PF desbarata quadrilha que desviou R$ 1 milhão do Lacen

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (29/05) a Operação Diagnosis*, para desarticular associação criminosa que desviou cerca de R$ 1 milhão do Laboratório Central de Saúde Pública do Amapá (Lacen/AP).
A ação é resultado de um trabalho em conjunto com a Controladoria-Geral-da-União.
Cerca de 40 policiais federais cumprem 12 mandados de prisão temporária, 16 mandados de busca e apreensão e sequestro de bens e valores nas cidades de Macapá/AP, Ananindeua/PA e Belém/PA.
Segundo as investigações, uma servidora do Lacen/AP teria desviado a quantia para sete empresas sem nenhuma relação contratual com o órgão, por meio da inserção de dados falsos no sistema de pagamento. Os desvios de verba pública da União ocorreram entre março e setembro de 2016.
Ainda de acordo com o apurado, os depósitos feitos nas contas das empresas investigadas eram sacados e parte do valor era depositada na conta da servidora responsável pelas transferências, como uma forma de “porcentagem” pelo desvio.
O resultado da investigação policial será encaminhado a Controladoria Geral do Estado do Amapá para providências de cunho administrativo.
Os investigados irão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de associação criminosa, peculato e lavagem de dinheiro. Se condenados, poderão cumprir pena de até 25 anos de prisão.

(Ascom/PF-AP)

  • Eta Brasil; a sangria desfila por toda a parte e os corruptos caem de pau nos caminhoneiros e querem jogar o caos nesses heróis que ora defendem a Mãe Pátria. A bandalheira na saúde, na merenda das crianças, na previdência….; tudo, tudo; não ha um dia em que a Polícia Federal não esteja nas ruas, com as famosas operações; com nomes estranhos, mas que têm um significado dentro de cada cenário. Achamos bonito e logo encaixamos com o bom humor e tudo soa como piada. Daqui a pouco; nova operação, novo nome de operação e os humoristas de plantão, fazendo uma nova piada e o Brasil; o Brasil? A esquina é o limite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *