Para fazer caixa o Governo do Amapá vai leiloar bens móveis e imóveis

Para fazer caixa e realizar investimentos, a Secretaria de Estado da Administração (Sead) iniciou estudos dos seus bens móveis e imóveis que estão aptos a serem leiloados. Atualmente, o governo possui 1.086 imóveis, desses 276 estão em Macapá, 134 em Santana, e os outros estão distribuídos nos demais munícipios do Estado. Há também dois imóveis localizados no Estado do Pará.

Para dar celeridade ao processo, a Sead está montando duas comissões com representantes  da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf), Procuradoria Geral do Estado (PGE), Instituto do Meio Ambiente e Ordenamento Territorial (Imap), Secretaria de Estado do Transporte (Setrap), Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e do Departamento Estadual de Trânsito do Amapá (Detran).  O Governo solicitará ainda que o Ministério Público acompanhe todas as etapas do processo. “É importante deixar claro que os estudos estão apenas iniciando, e que os bens que serão leiloados passarão por uma criteriosa avaliação e pesquisa de preços no mercado. No caso dos imóveis levaremos em conta se eles ainda podem ser utilizados para ações de governo ou até mesmo ocupados por secretarias que hoje pagam aluguel”, disse Goreth Sousa, secretária de Estado da Administração.

Com a conclusão dos estudos, o levantamento dos imóveis aptos a serem  leiloados será enviado à PGE  para a criação da minuta do projeto de lei e posterior envio à Assembleia Legislativa. Para organizar as informações patrimoniais, o GEA adquiriu o Sistema Integrado de Gestão Administrativa (SIGA), que está com a aba de patrimônio pronta para a migração das informações. “Nós adquirimos um sistema que possui uma aba para cuidar de material e patrimônio. O Estado está se organizando, colocando suas informações nesse sistema para que possamos fazer o gerenciamento dos imóveis de forma eficaz”, garantiu Goreth Sousa.

(Secom/GEA)

  • O GEA possui inúmeros imóveis alugados, exemplo é o IMAP que não possue prédio próprio a SEED outros, estranho essa decisão. Talvez seja para favorecer alguns apadrinhados no minimo duvidoso este processo vamos acompanhar mais essa peripécia da Harmonia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *