Mestre Trokkal morre aos 81 anos

Nota de pesar

 Foi com profunda tristeza que recebi, na manhã desta quarta-feira, 5, a notícia do falecimento de Raimundo Hosana de Oliveira, conhecido como “Mestre Trokkal”. Ícone e pioneiro das artes plásticas no Amapá, lutava contra um câncer avançado há mais de cinco anos.

Nascido no dia 8 de maio de 1937, em Icoaracy, no Pará, Mestre Trokkal aprendeu a profissão aos nove anos, quando mudou-se com seus pais para uma casa próxima a do seu avô materno, o professor na arte cerâmica José Damião Hosana. Trokkal se dedicou a arte e aprendeu a trabalhar com argila. Aos 13 anos, havia dominado o segredo da Arte do Ceramista.

Em 1965, Trokkal foi convidado para trabalhar em Macapá, na Olaria Territorial, onde mais tarde seria gerente. Fez carreira no estado e ensinou muitas gerações. Contribui com a arte no estado sendo um dos fundadores da Casa do Artesão. Participou do Festival do Platô da Guina Frances, Bienal em São Paulo, Feiras Estaduais em Minas Gerais e no Piauí. Fez exposição no Brasil e nos Estados Unidos.

Atualmente, estava aposentado da Escola de Artes Cândido Portinari, onde exercia suas funções como professor de Escultura. O artista plástico foi homenageado pela prefeitura no novo projeto de revitalização da Praça Veiga Cabral, com a Galeria Mestre Trokkal, um espaço dedicado para artes plásticas e literatura.

Aos 81 anos, Mestre Trokkal deixa 11 Filhos, 41 Netos e 30 bisnetos. Ele deu uma contribuição imensurável para a cultura e arte do município de Macapá. Já sentimos saudades. Estamos consternados pela dor e externamos votos de solidariedade aos amigos e familiares do Mestre.

Clécio Luís
Prefeito de Macapá

  • Ou ninguém leu a notícia ou não querem opinar, querem tratar isso como Cu-ltura, ora bolas, dei-me um tempo, estou a uma semana esperando algum comentário no blog e ninguém se manifesta, que porra é essa?

  • Com tristeza eu também recebi essa notícia. O mestre Trokal lutou tanto para que a Escola Cândido Portinari fosse reerguida, mais veio um doido e mandou derrubar a escola com a promessa de construir uma outra novinha, se passaram quase 4 anos e o que se vê é o tapume.Enquanto o povo eleger gente dessa espécie o Amapá não desenvolve minha gente. Será que ficou pelo menos uma obra do Trokal para que fique na memória desse povo? Será que ficou pelo menos um sussessor que dê continuidade as suas abilidades com ARGILA?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *