Virada Afro começa dia 16

A Virada Afro – Circuito Amapá Afro, que marca a Década Internacional dos Afrodescendente-  está confirmada para os dias 16, 17 e 18 de junho, reunindo segmentos relacionados à cultura negra, formando um corredor artístico na orla de Macapá, com exposições de produtos, comidas, artesanato, literatura, religião e tradições, cercados por dois palcos onde serão apresentados os shows. A Virada Afro é um evento internacional, com foco para o Amapá, Guiana Francesa e países africanos, realizado em parceria entre Governo do Estado e Fundação Palmares, financiada com recursos de emenda do deputado federal Marcos Reátegui e executada pelo Governo do Estado (GEA), através da Secretária de Políticas para Afrodescendentes (Seafro), e de Cultura (Secult).

Cinco atividades desenvolvidas pelas comunidades afrodescendentes norteiam o projeto e estarão disponíveis durante o evento:  gastronomia; produtos artísticos como literatura, artes plásticas, e artesanato; produtos agrícolas cultivados nas comunidades; manifestações tradicionais da cultura afro; e conhecimento, através de debates. Estes elementos estarão juntos durante os três dias de programação, fomentando cultura e comércio de produtos afros do Amapá e Guiana Francesa. O incentivo ao empreendedorismo para gerar emprego e renda dentro das comunidades, e o reconhecimento e valorização de suas raízes e tradições são os maiores objetivos do projeto.

Feira do Afroempreendedor e Tenda Mística
Em um grande corredor com 60 quiosques estarão expostos produtos para pele e cabelos de afrodescendentes, como cosméticos, e ainda roupas e adereços; fotografias, literatura, objetos de decoração, culinária, artes plásticas, produtos das comunidades, como farinha e mel, ervas e chás, entre outros. A Tenda Mística irá abrigar a exposição e apresentação de costumes e tradições dos povos de matriz africanas, a exemplo de búzios, carta, tarô, baralho e benzedeiras. A feira estará aberta de 16h às 22h, na rua Beira Rio, entre o Trapiche Eliezer Levy e o anfiteatro da Fortaleza de São José.

 Conhecimento e Conscientização
No dia 16, Dia Estadual do Marabaixo, de 8h às 16h, educadores que irão receber os livros didáticos do projeto Conhecendo Nossa História: Da África ao Brasil, estarão na qualificação, e neste mesmo horário, no auditório da UEAP, acontece o 1º Congresso Estadual de Ações de Politicas Públicas para o Marabaixo. A partir das 16h, no Palácio do Setentrião, uma mesa redonda discutirá o tema “Racismo Institucional: Avanços e Desafios para a Valorização do Negro na Sociedade Brasileira”, com a presença da ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois; presidente da Fundação Palmares, Erivaldo Oliveira, e da secretária de Estado,  Maria de Nazaré Nascimento Farias.

(Texto e foto: Mariléia Maciel)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *