Procon encontra fezes de animais nos garrafões de água mineral

Na hora da sede o  amapaense fica naquela situação de “se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”.
A água fornecida pela Caesa (Companhia de Água e Esgoto do Amapá)  não é nem um pouquinho confiável. Bebê-la, sem ferver, é colocar em risco a saúde.
Quem pode faz uso da água mineral, mas agora se descobre que também não dá para confiar, não dá para consumi-la sem colocar em risco a saúde.
Uma fiscalização do Procon – com o apoio Promotoria de Defesa dos Direitos do Consumidor de Macapá (Prodecon), Delegacia do Consumidor (Deccon), Secretaria da Fazenda (Sefaz), Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) e Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) – constatou uma série de irregularidades nas empresas distribuidoras e   envasadoras.
A falta de higiene é tanta que até fezes de animais foram encontradas nos garrafões. Um crime contra a saúde.

A fiscalização autuou sete distribuidoras e três envasadoras de água mineral que apresentaram irregularidades por armazenamento inadequado dos garrafões de água que estavam no chão.

Foram autuadas  as distribuidoras  J & W, Gabriel Distribuidora, Armazém Rocha, Mercadão das Águas, J. P. Água Mineral, Distribuidor A. Souza e Ferragens São Raimundo e as envasadoras Água da Amazônia, Andina e Cristal da Serra.

Entre as irregularidades foram constatados o armazenamento incorreto do produto em paletes deterioradas e alguns próximos de produtos de limpeza, em ambientes fora dos padrões de higiene, com garrafões envasados com prazo de validade vencido.; manuseio inadequado dos garrafões sendo eles rolados no chão até o transporte; falta de higienização na escovadura externa contendo resíduos de fezes de animais; reutilização dos rótulos e ausência de higiene nos depósitos de insumos.

  • Quem deveria fiscalizar também seria a Agência Amapá, mais infelizmente não o faz, acabou de lançar um projeto para cadastro das empresas, que seria em tese o resgate do setor mineral do estado, com previsão para daqui a onze anos, até lá continuaremos tomar água com fezes e quantas pessoas contraíram doenças. Sou profissional da mineração e sei que para adquirir a Concessão para a exploração de água, é feito a análise pelo LAMIN na CPRM, aí se libera a Licença, aí o resultado é impresso no rótulo, até aí tudo bem, ocorre que não é mantido essas análises com frequência. Aí eu pergunto, cadê a Agência? Que é o órgão que deveria, digo deveria fiscalizar a atividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *