MP constata que ex-servidora da prefeitura de Tartarugalzinho extraviou e ocultou documentos públicos

A promotora de Justiça Thaysa Assum de Moraes, cumpriu mandado de busca e apreensão ontem na residência de uma ex-servidora da Prefeitura de Tartarugalzinho, investigada por extraviar e ocultar documentos públicos.

Após receber denúncia anônima de que uma ex-servidora da Prefeitura Municipal de Tartarugalzinho teria extraviado e ocultado documentos públicos relacionados à gestão 2017-2020, muitos deles referentes às licitações do município, a promotora de Justiça Thaysa Assum de Moraes pediu reforço na apuração dos fatos ao NIMP, que, por sua vez, elaborou investigação e apontou indícios da prática de crimes,  dando sustentação ao pedido de busca e apreensão.

“Vale ressaltar que, ao serem feitas buscas e apreensões na Comissão Permanente de Licitação (CPL) da Prefeitura de Tartarugalzinho pela Operação Octopus, constatou-se que a maioria dos processos originais referentes às contratações das empresas investigadas não se encontravam no local”, explicou a Promotora de Justiça.

Concedido pela Justiça, o mandado foi devidamente cumprido pela Promotoria, confirmando que a ex-servidora mantinha em um depósito improvisado, nos fundos de sua residência, vasta documentação da Prefeitura de Tartarugalzinho indevidamente armazenados, sendo que muitos desses documentos públicos já estão em estado de deterioração.

A apreensão realizada no último sábado (4) é resultado do conjunto de investigações da denominada “Operação Octopus”, que buscou investigar fraudes à licitação no âmbito da Prefeitura de Tartarugalzinho e em outros municípios do Amapá.

(Asscom/MP-AP)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.