Embrapa Amapá sedia reunião do plano regional agropecuário

Uma das ações do Plano de Desenvolvimento Agropecuário da Região Norte, desenvolvido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), é a capacitação técnica de produtores rurais com renda média de 2 a 10 salários mínimos mensais.
Nesta sexta-feira, 20/11, equipes das Superintendências Federais do MAPA dos estados do Amapá e Roraima promovem uma reunião técnica no Auditório Tucuju, da Embrapa Amapá, em Macapá, no horário das 9h às 16h. O objetivo é definir os detalhes desta e de outras ações previstas no Plano de Desenvolvimento Agropecuário para os dois estados. 
A Embrapa é uma empresa do Ministério da Agricultura e participa das diretrizes e implementação das atividades. Lançado em maio deste ano, o Plano de Desenvolvimento Agropecuário da Região Norte visa investir recursos na redução de obstáculos produtivos e melhorar o desenvolvimento agrícola desta região, diminuindo a importação de itens que poderiam ser produzidos na região.
O estudo foi feito por pesquisadores da Embrapa Monitoramento por Satélite (Campinas/SP) e traz um diagnóstico dos estados da região Norte, além de recomendações de programas e ações para desenvolver de forma sustentável a agricultura e pecuária na região.  De acordo com o MAPA, um dos pontos a serem trabalhados é a ampliação da classe média rural e a governança fundiária pela titulação e regularização dos produtores rurais, um problema que tem causado insegurança jurídica na região Norte e travado os investimentos. De acordo com o diagnóstico, atualmente os estados do Pará e Rondônia são os que apresentam uma agropecuária mais desenvolvida, correspondendo a 33% e 31%, respectivamente, do PIB do agronegócio da região. Já no Amazonas, em Roraima, no Amapá e no Acre, a maioria da população vive nas maiores cidades, geralmente nas capitais, contribuindo com uma pequena porcentagem do PIB do agronegócio. A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, em visita ao Amapá no último dia 5/11, destacou em seu discurso a implementação do programa de classe média rural no estado. “A meta é disponibilizarmos 500 vagas para produtores do Amapá com faixa mensal de renda de 2 a 10 salários mínimos. Terão assistência técnica continuada, uma vez por mês, durante dois anos; cursos de qualificação e vamos organizá-los em associações ou cooperativas para terem acesso aos recursos financeiros e aquisição de insumos”, afirmou a ministra.

(Ascom – Embrapa-AP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *