Ainda sobre pacientes em TFD abandonados pelo Estado

Recebi com pedido de publicação email da assistente social Maria de Fátima Carvalho, do Hospital Universitário Walter Cantidio (Fortaleza-CE) sobre a triste situação dos pacientes renais em tratamento naquele hospital há meses sem receber ajuda de custo

Eis:

“Sou assistente social de referência do ambulatório de tx renal do HUWC. Tenho acompanhado a situação desses pacientes aqui em Fortaleza que realizam tratamento fora de domicílio e que dependem dessa ajuda de custo.
O nome desses pacientes já foi citado pela colega Henriette, também conhecedora do problema. Entretanto,como o problema ainda continua gostaria de registrar novamente esse contexto.

Tendo em vista a resposta dada pela SESA de Macapá informo que os relatórios são assinados pelo médico que acompanha o paciente. Em outras ocasiões esses relatórios foram assinados pelo assistente social, entretanto,a SESA nunca nos enviou oficialmente um documento que informasse à essa instituição a não legalidade da nossa assinatura, digo do assistente social. Ressalto também a grande dificuldade que temos em manter contato com o TFD para dirimir questões relacionadas a problemas de ajuda de custo. Enviamos relatórios via fax, emails e não obtemos nenhuma resposta,fora as inúmeras tentativas de falar por telefone com as funcionárias do órgão(Sra. Sandra,coordenadora, Sra.Barral, sra.Kênia, Sra.Socorro). Daí esses pacientes e acompanhantes sentirem-se totalmente desamparados,pois somos a única via de intermediação.
Ressalto ainda que esses pacientes são obrigados a fixarem residência provisória em Fortaleza por no mínimo dois anos, pagando alugueis em
torno de R$ 500,00. Por se tratar de uma cirurgia de alta complexidade ,exigindo no pós operatório acompanhamento médico frequente para consultas e reavaliações, há essa necessidade.

Ratifico a situação dos pacientes mais detalhadamente,já colocada pela colega Henriette.

Alexsara Fernandes de Melo – recebeu os meses de outubro/novembro/dezembro/2013. Em atraso desde jan/2014

Sergio Cardoso Ribeiro – Situação de muita vulnerabilidade social. Desde agosto de 2013 sem receber ajuda de custo. Ressalto que no dia 04/08/2014 enviamos relatório solicitando a troca da acompanhante Elisabete do Nascimento Cardoso, grávida de 08 meses. A solicitação foi negada pelo TFD, que também não nos deu nenhuma resposta oficial.A acompanhante permanece em Fortaleza sem condições de retorno, uma vez que não foi liberada a passagem da gestante, bem como devido ao seu estado não tem mais condições de viajar. Pacientes e amigos fazem cotas para enxoval e amenizar a situação. O paciente realizou transplante e ainda encontra-se internado com quadro de saúde não estabilizado e com complicações.

Hanna Gomes Teles – recebeu 395,00 em junho/2014,está sendo ameaçada de despejo por não pagar aluguel.

Jaqueline Cardoso de Aquino – Recebeu 8 diárias no dia 12/05/14

Agradeço a sua via de comunicação e denúncia contribuindo com o nosso trabalho na garantia dos direitos desses pacientes.

Maria de Fátima S.L.de Carvalho cress 1784″

E na caixa de comentários, no post Pacientes abandonados – O que diz a Sesa, a senhora Juh escreveu o seguinte:

“Sergio Cardoso Ribeiro, está internado no na mesma enfermaria que meu esposo está, e faz pena a situação do rapaz, há um ano que não recebe ajuda de custo, e os relatórios todos foram mandados, a irmã dele e acompanhante nos mostrou todos os documentos, eles estão passando necessidades, só essa semana ele foi reaberto por duas vezes pós-transplante que tem poucos dias…Deveria vir alguém do Estado ver o abandono em que essas pessoas se encontram e não são só esses 04 pacientes não, tem muito mais…Isso é um absurdo, alegarem que é uma assistente social que assina os documentos, elas são contratadas exatamente para darem suporte aos pacientes que muitas vezes não tem conhecimento de seus direitos e são jogados à própria sorte… O MS deveriam fazer um levantamento a nível de Brasil e ver quantos pacientes são abandonados á própria sorte… EU mesma com meu esposo perdi 14 meses de ajuda de custos de outro estado há anos atrás. Isso é imoral e desumano!!!”

  • Sou mae de uma criança que tambem mora aqui em macapa, a fucionaria chamada Kenia organizou os papes da viagem da minha filha mas quando foi pra mi fala sobre a ospedagem ela disse que nao tem casa de apoio em Sao Paulo pois em tao agente que iremos consegui a onde iremos fica,foi entao que conseguimos atraves de uma foncionaria do Hospital da criança que localizou uma pençao pra nos fica,que agente que imos paga,eles do TFD so iam da uma ajuda de custo so quando chega-se la em Sao Paulo mas quando chegamos em Sao Paulo eles nao ajudarao em nada pois o caso da minha filha era delicado ela ia passa por uma cirugia que sua recuperação ia demora,passamos dois meses e dois dias voltamos pra casa e nada do TFD ajuda, e eles ainda nao deram nem uma posição de quando vai sai a ajuda de custo,como tivemos que se vira pra paga a pençao fisemos um enprestimo que ate hoje tamos esperando um sinal de quando vai sai pra pode nos paga nossa divida,agora nao sei como vai ser agora porque a minha filha vai fica fazendo acompanhamento em Sao Paulo como aqui o governo fala que nao tem dinheiro pra paga o TFD, ja saiu governo ja entrou e ate agora nada, como a minha filha tem 4 anos e nao anda e dependo de transporte publico nao da pra fica indo la no TFD todos os dias vendo isso como eles falao que nao tem telefoni no orgao nao temos como entra em contato com eles, ja tamos revoltados com isso porque eles nao dao nenhuma justificativa.

  • É triste estou c um ano aqui nem fortaleza ha um ano e só recebir 5 meses de TFD eu ligo e eles nem me atende ou desligam na minha kra.moro em laranjal do jari ñ tenho nimguem conhecido em macapa p resolver isso.

  • Eu.Elizabete venho em meio desta msg lhe dizer que me encontro com meu irmao sergio cardoso. em fortaleza ha dois anos , recebemos so uma vez do tfd hoje ja se encontra com um ano que nao recebemos ajuda de custo tendo em vista que. mandamos todos os relatorios e os mesmos fora entregue. pelo meu irmao fabio cardoso no tfd, o mesmo ja foi ate ameaçado ate com ordem de. prisao por esta lutando pelo direito que e do meu irmao sendo que nao so a ajuda de custo como as passagem para a troca de acompanhante que lhe foi negada e poresse motivo o meu irmao veio a perde o rim porque. eu estou no oitavo mes de gravidez e nao posso pemanecer com ele no hospital que corro risco tambem .Eu alexsara rfernandes de melo estou tambem. ha dois anos em fortaleza e tambem nao recebo ha oito meses e corro risco de perde o meu transplante porque nao tenho dinheiro para me manter se eu fizer o transplante sendo que ja mandei todos os relatorios e nao temos nenhuma resposta siquer do tfd entao venho em meio desta msg lhe pedirem ajuda. e que nos ampare que estamos aguentando a situaçao que estamos passando,nao so a gente como os outros colegas que se encontram na mesma situaçao entao peço a compreensao de todos e nos olhem.

  • Eu elizabete irma d paciente sergio cardoso,estou ha dois anos acompanhando meu. irmao e so nos que estamos aqui q sabemos oq acontece e o q passamos por tando em meio dessa msg pedimos q nos ampare .o tfd alega que nao mandamos relatorios sendo qu todo foram. entregues pelo meu irmao fabio cardoso que o mesmo foi ate ameçado de presao sendo que ele esta so lutando pelo direito que e do meu irmao nao so do meu irmao como dis outro s que estao na mesma situaçao com Alexsara fernandes de melo que ha oito meses sem receber que ha qualquer hora pode ser chamada e realiza seu transplante e se encontra sem dinheiro e morando de aluguel pagando 350 todos os mese so com um salario tendo que paga aluguel comida e veiculo para ir para o hodpital sendo so nos e muito mas pacientes que se encontram na mesma situaçao que nos entao venho lhe pedi ajuda e se comover com a nossa sitaçao..

  • PTFD é de cunho médico e o paciente deverá enviar documento médico mensais que contra referencie a permanência do TFD do paciente. Alguém da família desses pacientes deverão ir ao PTFD/AP dar entrada e acompanhamento no processo de TFD.

  • Meu Deus! O que falta acontecer? A vida está acima de qualquer coisa e muitos negligenciam por outros motivos.Lamentável mesmo esse tratamento dado.A quem recorrer?

  • Sra. Alcinéia, Estou aqui m minha casa com a irmã de Sérgio Cardoso Ribeiro, grávida numa situação mt delicada, pois tem passado grandes sustos nesse últimos dias, só esta semana, Sérgio passou por 04 cirurgias, vindo tendo complicações em seu transplante, hoje infelizmente recebemos a noticia de que o mesmo perdeu o seu enxerto (RIM TRANSPLANTADO) e seu estado é mt delicado. falo como acompanhante, pois após desmaio foi socorrido por meu esposo (que também é paciente) e foi conduzido imediatamente para o centro cirúrgico com gd de sangue, onde horas depois soubemos que o mesmo havia perdido o rim e sua irmã ao chegar para visita ficou demasiadamente descontrolada, sendo acompanhada por psicóloga, e eu a trouxe para dar-lhe um pouco de amparo e carinho, são intercorrências de vidas que traumatizam grandemente. Espero ver o quanto antes a chegada de uma acompanhante e resolução dos problemas que estão passando… Não sou da área de saúde mas acompanho meu esposo há longos 25 anos, e sei do que esses pacientes passam, aprendi muito na dor com meu esposo, por isso me coloco a disposição para apoiá-los e orientá-los no que me for possível.

  • A omissão nesses casos é inconcebível.O GEA não pode tratar com descaso tais situações.Se na administração não falta dinheiro (2º dito em campanha),então esta faltando competencia.

  • Lamentável a forma que o Estado trata seus pacientes renais. Analisando a nota da Sesa com as justificativas esfarrapadas da coordenadora Sandra Monteiro e o relato das assistentes sociais do Hospital de Fortaleza, qualquer pessoa por mais leiga que seja saberá identificar onde está a incompetência. Está na hora dos familiares e a população tomar uma atitude para, pelo menos, afastar essa turma de incompetentes da secretaria de saúde. No momento só Deus para amparar essas pessoas abandonadas no Ceará.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *