É a crise

Em menos de dois meses duas grandes lojas fecharam as portas em Macapá: A Credilar e a DiCasa.
E mais uma está fechando: a Tom Importados.
O desemprego no comércio nos últimos meses é algo assustador. Várias lojinhas já demitiram todos seus funcionários, ficando o próprio dono com a tarefa de abrir e limpar a loja, vender, receber o pagamento, passar o troco etc.
As grandes estão demitindo centenas. Só uma delas, demitiu até semana passada 250 funcionários.

  • Esses comentários são o reflexo de um povo sem visão. Atribuir ao 12 ou 40, ao 25 ou ao 15, tanto faz o numero, a causa da quebradeira é burrice. Me comprem um bode velho e ponham dentro de casa!

  • quero ver os comerciantes que defenderam o WG com unhas e dentes que ajudaram na campanha. APLICA 12 NA VEIA.

  • É o dinheiro circulando na mão errada. Algum desses grandes empresários não pagavam ICMS e tampouco Alvará de Funcionamento na antiga gestão dos Góes. Ai veio as falsas promessas de campanha. Iam acabar com a Substituição Tributária, ela é cruel, mas é o que “aguenta” o rojão dos Estados. Sem falar que é crime governante deixar de cobrar tributos. Infelizmente a realidade é essa, ofereceu mundos e fundos e estão cobrando, daqui a pouco quebra a “harmonia” dos poderes e a vaca vai para o brejo. A situação é essa, num curto prazo não há melhoras. O Jeito é por a culpa na crise, na Dilma, Saci pererê….

  • Cadê o pessoal que criticava o fechamento da fábrica da Coca-Cola,que continua vendendo os seus produtos em Macapá,agora até loja de Secretário de estado está fechando.

  • O Amapá é (e sempre foi) uma caixa de ressonância da economia nacional. A coisa foi ruim de 2010-2014, e piora neste mandato Dilma. Waldez pouco, ou nada pode fazer para evitar o encolhimento amapaense. O cenário futuro nnão é nada favorável e os elos fracos da corrente (Norte-Nordeste) serão os mais prejudicados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *