Isso é desumano

É desumano como o poder público trata os pacientes de câncer. Por falta de medicamento estão suspensas as sessões de quimioterapia no Hospital Alberto Lima, único hospital público no Amapá a oferecer (?) este tipo de tratamento.
No inicio da tarde desta quarta-feira, ao chegar ao Alberto Lima para uma sessão de quimioterapia, Doralice Costa sentiu mais uma dor: não tem os medicamentos necessários para a quimio.

No Facebook o marido dela Nivaldo Alves fez um desabafo e disse que amanhã vai ao Ministério Público em busca de solução.

Leia o desabafo dele:
“Sabe quando você sente-se impotente e revoltado ao mesmo tempo diante de uma situação que há muito tempo, se houvesse um comprometimento por parte dos gestores para resolver uma situação que insiste em perdurar na saúde de nosso Estado. É isto que desde as 13 horas de hoje estou sentindo e analisando como fazer para tentar solucionar. Quando chegamos ao Hospital de Clinicas Alberto Lima eu e minha esposa Doralice Costa, para que ela fosse submetida a mais uma sessão de quimioterapia, fomos informado que não havia o medicamento necessário e que nem na Central de Assistência Farmacêutica tinha previsão para a chegada do mesmo.
Aí, vem um mistura de revolta e impotência diante da situação, pois você acompanhar uma pessoa de seu meio familiar e não poder fazer nada que esteja ao seu alcance para minimizar seu sofrimento é revoltante e saber que a cada dia que passa a saúde de nosso estado está sendo tratada com descaso por parte dos gestores. Você fica imaginando: ligar para os meios de comunicação para denunciar, será que resolve? Acredito que não, pois todos os meses as reportagens sobre a saúde são constantes nos mesmos e os gestores já têm as respostas prontas, ou seja, já estão sendo adquiridos os medicamentos que estavam em falta, já fora feito o empenho. E o que vemos nos hospitais é a mesma reclamação pelos corredores.
Minha esperança é que amanhã quando for ao Ministério Público, possa encontrar uma solução para este tão grave problema, mas que almejo mesmo seja uma medida definitiva, não uma paliativa que venha disfarçar ou desviar o foco para os muitos problemas que enfrentamos no cotidiano de todas as pessoas que necessitam da saúde publica para cuidar de seus amigos e parentes.”

desumano

  • Eu acho que chegou a hora da intervenção, seja política , seja por parte da sociedade. O governo já teve o tempo suficiente para corrigir essa situação. A sociedade não pode ter seus direitos constitucionais derrespeitados e o estado tem a obrigação do oferta a a saude.
    Estamos esperando o que para iniciarmos o processo de intervenção?

    • Concordo plenamente, já está mais do que na hora de fazer um intervenção judicial na Secretaria de Saúde para ser respeitado o direito básico constitucional de muitos pacientes. O problema é que a justiça simplesmente não funciona nesse caso, estão assistindo de braços cruzados ou presos em burocracia, pacientes irem a óbito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *