Quinta-feira em Macapá – Seminário Zona Franca Verde

convite

O ministro do Desenvolvimento, Indústria a e Comercio Exterior, Armando Monteiro, aceitou o convite do senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) e confirmou presença no Seminário “Zona Franca Verde: Oportunidade de Desenvolvimento para o Amapá”, que ocorrerá na quinta-feira (03), às 10h, no auditório do SESI.

Na oportunidade, o ministro também vai receber o título de cidadão amapaense da Assembleia Legislativa do Amapá (ALAP). O evento deve reunir representantes da indústria e do comércio do Estado, além de instituições ligadas ao empreendedorismo e todos aqueles interessados na nova plataforma.

Na última sexta-feira (26), o Conselho Administrativo da SUFRAMA (CAS) aprovou as normativas que

regulamentam o funcionamento das ZFV. O senador Randolfe e uma comitiva amapaense estiveram em Manaus para garantir que não houvesse perdas para o Amapá. A resolução trata da isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para produtos cuja matéria-prima seja preponderantemente de origem regional. O incentivo vale para as ZFV de Tabatinga (AM), Guajará-Mirim (RO), Macapá, Santana (AP), Brasiléia, Epitaciolândia e Cruzeiro do Sul (AC), e Boa Vista e Bonfim (RR).

Segundo Rebecca Garcia, a superintendente da Suframa, a autarquia pretende iniciar treinamentos e capacitação de empresários interessados em investir na Zona Franca Verde. O seminário é uma forma de preparar o Amapá para os próximos passos. “Nós obtivermos importantes conquistas com relação à ZFV, mas ainda temos muito que fazer tanto no âmbito legislativo, quanto a questão de infraestrutura. Daremos apoio ao Governo do Amapá e as prefeituras para buscar recursos”, disse o Randolfe.

O evento também buscará alternativas para o descontingenciamento dos recursos da SUFRAMA. Calcula-se que cerca de R$ 2 bilhões deixaram de ser investidos em infraestrutura nos estados da Amazônia nos últimos cinco anos. “Este montante poderia ser aplicado na duplicação da Rodovia Duca Serra, ou na modernização do Porto de Santana, por exemplo. É fundamental disponibilizar estes recursos para estruturar as novas zonas francas, como a de Macapá e Santana”, ressaltou Randolfe.

  • Os FITOTERAPICOS para suprir a região é uma potencialidade. Porém essa vocação primeira pela Medicina Natural não é acompanhada incentivos e apoio da produção orgânica de matéria prima vegetal regional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *