Homem exigia cargo público para não espalhar fake news

Doido para ser nomeado para um cargo público e se exibir como “otoridade”e conta bancária recheada, um sujeito de 29 anos começou a perturbar um secretário. Ou este lhe dava um cargo ou detonaria sua honra espalhando fake news. O secretário não se intimidou. Procurou a polícia, fez Boletim de Ocorrência e apresentou as mensagens do sujeito que lhes foram enviadas pelo whatsApp.
Conclusão: hoje o aprendiz de chantagista foi indiciado pela Polícia  pelos crimes de constrangimento ilegal e difamação duplamente majorada.

O delegado Leandro Vieira Leite, que presidiu as investigações, disse que tendo em vista o não acolhimento do pedido de nomeação, o sujeito publicou ofensas à honra do dirigente público nas redes sociais entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano com o objetivo de pressioná-lo.
“Constatou-se que as ligações realizadas pelo suspeito e ofensas nas redes sociais tinham o caráter eminentemente difamatório e o objetivo precípuo consistia em pressionar o dirigente a nomeá-lo no cargo em comissão”, disse o delegado de Polícia Leandro Vieira Leite.
A Polícia não divulgou o nome do secretário nem do acusado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *