Eleições 2014 – Notas do TRE-AP

Fiscalização reforçada: TRE-AP intensifica combate a ilícitos eleitorais

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) irá intensificar o combate a ilícitos nestes últimos dias da campanha eleitoral. A estratégia do TRE-AP foi definida em reunião realizada nesta terça-feira (21), com a presença de membros da Comissão de Fiscalização da Propaganda Eleitoral e juízes eleitorais. A medida visa inibir possíveis práticas que venham a ferir a legislação e desequilibrar as Eleições 2014.

De acordo com o juiz eleitoral Reginaldo Andrade, a inspeção será reforçada em todo o estado, principalmente em Macapá, maior colégio eleitoral do Amapá. Conforme o magistrado, as equipes de fiscalização ficarão 24h em atuação na capital e no interior.

Bebidas alcoólicas
O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) informa ao eleitorado amapaense que será proibida a venda e o fornecimento de bebidas alcoólicas em todo o Estado, em locais públicos ou abertos ao público, das 20h do dia 25 de outubro (sábado) às 20h do dia 26 (domingo), quando serão realizadas as Eleições Gerais 2014. A medida visa prevenir eventuais transtornos durante a votação.

PM’s para o Arquipélago do Bailique
O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) contará com mais de mil policiais militares nas Eleições 2014. Destes, 18 serão deslocados para o Arquipélago do Bailique, Distrito de Macapá, na próxima sexta-feira (24). A logística de transporte e estadia do efetivo da Polícia Militar do Estado (PM/AP) foi definida em reunião realizada nesta terça-feira (21), no Auditório da Escola Judiciária Eleitoral (EJE/TRE/AP).

(Informações de Elton Tavares, da assessoria de comunicação do TRE-AP)

  • ME ENGANA QUE EU GOSTO!!
    O TRE, assim como o judiciário amapaense, é muito ágil e eficiente para pegar e punir pobre, sua principal função é manter as coisas do mesmo jeitinho que estão. Para isso se presta a ser o maior anteparo da corrupção e da impunidade. E junto com a ineficiente e omissa Procuradoria Eleitoral vendem a ilusão de que o processo eleitoral está sim sendo fiscalizado e os crimes eleitorais coibidos e os infratores severamente punidos, enfim, um grande engôdo.
    Ambas instituições existem tão somente para legitimar cada vez mais o promíscuo e anti-democrático sistema eleitoral brasileiro.

  • Apesar do esforços da Justiça Eleitoral e da Procuradoria Eleitoral, a compra de votos no Amapá é uma realidade. Sou coordenador em uma escola do bairro Perpétuo Socorro (11 seções). As informações que me foram prestadas pelos vigilantes e pelo PM eram de que os ilícitos eleitorais tinham ocorrido desenfreadamente pela noite e pela madrugada. Na manhã, os vestígios: milhares de panfletos e santinhos no chão das ruas próximas da escola. É uma vergonha!. Bandidos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *