Fraudes previdenciárias no Amapá provocam prejuízo de R$ 12,5 milhões

Um esquema de fraudes previdenciárias no Amapá – que desde 2015 vem sendo investigado pelo MPF, PF e INSS –  era liderado por um advogado  que já foi afastado das funções por ordem judicial. Dez pessoas já foram denunciadas e semana passada foram presos dois agentes penitenciários, um policial civil e um servidor do Tribunal de Justiça.
O esquema consistia na concessão indevida de auxílio-reclusão por meio de documentos falsos.
“No período investigado 2015 a 2019) , o Amapá foi o estado que apresentou o maior índice de concessão de auxílio-reclusão, bem como o que mais retroagiu o pagamento“, informou o Ministério Público Federal, que estima que a organização criminosa provocou prejuízo de R$ 12,5 milhões aos cofres públicos, entre 2015 e 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *