Posse do chefe-geral da Embrapa Amapá é hoje

O presidente da Embrapa, Maurício Antônio Lopes, estará em Macapá (AP) nesta sexta-feira, 29/11, para dar posse ao pesquisador Jorge Yared, 64, no cargo de chefe-geral da Embrapa Amapá, durante cerimônia oficial a partir das 9 horas, no auditório da instituição de pesquisa. Estarão presentes diversas autoridades do Amapá, representantes do setor produtivo agrícola, técnicos de pesquisa e de extensão rural, e dirigentes de instituições de ensino e de pesquisa.

Jorge Yared conquistou o mais alto cargo da Embrapa Amapá por meio de uma seleção pública. Ele sucede ao pesquisador Silas Mochiutti, que foi chefe-geral da instituição de 2008 a 2013. O mandato de Jorge Yared é de três anos, podendo ser renovado por igual período. Nascido em Alenquer (Pará), o novo chefe-geral da Embrapa Amapá é graduado em Engenharia Florestal e possui mestrado e doutorado em Ciência Florestal.Foi pesquisador da Embrapa do Pará de 1978 a 2008, exercendo sua carreira científica na Amazônia na liderança de projetos e grupos de pesquisa. Também possui experiência em gestão, entre outros cargos foi coordenador Regional Brasileiro do Centro de Pesquisas Florestais da Região Amazônica e Chefe- Geral da Embrapa do Pará de 2005 a 2008. No Governo do Estado do Pará exerceu a função de Diretor do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado (Ideflor). No magistério, Jorge Yared foi professor do curso de doutorado em Ciências Agrárias/Agroecossistemas. Na nova equipe de gestores da Embrapa Amapá, o pesquisador Ricardo Adaime da Silva é o chefe de Pesquisa e Desenvolvimento, Solange Moura é a chefe de Administração, e o analista Edyr Marinho Batista é o chefe de Transferência de Tecnologia.

Resultados – Entre os avanços da gestão anterior da Embrapa Amapá destacam-se conquistas nas áreas de pesquisas em agricultura, recursos florestais, aquicultura e pesca, além dos projetos voltados para a transferência de tecnologias. A gestão de laboratórios obteve significativas melhorias nos últimos seis anos, com aquisição de equipamentos, construção de novos laboratórios e contratação de laboratoristas qualificados. A modernização dos laboratórios foi possível por meio de recursos provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC Embrapa) e de emendas parlamentares, ampliando assim sua capacidade para atender a demanda de atividades de pesquisa. Em 2014, com a conclusão das últimas obras, a Embrapa Amapá contará com quatro Núcleos Laboratoriais (Aquicultura e Pesca, Proteção de Plantas, Solos e Fisiologia Vegetal e Agregação de Valor a Produtos da Biodiversidade) que deverão suprir as necessidades de clientes internos e externos. No período de 2008 a 2013, a Embrapa Amapá liderou 31 projetos (16 concluídos e 15 em execução) com um aporte de R$ 7.580.545,14. Desse montante, 52% dos recursos foram provenientes dos macroprogramas da Embrapa e 48% de fontes externas como CNPq, Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia do Amapá (Setec), Fundação de Amparo à Pesquisa do Amapá (Fapeap), Petrobras Ambiental, entre outras.

Metas de trabalho – O plano de trabalho de Jorge Yared à frente da Embrapa Amapá define metas para as áreas de pesquisa, desenvolvimento e inovação, transferência de tecnologias, ações administrativas e articulações interinstitucionais e internacional. Na área de pesquisa, entre as prioridades estão fortalecer o uso dos recursos florestais, pesquisas em aquicultura e pesca, agroecologia para integrar saberes tradicionais com conhecimentos científicos, projetos para a adaptação de cultivares e o desenvolvimento de sistemas de produção mais sustentáveis e para baixa emissão de carbono, pesquisa no tema de proteção de plantas, estudos dos impactos dos sistemas de produção bubalina em campos inundados e boas práticas de manejo, entre vários outros.

Na transferência de tecnologia o foco é ampliar a participação da Embrapa Amapá para organização de arranjos institucionais para prospectar demandas dirigidas a territórios, Arranjos Produtivos Locais (APLs) e públicos específicos; aprimorar a formação de multiplicadores das tecnologias geradas pela Embrapa, atuar no uso dos princípios da agroecologia para melhoria da agricultura de base familiar, elaborar planos de negócios e monitorar as principais tecnologias, produtos e serviços incorporados ao meio produtivo, avaliando impactos sociais, econômicos e ambientais.

A Embrapa Amapá – A Embrapa no Amapá atua em todo o território do estado e estuário amazônico, com uma equipe formada por 99 empregados, entre pesquisadores, analistas, técnicos e assistentes. A infraestrutura é composta pela sede, em Macapá, e três campos experimentais em áreas representativas dos ecossistemas do estado do Amapá: Cerrado (Km 45 da BR-156), Fazendinha e Mazagão. A Embrapa Amapá atua em parceria com os governos, instituições de pesquisas científicas e tecnológicas, instituições representativas de agricultores, de extrativistas, comunidades indígenas, escolas famílias rurais agrícolas e agroextrativistas, e instituições de ensino públicas e privadas, além de projetos em parceria com outras Unidades da Embrapa no país.

(Dulcivânia Freitas-Embrapa Amapá)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *