Curso de pilotagem de drone

Com o objetivo de formar multiplicadores para a Gestão Territorial Local (GTL) em áreas piloto prioritárias na Amazônia, a partir da análise e monitoramento de dados sobre uso da terra e planejamento florestal, a Embrapa Amapá em parceria com Embrapa Roraima e Embrapa Acre, promovem o curso “Uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas no Planejamento Florestal”, no período de 12 a 16 de agosto, com atividades teóricas no auditório Tucuju e práticas no Campo Experimental da Fazendinha, em Macapá (AP).

A programação faz parte do projeto “Conhecimento Compartilhado para Gestão Territorial Local na Amazônia (TERRAMZ)”, integrante do Projeto Integrado da Amazônia, financiado pelo Fundo Amazônia e operacionalizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O TERRAMZ busca realizar o levantamento, monitoramento e análise de dados geoespaciais sobre o uso da terra, degradação florestal, incêndios, queimadas e disponibilidade de recursos naturais em áreas pilotos nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão e Roraima.

No âmbito da Embrapa Amapá, o curso é liderado pelo Núcleo Técnico de Recursos Florestais (NTRF), com coordenação da Engenheira Florestal pesquisadora Ana Euler. “Além de mostrar conceitos básicos sobre a operação de drones, o curso vai oportunizar aos participantes atividades práticas com foco no levantamento de dados sobre áreas de ocorrência de açaizais nativos”.

Esta capacitação conta com dois instrutores. O pesquisador da Embrapa Roraima e líder do projeto TERRAMZ, Haron Xaud, doutor em Sensoriamento Remoto; e o pesquisador da Embrapa Acre, Evandro Orfanó Figueiredo, que atua em planejamento rural e florestal com aeronaves remotamente pilotadas (RPA), manejo florestal de precisão, biometria florestal, impactos ambientais e inventário florestal. O evento é direcionado a técnicos da Embrapa, estudantes de pós-graduação e parceiros.

No Amapá, as atividades do TERRAMZ são desenvolvidas no Território do arquipélago do Bailique, localizado a cerca de 200 quilômetros de Macapá, na foz do rio Amazonas, sob a coordenação da Embrapa Amapá. O foco é a pesquisa para a integração dos conhecimentos tradicionais associados ao extrativismo dos açaizais nativos, com a utilização de drones para a identificação espacial e o mapeamento da ocorrência desses açaizais sob diferentes regimes de uso.

(Ascom/Embrapa-AP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *