Governo do Amapá lança plano de ações integradas contra o mosquito Aedes

Do portal do Governo do Amapá

Numa iniciativa para mobilizar todo o Estado, o governo lançou nesta segunda-feira, 18, um extensivo plano de ações que une os Poderes do Amapá para enfrentar o mosquito Aedes aegypti. Atualmente, o maior problema de saúde pública do Brasil, a infestação do mosquito preocupa pela transmissão de quatro endemias, dengue, Febre Chikungunya, Zika e Febre Amarela urbana, e provoca a ainda pouco conhecida microcefalia – doença que afeta o cérebro de bebês.

A partir de agora, os Executivos Estadual e Municipais, Ministério Público, Tribunais de Justiça do Amapá (Tjap) e de Contas do Estado (TCE), além do Legislativo e Exército Brasileiro, vão somar forças para mobilizar toda a população amapaense na campanha lançada na manhã desta segunda-feira, 18, no Palácio do Setentrião, sede do governo Estadual.

Prefeitos, vice-prefeitos e outros representantes dos 16 municípios compareceram à solenidade.

O Amapá terá os próximos 240 dias – tempo de quatro ciclos de reprodução bimestrais do Aedes – para cumprir um extenso cronograma de atividades que depende, sobretudo, da participação da sociedade.

Apresentado pelo chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Estado, Emanuel Bentes, o Plano de Ações Integradas de Controle do Vetor Aedes tem como principal objetivo colocar em prática ações que impeçam o nascimento do mosquito.

Para isto, será criada uma frente de trabalho para, prioritariamente, fazer a contenção dos riscos de epidemia. Na prática isto significa mutirões de limpeza urbana; inspeção nas residências para identificação e remoção de depósitos que servem de criadouros; visitas a borracharias, sucatarias, ferros velhos, cemitérios e áreas de ressacas; blitzes educativas em parceria com órgãos estaduais e federais.

O governador do Amapá, Waldez Góes, ressaltou, em números, a importância de todo o Estado estar mobilizado na campanha. Ele lembrou que a dengue, uma das doenças que o mosquito transmite, cresceu mais de 180% no Estado ano passado (passando de 886 em 2014 para 2544 em 2015). A Febre Chikungunya, foi reduzida 50% (caindo de 1407 casos em 2014 para 932 registros em 2015) em Oiapoque, município de maior incidência da endemia no país, mas ainda é preocupante.

“Não temos nenhum caso confirmado de Zika Vírus e esperamos não ter. Agora, é hora de ir a campo. O Estado precisa estar 100% mobilizado, por isto traçamos uma estratégia com a participação integrada de todos os poderes até a sociedade”, reforçou o chefe do Executivo estadual. Ele também anunciou para este ano o repasse de 8 parcelas de R$ 660 mil aos municípios, recursos Fundo a Fundo – mecanismo de repasse regular e programado de recursos diretamente do Fundo Nacional de Saúde para estados e municípios.

Até mesmo os espaços públicos serão alvos da campanha. Durante a solenidade de lançamento do plano, o governador regulamentou três decretos. Um deles, oficializou as sextas-feiras como dia de limpeza nos órgãos públicos. Funcionários públicos também serão treinados para se tornarem agentes multiplicadores das ações de controle durante suas atividades no local de trabalho, bem como no convívio pessoal.

Em outra frente, o plano trabalhará as campanhas educativas, com orientações aos moradores quanto às ações de prevenção e controle do vetor. Estas atividades serão estendidas a estabelecimentos estratégicos, principalmente quanto ao armazenamento de pneus e sucatas de forma que possam acumular água e, assim, se transformem em criadouro.

“É uma campanha com foco na mudança de hábito de todos que moram no Amapá. Hábitos esses que consistem em ações simples, mas que impactam diretamente no controle do índice de infestação do vetor; e prevenir surto ou epidemias das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Para isso precisamos integrar todos os segmentos do Estado”, explicou a secretária de Estado da Saúde, Renilda Costa.

A força-tarefa será composta por órgãos de todos os poderes que pactuaram o plano lançado nesta segunda-feira. Porém, essencialmente, terá membros das Secretarias de Estado e Municipais, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Exército Brasileiro e Vigilância Epidemiológica. A equipe atuará na Sala de Situação e Monitoramento das Ações de Combate e Controle ao Aedes, e será gerenciada pela vice-governadoria do Estado – conforme decreto assinado esta manhã.

O coordenador geral do Programa Nacional de Controle da Dengue, Giovanini Coelho, citou a crescente incidência de casos de microcefalia – mais de 3 mil registros pelo país – para avaliar a importância da iniciativa adotada pelo Governo do Estado. “É o maior problema de saúde pública do país, pois causa um risco enorme de afetar toda uma futura geração de brasileiros. Isso demonstra a importância do que o governo do Amapá está tomando frente. O Ministério da Saúde vai apoiar”, assegurou o coordenador.

Além de Waldez Góes, Giovanini Coelho e Renilda Costa, assinaram, ainda, o pacto de implementação do plano, o desembargador Carlos Tork, o promotor Roberto Álvares, o presidente da Associação dos Municípios do Amapá e prefeito de Macapá, Clécio Luís, e o comandante do 34º BIS, tenente-coronel Robson Matos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *