O Amapá de luto – Morre Leonil Amanajás

Faleceu ontem à noite em São Paulo o professor Leonil Amanajás, um dos grandes educadores do Amapá. Homem íntegro, solidário, alma nobre.
Empreendedor, Leonil ousou e montou a primeira faculdade particular do Amapá. Antes, investiu também na educação infantil e demais níveis de ensino.

Era uma pessoa muito querida e amada.
Tudo de bom que se falar desse homem ainda é pouco diante de sua nobreza de caráter e de seu trabalho em prol de uma educação de qualidade e de um Amapá melhor.

A partida de Leonil Amanajás deixa o Amapá de luto. Nas redes sociais centenas de amigos, ex-alunos, conhecidos lamentam a morte desse grande educador.
À família apresento minhas mais sinceras condolências, especialmente a minha amiga Daniele, e peço a Deus que conforte todos neste momento tão dolorido e que os Anjos conduzam Leonil aos braços iluminados de Deus.

Reproduzo aqui um texto do Tribunal de Justiça do Amapá, de agosto de 2015, que conta um pouco da história dele:

Nossa Reverência para o professor Leonil Amanajás
-Macapá, 28 de Agosto de 2015-

Leonil Aquino Pena Amanajás, filho de Alarico Pena Amanajás e Raimunda Pena Amanajás, nasceu no dia 9 de maio de 1937, na região do Arquipélago do Bailique, e foi no interior que passou quase toda a juventude. Mesmo sem qualificação no curso de magistério, lecionou na região rural durante 10 anos, como professor leigo.

Ele recorda que nesse período fazia curso de férias e sentiu a necessidade de se qualificar.

Depois desse tempo lecionando no interior, foi transferido para Macapá. Voltou a estudar. Fez Pedagogia e também Letras; estudou Pedagogia na área de Administração Escolar e especializou-se em Metodologia do Ensino Superior. Formou-se pelo Núcleo de Educação do Amapá e pelo Núcleo da Universidade Federal do Pará (em Macapá), hoje UNIFAP. É um atleta nato. Praticou salto livre, futebol, voleibol e “até hoje bate uma bolinha”, gaba-se, exibindo jovialidade.

Um sonho concretizado

Quando ingressou no magistério, em 1954, tinha um sonho, um projeto de vida: construir um complexo educacional que tivesse da Educação Infantil até o Ensino Superior. Passou 34 anos como funcionário público, exercendo as funções na área da educação: professor, diretor de escola, chefe de gabinete, secretário substituto, chefe de departamentos e outras mais.

Quando por fim se aposentou do serviço público, tinha em mente o firme propósito de concretizar seu sonho e um desejo ainda mais forte: o de continuar contribuindo com a educação amapaense.

“Sou de uma família pobre e, pensando nisso, quis dar minha parcela de contribuição ao Estado. Fundei a pré-escola, o 1º e 2º graus, por etapas. Foi quando surgiu a Associação Amapaense de Ensino e Cultura, que é mantenedora de Centro de Ensino Superior do Amapá (CEAP). O grupo de professores de Belém, através de Edson Franco, diretor da Universidade da Amazônia (UNAMA), convidou-me para fazer parte desta Associação” declara o professor Leonil.

O professor aceitou o convite e, no dia 26 de novembro do de 1980, a Faculdade foi registrada no cartório de Oficio e Notas da Comarca de Macapá. A implantação da Instituição aconteceu com o início de dois cursos: o de Ciências Contábeis e o de Direito, em 1992.

Os primeiros passos do CEAP

Para o professor Leonil Amanajás, era inaceitável que até aquele momento da história da educação do Amapá, o estudante amapaense tivesse que buscar, obrigatoriamente, em outras unidades federadas, oportunidades para estudar. Sua angústia era reflexo de sua própria história, pois viveu este momento quando seus irmãos precisaram buscar a formação superior, e quando via a aflição dos pais da Escola Pequeno Polegar, precisando mandar seus filhos adolescentes para longe de seus cuidados.

O primeiro Curso do Centro de Ensino Superior do Amapá foi o de Ciências Contábeis, autorizado em 17 de Janeiro de 1990, pelo Decreto Federal 98.842. Em janeiro 1992, foi autorizado o Curso de Direito. Cursos escolhidos porque preenchiam uma lacuna, a formação de profissionais que ocupassem da estruturação do recém criado Estado do Amapá. Neste ano, foi realizado o primeiro Processo Seletivo para os dois Cursos. Era a realização do sonho.

“Hoje, com mais de 20 anos de uma trajetória de sucesso, o CEAP tem oito cursos já reconhecidos: Administração, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Design, Direito, Educação Física e Secretariado Executivo Bilingue” orgulha-se o professor Leonil.

Em 1999, mais um desafio vencido: a instalação do novo campus do CEAP, na Rodovia Duque de Caxias, hoje Rodovia Duca Serra. Atualmente são 105 salas de aula; um Centro de Convenções que abriga a Biblioteca com um bom acervo, tanto quantitativo quanto qualitativamente, um auditório com capacidade para 900 pessoas, o maior auditório do Estado, além de laboratório digital, Núcleo de Prática Jurídica, e área para exposições.

Um Homem realizado

Leonil Amanajás é casado com a também professora e educadora, Ana Delsa Pereira Amanajás, pai de quatro filhos: Viviani, Danieli, Luís Cláudio e Isabeli. Como filho de pescador… pescador é, adora pescar. Dançar também… bolero, samba-canção e as músicas da velha guarda são seu repertório favorito, sem deixar de gostar das belas canções das novas gerações.

É católico praticante por achar que dentro da religião é que se sedimenta o caráter, a filosofia de vida de todas as pessoas. Leu e recomenda o livro “O homem a procura de Deus”, do padre Charmont.

Para ele, a vida está apenas começando. Prova disso é que com 78 anos de idade, tendo vencido uma dura batalha onde estava em jogo sua vida, o Professor Leonil continua dedicando seus dias, diuturnamente, à formação educacional da juventude do Amapá.

Sua paixão pela educação vem da crença de ser ela a mais eficiente forma de mudar a fisionomia deste seu querido Amapá e em conseqüência do País. Muitos alunos, hoje ilustres personalidade, passaram pelos seus ensinamentos e, até hoje, no Ensino Superior, nas atividades políticas ou até mesmo em suas vidas pessoais, continuam buscando os ensinamentos do mestre.

A frase que o Professor Leonil mais repete para alunos e filhos, é: “só através da educação de qualidade, vamos despertar esse gigante adormecido que é o Brasil.”

E é por esta gloriosa trajetória de vida, grande parte dela dedicada à educação e formação de crianças, jovens e adultos, que a Justiça do Amapá, mais do que merecidamente, reverencia este grande homem apaixonado pela arte de educar: professor Leonil Aquino Pena Amanajás receba a nossa justa e agradecida Reverência.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *