADO,VC FOI SECRETARIO DE OBRAS NO ATUAL GOVERNO E AGORA ESTÁ CUSPINDO NO PRATO QUE COMEU,QUE FEIO EM CANDIDATO.QUEM GARANTE QUE O SR SENDO ELEITO(espero que isso não aconteça)O AMAPÁ TAMBÉM VAI CONTINUAR ANDANDO DE LADO.

    • Na verdade o Estado não andou para lado algum, ainda mais para frente, se o encarregado de construir as estradas era o Burno Mineiro, quando na Setrap e, ele não construiu nada.
      E nem construíra com toda esta galera que apoia ele, “Dinheiro pouco, é como colocar manteiga no nariz de gato, é só uma lambida”.

  • QUANDO SECRETÁRIO DO CAMILO ELE DIZIA QUE TOCAVA O MAIOR PLANO RODOVIÁRIO DA HISTÓRIA DO AMAPA, SOFREU AMNÉSIA?

  • A posição de candidatura é uma posição que nos permite avaliar os erros e dizer nas entrelinhas que faremos diferente, temos um Amapá sucateado através de ambições pessoas, desejos refinados de poder, agora mesmo conseguimos tirar dos ombros uma praga que não sou criar filhos com pensamentos pessoais e sim ser seguidores de um protótipo escandaloso de ditador e senhor de engenho, que foi este senador de nada que tivemos e volta ao seu estado que penso eu, tem vergonha de ser maranhense, não pelo povo, mas por não poder ter colocado a educação, a segurança, a saúde, a vida de quem votou sempre nele em condições melhores, estamos nesta mudança e se um dia olharmos para traz como politico e so conseguirmos ver o que temos de riqueza pessoal, talvez possamos parar e pensar, se eu parece de ver erros e elaborasse acertos, eu hoje teria mas riqueza de alma do que tenho. É triste viver ganhando, mentindo, logrando e no final entrar no caixão só com o paletó que vestiu o palhaço que fomos. Amapá tem valores que se pode explorar muito, lutem nas suas campanhas e façam o povo se sentir o verdadeiro vençedor.

    • Oh, cidadão, será que laguns imaginaram isso. No MA temos o menor IDH do país e o maior taxa de analfabetismo. Issso depois de cinco décadas de poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *